não matarás

O hediondo e banal

Paola Rodrigues

Concorda com Salinger, todos batem palmas pelas razões erradas

Quando sua mãe te faz mal

A maternidade é cercada de vários fantasmas e dilemas, onde o culpado pode ser a vítima. O trabalho da fotógrafa Tierney Gearon pode ser resumido numa única frase: as escolhas dos pais ditam o sofrimentos dos filhos.


12.jpg The Mother Project Não consigo contar quantas vezes uma mãe levou a culpa pelos atos dos filhos. Quando vejo na TV algum criminoso, posso ouvir mentalmente alguém falando "Culpa dos pais, que não criou direito" ou "Culpa da mãe, que não deu amor". A maternidade vem com sua dose de culpa, as vezes é um caminho solitário onde nós mulheres encontramos obstáculos nunca imaginados. Sabemos que seremos culpadas por atos que não são nossos, não foram frutos da criação e quando o são, talvez a frase de uma música faça muito sentido.

"São crianças como você, o que você vai ser, quando você crescer?".

Renato Russo cantou isso, mas a verdade é que a imagem da mãe não pode se ausentar de toda culpa, porem temos uma sociedade que vê o seio como a fonte do mal, sem refletir sobre todas as catástrofes que podem ter acontecido para que aquela situação se concretizasse. É uma história de gerações banhada em lágrimas e abusos na maioria das vezes.

O que nós, crianças já crescidas fazemos com isso? 10 anos de terapia, yoga, drogas, relacionamentos violentos, baixa auto estima e em casos raros: arte.

2.jpg

A marginalização, o sofrimento, a dor e o descaso pode ser o combustível para uma liberação honesta, sincera, chocante e no trabalho de Tierney Gearon nós temos isso. É um desabafo sincero de uma menina que morreu com sua inocência.

A fotógrafa ao lembrar de sua infância afirma "Minha mãe não tinha limites". Segundo a mesma, foi uma hierarquia que a jogou no papel de mãe, com 4 crianças na Georgia, uma lei que a mulher deve casar e procriar, por mais que não tenha nenhuma condição mental ou vontade para isso. O que temos são mulheres infelizes e afogadas no próprio amargor, marcando sua própria cria com a dor.

Tierney ainda diz que era uma experiência muito dolorosa e feliz estar ao lado da mãe e que em cada imagem ele percebeu que estava registrando pedaços da própria alma, como ela se sentiu e viu cenas que foram banais na sua infância, mas que poderiam colocar qualquer um num hospício ou em algemas mais duradouras.

Provavelmente você que estará vendo essas imagens ficará chocado, talvez classifique como mal gosto, mas a verdade é que abusos estão estampados todos os dias na nossa face e nós não vemos, não nos preocupamos, apenas vivemos, o que podemos fazer afinal?

Tierney Gearon fez algo.

3.jpg

5.jpg

7.jpg

9.jpg

15.jpg

16.jpg

17.jpg

18.jpg

The Mother Project


Paola Rodrigues

Concorda com Salinger, todos batem palmas pelas razões erradas.
Saiba como escrever na obvious.
version 1/s/fotografia// @destaque, @obvious, eros //Paola Rodrigues