manifesto das artes

Sejam bem-vindos a um universo não tão óbvio!

Jeferson Corrêa

Jeferson Corrêa é escritor, autor do livro "Além do que os olhos podem ver". É também organizador de eventos, blogueiro e apaixonado por todas as formas de artes.


Contato:

[email protected]

PESSOAS PRECISAM MORRER

Alguém sempre precisa morrer para lembrarmos que estamos vivos. Esse alguém pode ser você ou eu.


Sem título.png

Pessoas precisam morrer. É um fato.

O tempo todo ouvimos, lemos, assistimos sobre mortes de pessoas que estavam no lugar errado e na hora errada. Que morreram sem realizar o que gostariam, que por descuido, acidente, “destino”, caos ou seja lá o que for, feneceram e deixaram seus parentes desolados. Histórias que se repetem e hão de se repetir sempre. Eventos com mortes é a deixa para a mídia usar de seu sensacionalismo usual nas reportagens. Pessoas viram estatísticas e sofrimentos se tornam audiência.

O que me leva a escrever essa postagem é sobre o que acredito ser uma das "máximas do mundo”: Pessoas precisam morrer.” Não somente morrer porque é de nossa natureza humana e proque temos um prazo de validade na prateleira da vida como produtos que se tornam descartáveis com o tempo, contudo morrer para que determinada situação e mudança ocorra em um bairro, município, estado, país. Para que se modifique leis, para que se combata males que afligem a população. Se jovens não queimassem na boate de Santa Catarina, será que tentariam ter mais rigidez em relação a boates? Se crianças inocentes não morressem assinadas em Realengo por um homem problemático, será que se importariam com a segurança das escolas? E as pessoas que morreram na Ditadura, nas guerras frias, santas, civis? E os homossexuais que são mortos por terem outra orientação? E as corajosas mulheres que se recusam aos padrões machistas? E todos que sofreram e sofrem para que estivéssemos aqui, hoje podendo ter nossas vidas? Nessa época com melhores leis e condições de vida comparada a outrora. Essas situações são históricas. A morte de pessoas traz novos valores e ideias a uma sociedade. Como em religiões como o Cristianismo, onde seu símbolo mór Jesus Cristo é um humano- filho de Deus- que morreu crucificado e por causa de sua morte, a religião se expandiu. Ele se tornou um mártir. Existe o fator da ressurreição para os cristãos mas foi sua morte que o tornou um símbolo. A morte do homem que mudou outros homens.

Desde que a história da humanidade começou a se formar, somente através das mortes é que as situações politicas, econômicas, sociais se desenvolveram ao que são devidos aos inúmeros e embates e guerras. Somente quando alguém morre, é que os outros passam a perceber que devem valorizar suas vidas e tentar corrigir certos aspectos que antes não se importavam. Um bom exemplo disso são os velórios.

Acidentes continuarão acontecendo até o fim dos tempos, e mesmo na civilização mais avançada, alguém terá que morrer para que algo mude e se solidifique. Infelizmente os humanos são movidos a tragédias.

Pessoas morrem o tempo todo em todos os lugares, não obstante, aqueles que morrem em uma situação que precisa ser reformulada são aqueles que devemos deixar vivos em nossas memórias para celebrar a mudança através da dor, do sacrifício e do sangue derramado. As mortes deles é que dão forças e mudanças a nossas vidas.

Quantas pessoas precisarão morrer para que o mundo um dia possa viver em paz e igualdade? Não sabemos. Tal realidade que vivemos é injusta com muitos inocentes que falecem sem poder aproveitar a vida? Com certeza. Há como evitar? Talvez. O que posso afirmar é que muitas pessoas ainda precisam morrer.


Jeferson Corrêa

Jeferson Corrêa é escritor, autor do livro "Além do que os olhos podem ver". É também organizador de eventos, blogueiro e apaixonado por todas as formas de artes. Contato: [email protected]
Saiba como escrever na obvious.
version 1/s/recortes// //Jeferson Corrêa