manifesto das artes

Sejam bem-vindos a um universo não tão óbvio!

Jeferson Corrêa

Jeferson Corrêa é escritor, autor do livro "Além do que os olhos podem ver". É também organizador de eventos, blogueiro e apaixonado por todas as formas de artes.


Contato:

[email protected]

Entrevista com Luis Quiles: O artista das ilustrações chocantes

Depois das ilustrações chocarem, chegou a hora de conhecer um pouco mais do artista.


LQ desenho.jpg Luis Quiles

Depois da matéria de sucesso com "As chocantes ilustrações de Luis Quiles": (Veja aqui) do dia 10 de Janeiro, cada vez mais as pessoas se perguntavam sobre os significados da arte do espanhol, sobre suas posições políticas e ideológicas. Antes de publicar a primeira matéria, estava tentando contato com ele por Facebook para já incluir esta entrevista, contudo, devido ao pouco tempo do artista, só consegui hoje um tempinho à noite para conversarmos. Consegui uma breve entrevista com o polêmico desenhista espanhol que está fazendo sucesso entre os brasileiros, com diversos pedidos de amizade em seu Facebook e comentários elogiando seus desenhos. Que muitos acham que ele é conservador, machista, já outros o acham revolucionário, alguns o veem como alguém que simplesmente aborda problemas e quer nos chocar com eles. Independente do que se pense do artista,uma coisa é certa: sua arte é sensacional.

Quem é Luis Quiles? Alguns se perguntam. Descubra abaixo.

Nascido em 11 de maio de 1978, o espanhol Luis Quiles de 35 anos de idade, morador de Barcelona começou a desenhar desde cedo como um hobby. Uma forma de externar tudo aquilo que acontece no nosso mundo. Fã assumido de cultura pop e rock — o que nota-se em seu trabalho — acredita que a arte não deve ser censurada pois mata a ideia artística. Por suas convicções , seus desenhos considerados mais pesados foram retirados do Deviantart. A censura sempre é uma forma de ocultar aquilo que sociedade tem medo de debater. Luis ama desenhar. E com sua arte, choca, reflete, provoca, irrita e nos mostra aquilo que muitas vezes não queremos abordar ou enxergar por outro ponto de vista. Eis o poder de uma crítica.

zombie.jpg The Walking Dead

MANIFESTO DAS ARTES: Como começou a desenhar?

Luis Quiles: Desde muito pequeno.

MANIFESTO DAS ARTES: Quais são as mensagens do seu desenho?

Luis Quiles: Perturbar as pessoas. Fazendo odiar o meu trabalho, se necessário. Há muito tempo eu percebi que a imagem não muda as pessoas, nem mesmo muda uma pessoa. É o que eu penso. Ela não vai fazer uma pessoa racista, por exemplo, então eu não faço para mudar isso, eu faço isso para irritar. Muitas vezes pareço insultar as pessoas na internet com um pouco do meu trabalho, e é divertido.

MANIFESTO DAS ARTES: Quais são suas influências e o que você mais gosta na cultura pop?

Luis Quiles: Nirvana, Hayao Miyazaki, Leiji Matsumoto, Alphonse Mucha,Mitsuru Adachi, contos clássicos (Branca de Neve, Peter Pan, Alice ...), Akira Kurosawa, Alfred Hitchcock ...

miyazaki.jpg Hayao Miyazaki

MANIFESTO DAS ARTES: Você foi censurado no Deviantart. Gostaria de saber O que você acha da censura na arte?

Luis Quiles: Simples: a censura mata a arte. E se você está pronto pra isso, deve procurar uma maneira de dar nova vida e enganar a censura, isso é o que eu tento fazer.

CENSURA.jpg Cheating censorship is funny.....And is art

MANIFESTO DAS ARTES: O que te motiva a criar?

Luis Quiles: O mesmo de quando eu era pequeno, eu gosto. Não preciso de uma motivação profunda.

MANIFESTO DAS ARTES: Seus desenhos tem alguma posição politica? Você é libertário, progressista ou conservador?

