monólogos diálogos e discussões

Encontros (e desencontros) de ideias, coisas, pessoas, literatura, psicologia e cinema.

Luana Peres

Ser livre, leve e aberta as possibilidades. Já foi finita. Hoje, através dos seus escritos e delírios, preserva a pretensão de ser infinita e poder transformar o mundo

Ano Novo, Promessas Velhas

Depois de longos 12 meses, o calendário fecha um ciclo que chamamos de ano. Nossa vida nem sempre acompanha este ritmo e muitas vezes o novo ano pode não trazer as mudanças que almejamos. Um dia depois do outro é apenas um dia depois do outro, mas você pode mudar o que quiser e quando bem entender. Pense nisso e não espere a grande virada. Vire agora!


1526732_797603480266629_1292564899_n.jpg

Na TV, pessoas dizendo o que vestir no Réveillon. O que comer no Réveillon. O que fazer no Réveillon.

Eles informam a cor, as sementes, as frutas e os rituais que trarão sorte. Eles nos dizem qual a melhor maquiagem para o nosso vestido, e as maquiagens que mais combinam com a praia, com o dia, com a tarde e com a noite.

Dão aulas de etiquetas e toques para evitar gafes. Ensinam como preparar suas refeições e até como reaproveitá-las no dia seguinte.

Eles transmitem uma enxurrada de mensagens de otimismo e nos incentivam a criar metas para o ano que se inicia.

Eles fazem retrospectiva de quase tudo e reprisam os melhores momentos do ano (segundo eles, claro!). Eles passam filmes que foram lançados há, pelo menos, cinco anos atrás e anunciam os "lançamentos" do ano seguinte.

Eles nos invocam a fazer uma reflexão do ano que passou e supervalorizam a virada do ano, transformando esta passagem num símbolo de grandes mudanças.

Eles nos fazem acreditar que de um dia para outro nossa sorte mudará. Nós conseguiremos parar de fumar, de beber, de comer, de se apaixonar por pessoas erradas e de continuar relações destrutivas.

Eles, realmente, acreditam no poder do calendário.

Eu não.

Eu não acredito. Eu não acredito em promessas de ano novo, em sete ondas, em pulinhos, em romãs, em sal grosso ou lentilhas.

Eu acredito, apenas, que todo tempo é tempo de mudança, toda hora é hora para fazer a diferença e, todo dia é dia de renascer!

Portanto, mudo (ou não) hoje, mudo (ou não) agora!

A vida é muito rica e muito complexa para obedecer as regras de um simples calendário.

Agora, se você quiser vestir branco, pular as sete ondas, guardar sete caroços de romã na carteira... Faça! Eles podem não fazer um milagre na minha vida, mas também não irão prejudicar ninguém. Aliás, eles podem até servir como elementos representativos de uma mudança que poderá, ou não, ocorrer.

Isso, felizmente, só dependerá de você!


Luana Peres

Ser livre, leve e aberta as possibilidades. Já foi finita. Hoje, através dos seus escritos e delírios, preserva a pretensão de ser infinita e poder transformar o mundo .
Saiba como escrever na obvious.
version 1/s/recortes// @destaque, @hplounge, @obvious, @obvioushp //Luana Peres