João Ricardo

Criador criativo de criações aleatórias

O misterioso mundo de Hata Kazuma

Pessoas olhando para o céu. Uma criança dormindo no meio da floresta. Uma mulher olhando estática para a parede, homens nus em devaneios. Se atreva a entrar no mundo do fotógrafo Hata Kazuma.


O que me intrigou na maioria de seu trabalho foi a falta de senso de identidade. As pessoas fotografadas estão em lugares insólitos, inesperados em poses estranhas, deitadas no chão, largadas no meio de uma floresta, de cara para a parede ou simplesmente nus.

026.jpg

O senso de composição de suas imagens é bem forte e marcante. Quando coloca as pessoas bem no centro da imagem e abre a composição só para mostrar que não há nada de mais interessante mas apenas uma expansão do ambiente onde se encontra o objeto o que dá a impressão de solidão, de diminuição do papel do homem e da ampliação da força da natureza em relação ao homem. O contraste na composição revela que a natureza predomina sobre o homem e não o contrário.

hata2.jpg

Algumas imagens recortam uma pequena porção do ambiente que o está aprisionando talvez a necessidade de deitar no chão, se despir seria uma forma tentar se conectar com a natureza de alguma maneira, sentindo-a, imitando-a, poetizando-a. Uma pessoa tenta entrar num apartamento. Ela supostamente escalou o prédio para poder estar do lado de fora da janela tentando entrar. Estaria ela roubando o lugar, fugindo dos horrores da sociedade, procurando abrigo, ou simplesmente esqueceu a chave e não encontrou outra maneira mais fácil e rápida de se adentrar no local. Seja qual for a intenção, a imagem abre espaço para a contemplação o que é uma marca no trabalho de Hata Kazuma.

014.jpg O que estaria fazendo uma pessoa no mar sozinha? E uma mulher olhando para a parede, imóvel como uma estátua? O que faz uma criança deitada no meio de uma floresta onde um feixe de luz ultrapassa as árvores e forma um círculo onde deveria estar o ser um local agradável mas tem uma criança deitada, talvez dormindo, talvez morta. A dúvida está sempre incutida em suas fotos e abre uma discussão que pode não ter fim.

024.jpg

O mais interessante é que o corpo de seu trabalho é intrigante, dá margem ao questionamento, busca estranhar o público mas de uma forma bem sutil, quase zen. Mergulhar em seu mundo é um trabalho árduo e talvez você só saia dele depois de muito tempo tentando responder as suas próprias perguntas. Pouca informação há na rede sobre seus feitos. A maioria está em japonês no site do artista. Mesmo assim eu acredito que somente suas imagens já falam por si.

hata1.jpg


João Ricardo

Criador criativo de criações aleatórias.
Saiba como escrever na obvious.
version 1/s/fotografia// @obvious, @obvioushp, @obvious_escolha_editor //João Ricardo
Site Meter