Luis Quiles: Eu não me importo com as idéias políticas, sejam boas ou ruins. Ou mais relacionado a mim ou fora, no final todos eles têm o mesmo problema. Foda-se a moralidade das pessoas. Todos passam pelo mesmo filtro que suga: os seres humanos! Vivem com a sua ideia do mundo em um nível pessoal, sem perceber que todos são como você ou devem ser, mas não é. Eu me considero de esquerda, mas não me reconheço quando eu ouço falar da esquerda política.

neo_idiots_by_gunsmithcat-d4izk6d.jpg Neo-idiots "This artwork is dedicated to all the people who hate people with other race, sexual orientation, nationality. To people who hate women, gays or lesbians, bisexual people, transexual. To people who hate others because of the social or economic status. My message for this kind of people who use to hate the different people is: FUCK ALL OF YOU!"

MANIFESTO DAS ARTES: O que você acha dos seus fãs estrangeiros?

Luis Quiles: Eu não gosto da palavra fã. Sou um admirador do trabalho de muitas pessoas, mas não fã. Não é uma descoberta que a palavra fã vem de fanático. Então, eu prefiro vê-los como pessoas que gostam do meu trabalho. Eu gosto de conhecer pessoas de outros países para o nível pessoal ou humano assim o mesmo com o meu trabalho

MANIFESTO DAS ARTES: Qual conselho você pode dar pra quem quer criar arte?

Luis Quiles: Que goste do que faça. Se você trabalhar duro, conseguirá aprender.

MANIFESTO DAS ARTES: Você pretende fazer algum mangá ou história em quadrinho?

Luis Quiles: Quadrinhos. Publiquei há alguns anos e agora eu começo a trabalhar de novo. Mangás não. Eu gosto como leitor, mas já pensei em fazer um mangá.

HQ.jpg "Algunos de los artistas invitados en mis cómics: Gemma Saotome y Ryoga de Ranma, un click de playmobil, Sailor Moon, princess Jun de comando G, Thais y Numaios de Ulyses 31, kain by Kenny Ruiz. Ido de Battle angel Alita, A-18 de dragon ball, calabaza Jack de return to Oz y Mazinger Z"

MANIFESTO DAS ARTES: Sobre as mulheres: Você gosta mais de desenhá-las? Como você acha que as mulheres enxergam sua arte? Você se considera machista?

Luis Quiles: Algumas raramente me disseram que meus desenhos são misóginos. Simplesmente é o que eu quero falar.Eu prefiro desenhar o que as mulheres fazem. Muitos dos meus fiéis seguidores do meu trabalho são as mulheres.Espero que não entendam mal meu trabalho.

MANIFESTO DAS ARTES: Como é o mercado de trabalho para desenhistas na Espanha?

Luis Quiles: Pobre. Pela crise econômica, como na maioria dos trabalhos.

MANIFESTO DAS ARTES Você acha que seus desenhos podem ser usados como arma contra a opressão religiosa ou contra a política?

Luis Quiles: Talvez, mas isso não vai mudar nada. Eles não mudarão por causa de alguns desenhos.

MANIFESTO DAS ARTES: E sobre seus desenhos em apoio a Pussy Riot e contra os padres pedófilos?

Luis Quiles: Eles não mudaram por causa de alguns desenhos. Com a pressão social que você pode obter uma mudança. Um desenho é apenas um pouco mais.

atomic_ahmadineyad_by_gunsmithcat-d4iidwn.jpg Atomic Ahmadineyad

MANIFESTO DAS ARTES: Conhece algum desenhista brasileiro?

Luis Quiles: Desenhista ou design não. Não que eu me lembre.

MANIFESTO DAS ARTES: E de outras artes?

Luis Quiles: Da música, Sepultura e filmes, Cidade de Deus.

MANIFESTO DAS ARTES: Pra finalizar, quais são seus projetos futuros?

Luis Quiles: Escrever e desenhar histórias em quadrinhos.

drawing.jpg Drawing is the best thing in the world ...After girls, maybe This is a self-portrait (my back portrait I know, but still a Portrait) About when I was a teenager and I didn't know yet that women existed on earth, and I needed only a pencil and a blank page to be happy. A page, the school table, the board, a wall, a dirty car, the casting arm of a friend ... Now is hard for me to separate women from art and art from women. I think if there were no women would cost me so much time to find reasons to draw)


Jeferson Corrêa

Jeferson Corrêa é escritor, autor do livro "Além do que os olhos podem ver". É também organizador de eventos, blogueiro e apaixonado por todas as formas de artes. Contato: [email protected]
Saiba como escrever na obvious.
version 5/s/artes e ideias// @destaque, @hp, @obvious, @obvious_escolha_editor //Jeferson Corrêa