marcio sarge lounge

Crônicas de um dia após o outro.

Marcio Sarge

Escritor, produtor, diretor e co-autor da própria vida. Como disse o poeta de mim : "Tenho em mim todos os sonhos do mundo."

Feminismo Desonesto.

As feministas foram marginalizadas nos Estados Unidos por causa dos excessos dos anos 80 e início dos 90. A visão é negativa, de estridência e extremismo. É uma situação desconcertante, mas é culpa das próprias líderes feministas.


"As feministas foram marginalizadas nos Estados Unidos por causa dos excessos dos anos 80 e início dos 90. A visão é negativa, de estridência e extremismo. É uma situação desconcertante, mas é culpa das próprias líderes feministas. Elas ficaram obcecadas com aborto e assédio sexual e negligenciaram assuntos muito mais importantes que afetam as mulheres no mundo. Eu acredito em igualdade de oportunidade: os obstáculos para o avanço devem ser removidos, mas sem proteções especiais." - Camille Paglia

iiii.jpg

Homens e mulheres não são iguais, ainda que a cegueira ideológica de alguns grupos feministas tendam loucamente em dizer o contrário. Percebo nesse discurso mais uma desonestidade intelectual que uma crença. Que fique claro que quando digo que homens e mulheres não são iguais não quero dizer com isso que não devam gozar dos mesmos direitos e deveres civis que os homens, ao contrario, afirmo que ai reside a beleza do movimento feminista, o graal de sua existência. O que parece, é que esse discurso tem ficado para traz, já que essa pauta feminista(percebo isso no movimento de ativistas na internet) veem perdendo espaço para obsessões e birras, como a defesa do aborto, comportamento sexual e bizarrices como a ditadura das cores azul e rosa nas vestis das crianças. Nesse capitulo pobre dos dias atuais que o feminismo escreve deve se dar destaque também ao revanchismo exacerbado, um sexismo em forma de panfletagem de esquerda que entope as redes sociais, tentando de todas as formas detratar o homem per si, se pondo como vítimas eternas, ao mesmo tempo em que chamam para si o direito de cometer os mesmo erros que apontavam outrora no homens. Ou seja, não oferecem nada de novo, mais do mesmo.

Mas voltemos as diferenças.

A negação das diferenças entre homens e mulheres são refutadas por alguns grupos feministas, percebo, porque a biologia lhes legou alguns fardos com os quais os homens não tem que lhe dar e admitir isso pode ser visto como fraqueza por algumas. São diferenças notórias, de temperamento e emocionais, como também uma necessidade maior de atenção e carinho pelo qual os homens não demandam tanto. Isso, diga-se de passagem, não é sinal de força masculina muito menos de fraqueza feminina, mas forças opostas que se equilibram na balança do relacionamento entre os sexos. Negar isso é negar a natureza. Lutar contra esse esteriótipo (da fraqueza e da força) é um bom exemplo de luta pela igualde e não negar essas diferenças, um esforço tolo alias. Essa é uma confusão comum que algumas extremistas do pensamento feminista distribuem com muita raiva e doses de preconceito (contra as próprias mulheres) e que tem refletido muito no comportamento dos homens dessa geração, que já não sabem e pior teem medo de agradar uma mulher. É uma castração psicológica, apesar que nem tudo é um terror, já que tem servido para muitos como um modo de refletir seu papel como homem e os valores dessa condição. O terro eu cito abaixo. Estão com duvidas se devem abrir a porta ou se oferecer para pagar a conta, não conseguem mais entender onde mora a gentileza e a ofensa, estão passando tempo demais nas redes lendo muita choradeira pseudofeministas que não passa de birra e se arriscando de menos. Acuados, com as costas na parede e passivos, não pela ascensão profissional em que as mulheres merecidamente alcançaram, esse discurso é mentiroso, estão acuados sim, mas no campo sentimental, com medo de uma investida terminar em um processo por assédio sexual, ou ter uma gentileza taxada de machismo. Um tiro que está saindo pela culatra, já que homens inseguros não é exatamente uma preferência.

Outra desonestidade na inflamada filosofia de alguns grupos feministas esta em atribuir culpa ao homens pelas escolhas femininas. Falo de carreira e filhos. Foi a natureza que incumbiu pela beleza da gestação as mulheres, não os homens. Conciliar gestação e carreira é oneroso e muitas não querem pagar a conta. Existe uma escolha e ela em que ser feita, a mulher tem o pleno direito a essa escolha, seja ela qual for, o que não pode responsabilizar outros por elas. A opção pela carreira e o adiamento da concepção é o ideal de muitas feministas, ainda que não seja o de muitas mulheres, mas percebe-se com o decorrer do tempo que isso pode gerar infelicidade e culpa. O que muitas feministas tendem a ignorar ou omitir em prol de um ideal maquiado é que a biologia não espera a realização profissional, pois quanto mais velha a mulher mais perigoso e difícil fica a concepção , tirando que criar os filhos a partir dos 40 é bem mais complicado e se perde muito do que se fosse na casa dos 20 por exemplo. Ainda há as mulheres que escolhem ter filhos e depois disso se dedicam ao trabalho. Porem essas são demonizadas pelas feministas, como um dissidente que largou a causa e deu guarita ao inimigo. Querer cuidar do lar e de filhos não é uma opção aceitável entre os fundamentalistas.

Faz se necessário um renovo no campo intelectual femininista, com pensadoras que fogem da dialética comum e fácil do revide e do deboche e que resgate dos escombros do sexismo a essência da luta da mulher, que é de igualdade perante leis, trabalho e sociedade, e que não importando a escolha da mulher que ela seja respeitada por isso. E ainda que demonstre que não é preciso deixar de ser mulher, com todas as nuances intelectuais e físicas, sensuais e práticas e que não precise se masculinizar em todos esses campos para obter a tão desejada igualdade. Caso contrário as heroínas do feminismo sofreram nas mãos da Lady Gaga.


Marcio Sarge

Escritor, produtor, diretor e co-autor da própria vida. Como disse o poeta de mim : "Tenho em mim todos os sonhos do mundo.".
Saiba como escrever na obvious.
version 1/s/artes e ideias// //Marcio Sarge