monólogos diálogos e discussões

Encontros (e desencontros) de ideias, coisas, pessoas, literatura, psicologia e cinema.

Luana Peres

Ser livre, leve e aberta as possibilidades. Já foi finita. Hoje, através dos seus escritos e delírios, preserva a pretensão de ser infinita e poder transformar o mundo

Narciso: O Homem Farejador

Você é um homem farejador ou se relaciona com um? Repense o seu lugar e veja se o desejo de continuar é maior que a frustração que este tipo de comportamento apresenta.


872587.jpg

Narciso Por Caravaggio, 1596 (imagens: Google)

O homem farejador é aquele que mexe com você e que sabe bem como. Ele busca, entre tantas coisas, satisfazer seu ego extremamente frágil e superficial, além de alternativas amplas, de curto e longo prazo, caso fiquem sem um poste para chamar de seu.

Há relatos, próprios e próximos, de um comportamento bastante significativo de pessoas que foram embora e voltaram achando que ainda valiam alguma coisa. A história você já deve até imaginar... A pessoa se aproxima, usa, abusa, esnoba, desaparece e, depois, como se nada tivesse acontecido, volta para verificar se tudo ainda está no mesmo lugar. Ela analisa a situação e, como um cachorro em busca de um poste, te fareja. Ela quer saber em que fase você está para que possa se aproveitar de uma eventual paixão, carência, esperança ou desespero.

Como um cachorro, ela não quer a refeição completa, mas insiste em “protegê-la” de terceiros e farejá-la de tempos em tempos, num típico comportamento de posse e egocentrismo. O narcisismo, conceito da psicanalise que define o individuo que admira exageradamente a sua própria imagem, revela a incapacidade de relação amorosa autêntica, pois se alimenta da ideia de que nenhum objeto pode ser tão bom quanto ele. Se, por um lado, ele precisa e mantem o outro para manter sua autoimagem; por outro, o afasta, de modo que não há ação e relação com o objeto externo, pois ele se basta e é, para si, ideal.

O homem farejador é individualista, não admite frustrações e pode reagir a elas de maneira infantilizada e destrutiva, justificando seu comportamento hostil quando volta a farejar e é rejeitado. Essa agressividade, promovida graças a insatisfação recorrente a frustração de não estar em primeiro lugar, abastece comportamentos de ataques contra o objeto de modo que a mulher se sinta acuada e até culpada por não dar a ele a atenção que merece (ou pensa merecer).

Echo_and_Narcissus_-_John_William_Waterhouse.jpg

Eco e Narciso Por John William Waterhouse, 1903 (imagens: Google)

Há casos e casos, e a generalização é sempre um risco, no entanto, partindo de um comportamento padrão percebido e bastante discutido em rodas de conversas, o homem farejador vai aparecer quando você menos esperar (e provavelmente será numa fase de maior fragilidade e libido), para um sexo casual, um passeio com a família, uma conversa na madrugada, um rolê com os amigos, uma cerveja sem compromisso, um convite para ver netflix...

Se você estiver disponível, segura e firme sobre o que deseja, nada impede que aceite a aparição repentina e faça o que tem vontade. No entanto, se não está certa sobre o que quer, é importante entender que, para o homem farejador, todas essas atividades não estão combinadas porque, como já dissemos antes, ele não quer o peso da refeição completa, só beliscar vez ou outra e cuidar para que ninguém se aproxime.


Luana Peres

Ser livre, leve e aberta as possibilidades. Já foi finita. Hoje, através dos seus escritos e delírios, preserva a pretensão de ser infinita e poder transformar o mundo .
Saiba como escrever na obvious.
version 1/s/recortes// @obvious, @obvioushp //Luana Peres