manifesto das artes

Sejam bem-vindos a um universo não tão óbvio!

Jeferson Corrêa

Jeferson Corrêa é escritor, autor do livro "Além do que os olhos podem ver". É também organizador de eventos, blogueiro e apaixonado por todas as formas de artes.


Contato:

[email protected]

Mesquita é iluminada por um caleidoscópio de cores do arco-íris

Todas as manhãs, esta mesquita é iluminada com todas as cores do arco-íris. Um momento sagrado onde fé e arte se encontram.


nasir-al-mulk-mosque-shiraz-iran-1.jpg Mohammad Reza Domiri Ganji

Geralmente quando alguém nos conta sobre arquitetura histórica, imaginamos belos arcos, torres elevadas, esculturas e paredes de pedra , mas a maioria de nós provavelmente não pensa em cores vivas e vibrantes. A mesquita de Nasir al- Molk ,é uma exceção marcante e forte a frente da ideia de que estruturas históricas poderiam ter falta de cores. Não são apenas os seus vitrais ricamente coloridos , mas suas paredes apresentam uma bela e vibrante coloração conjunta de azulejos geométricos pintados.

nasir-al-mulk-mosque-shiraz-iran-2.jpg Abbas Arabzadeh

A construção da mesquita foi iniciada em 1876 e concluída em 1888, em Shiraz, Irã, pela ordem de Mirza Hasan Ali Nasir al Molk , um senhor da dinastia Qajar .Os vitrais capturam a luz da manhã e criam um jogo glorioso de luz no chão da mesquita, ganhando o nome de " Mesquita Rosa " e convidando fotógrafos para capturar sua beleza. Embora alguns dos azulejos que a decoram sejam de cor rosa, parece que a mesquita inclui quase todas as cores sob o sol.

nasir-al-mulk-mosque-shiraz-iran-3.jpg Amin Abedini

A mesquita possui muitos elementos da arquitetura islâmica tradicional como arcos Iwan e uma fonte central para as abluções, mas vitrais são relativamente raros. Apenas algumas outras mesquitas, como a Masjid al -Aqsa e a Mesquita Azul em Istambul, apresentam janelas de vitrais. São belíssimas imagens de encher os olhos.

nasir-al-mulk-mosque-shiraz-iran-5.jpg Abbas Arabzadeh

Em visita ao local, uma fotógrafa japonesa chamada Koach ficou encantada com a beleza da mesquita que é melhor apreciada à luz da manhã e explicou o por quê:

"Você só pode ver a luz através do vidro manchado no início da manhã. Foi construído para pegar o sol da manhã, de modo que se você visitar ao meio-dia, será tarde demais para captar a luz. A visão da luz do sol da manhã que brilha através do vidro manchado colorido, em seguida, caindo sobre o tapete Persa bem tecida, é tão fascinante que parece ser de outro mundo. Mesmo se você é a pessoa menos religiosa do mundo pode sentir suas mãos se unindo em oração naturalmente quando você vê o brilho dessa luz. Talvez os construtores desta mesquita queriam mostrar a sua "fé" através da luz da manhã que brilha por estes vitrais."

nasir-al-mulk-mosque-shiraz-iran-6.jpg Dav Wong

Apreciem sem moderação.

nasir-al-mulk-mosque-shiraz-iran-4.jpg Marinela T. Gondii

nasir-al-mulk-mosque-shiraz-iran-7.jpg Amin Abedini

nasir-al-mulk-mosque-shiraz-iran-8.jpg Amin Abedini

nasir-al-mulk-mosque-shiraz-iran-9.jpg Lucie Debelkova

nasir-al-mulk-mosque-shiraz-iran-10.jpg my2200

nasir-al-mulk-mosque-shiraz-iran-11.jpg Marco Antonini

nasir-al-mulk-mosque-shiraz-iran-12.jpg my2200


Jeferson Corrêa

Jeferson Corrêa é escritor, autor do livro "Além do que os olhos podem ver". É também organizador de eventos, blogueiro e apaixonado por todas as formas de artes. Contato: [email protected]
Saiba como escrever na obvious.
version 1/s/arquitetura// @obvious, @obvioushp, @obvious_escolha_editor //Jeferson Corrêa