musical insane

Sons em trânsito

Irene Leite

Jornalista. Prestes a fundar um jornal de música e com um livro prestes a ser lançado , falta-lhe apenas a arvore e o filho. Apadrinha causas (imp)ssiveis e adora histórias de pessoas comuns, shoppings e supermercados.

Pulp, Different Class, recontado por Irene Leite

Sou uma apaixonada por cultura pop. Este ano lanço um mini conto , em que reconto o clássico álbum da britpop dos anos 90, Different Class, da autoria dos icónicos Pulp.
Tal como Jarvis impregna tão eficazmente nas suas canções, podem esperar algum non sense e humor (tentei) neste pequeno conto que aborda as pessoas comuns, shoppings e supermercados.


different class-urban.jpg

Tento narrar o icónico registo Different Class ao máximo.Traduzi algumas músicas (Pencil Skirt, Feeling Called Love, Underwear, Disco 2000, Live Bed Show) e enquadrei-as na história que construí. Jarvis Cocker facilitou-me imenso a vida, pois os seus vídeos e letras são verdadeiras histórias carregadas de non sense, como eu tanto aprecio.

Prólogo

Segunda de manhã, ai que vontade de ficar na cama. Não há nada para fazer mesmo! Porquê viver no mundo, se a cabeça pode ser o nosso palco?

Mas estou a fugir das minhas responsabilidades. Afinal de contas , é hora de ir ao psiquiatra. É que há “monstros que ainda não foram ultrapassados”. Quer uma apresentação, doutor? Vamos a isto!

Tenho 35 anos, continuo solteiro, mas com algum juízo. Não o tomo por completo, porque quero poupá-lo. Ah! Ah! Que o meu irmão não leia estas minhas confissões, pois sente-se logo frustrado. A terapia que tentou inculcar-me falhou…redondamente!

O importante é que “sobrevivi” a uma paixão louca, daquelas que nos deixam muito ceguinhos. E agora, pensando melhor, a rapariga nem era nada de especial. Ok, há uma pontinha de inveja nestas minhas palavras.

Encontrei-a há meses, ainda bela, com os seus filhos num …supermercado! Argh , que maldição. Continua bem casada com o Tomás e dedicou-se a tempo inteiro à maternidade.

Às vezes penso como teria sido a minha vida com esta mulher se tivesse a oportunidade na minha juventude de namorá-la. Mediante todas as loucuras que fiz por ela , não poderia ser só desejo…. O meu irmão falhou mais uma vez. Não me apareceram mais “Déboras” e eu por aqui fiquei… taciturno, lúgubre.

Claro que muitas mulheres passaram pelo meu caminho, mas nenhuma era como ela. Eu bem tentava encontrar semelhanças nas minhas namoradas, mas… Nada! Ninguém era uma representação tua. Nem de perto, nem de longe!

E o resultado está à vista. Tornei-me num neurótico, que passa a vida em supermercados , tentando ser o que nunca fui…uma pessoa comum!

Eu quero uma vida, senhor doutor!

Muito brevemente também será lançada a extraterrestre mais musical de sempre:A Ziggy Brown!

Até lá fiquem com as pessoas comuns, shoppings e supermercados.

Obrigada


Irene Leite

Jornalista. Prestes a fundar um jornal de música e com um livro prestes a ser lançado , falta-lhe apenas a arvore e o filho. Apadrinha causas (imp)ssiveis e adora histórias de pessoas comuns, shoppings e supermercados. .
Saiba como escrever na obvious.
version 1/s/recortes// //Irene Leite