Larissa Soares

Escrevo para aliviar a mente, rir um pouco, talvez chorar, e entrar num mundo onde os problemas tornam-se inteiramente poéticos.

Uma mente com lembranças, por favor.

Alguns afirmam: “Abençoados são os esquecidos.” Não será o esquecimento uma forma de escapar de si mesmo?


eternal-sunshine-of-the-spotless-mind-brain-damage-procedure.jpg Jim Carrey dá vida ao depressivo Joel Barish que depois de uma forte decepção amorosa, tenta se submeter a um tratamento que promete apagar memórias

O filme "Brilho Eterno de uma Mente sem Lembranças", pode ser considerado um dos melhores filmes de forte apelo psicológico e reflexivo. A história é basicamente um drama sobre relacionamentos, sem muitos enfeites e camuflagens. Apenas o gostar e a vontade de estarem juntos é que basta. Joel (Jim Carrey) e Clementine (Kate Winslet) decidiram fazer com o que o namoro desse certo, mas não foi bem o que aconteceu. Clementine se submete a um tratamento experimental que retira de sua memória os momentos que passou com Joel. Ele então, extremamente frustrado por ainda ter sentimentos pela garota, decide fazer o mesmo. Mas durante o procedimento, desiste de tentar esquecê-la.

756932_DUAL.mp400002.jpg Clementine e Joel, um casal de história estranha e extremamente encantadora

A reflexão principal que o filme provoca é o desejo fundamental que o ser humano tem de se livrar das lembranças e acontecimentos que trazem sensações ruins ou de desgosto. É tirar da cabeça, como quem joga coisas no lixo, aquele passeio ao shopping, aquele beijo de despedida, aquela noite de fantasias, que mesmo que tenham sido retratos da perfeição, agora não passam de lembranças pertubadoras. É se ver liberto de mágoas para viver novos momentos sem medo de se decepcionar. Parece tão simples, tão eficaz. Imagine: “Me livrei dos pensamentos, daquilo que me dava saudades, e que me causava dores que pareciam nunca acabar, e agora posso seguir em frente, que bela pedida!”

Mas faça uma viagem nas suas memórias como Joel fez no filme ao ter suas lembranças apagadas pouco a pouco. Vai perceber que elas te ensinaram, vai entender que não vale uma vida se não tiver histórias pra contar, coisas estúpidas pelas quais vai chorar, pessoas que partiram o seu coração e foram embora sem nem explicar o porquê. Tudo isso vale a pena, pois é disso que somos feitos. Não queira ser uma lousa e apagar os erros, os momentos e as pessoas do passado. São todos esses empecilhos que te fizeram chegar onde você está e formaram a pessoa que você é. Não se desfaça daquilo que faz parte de você. Aquele rapaz babaca que você se apaixonou na adolescência e que depois brincou com seus sentimentos e te fez chorar, hoje pode te fazer rir, pois você encontrou um alguém muito melhor. Aquela garota que fez parar seu coração, e que decidiu te esquecer de uma vez por todas, você pode simplesmente tentar esquecê-la também, mas não apagá-la, pois não existem amores que o tempo, amigos, e novos amores, não podem apagar naturalmente.

Vai desperdiçar as delícias que lembranças quando bem recordadas podem nos proporcionar? Tenham um eterno brilho de uma mente com lembranças, meus caros.


Larissa Soares

Escrevo para aliviar a mente, rir um pouco, talvez chorar, e entrar num mundo onde os problemas tornam-se inteiramente poéticos..
Saiba como escrever na obvious.

deixe o seu comentário

Os comentários a este artigo são da exclusiva responsabilidade dos seus autores e não veiculam a opinião do autor do artigo sobre as matérias em questão.

comments powered by Disqus
version 1/s/cinema// @destaque, @obvious //Larissa Soares