não matarás

O hediondo e banal

Paola Rodrigues

Concorda com Salinger, todos batem palmas pelas razões erradas

Ilustre Z

Ezekiel Moura é o artista por de trás da página Ilustre Z. Com um traço fluído e abundância de detalhes, o brasileiro nos dá uma pequena aula de amor à arte.


1016203_719359788104496_337832523_n.jpg "O Filho do Lobo"

Ilustre Z é a página no Facebook do artista Ezekiel Moura, que provavelmente é um dos artistas mais detalhista que tive contatos nos últimos tempos. Faz algumas semanas que estou de olho e venho acompanhando o trabalho incrível pela página.

Para quem não sabe, mantenho um blog pessoal há quatro anos, que se chama A Menina da Tarja Preta, que tem um pequeno montante de quase 100 posts de artistas que me inspiram ou que encontrei na árdua busca por talentos que me chamassem a atenção. Algumas coisas resolvi passar para cá, no intuito de expandir um projeto isolado, que nada mais é que apresentar artistas brasileiros para brasileiros - e ao mundo, porque não?

1509655_720276248012850_2074645279_n.jpg

Ezekiel atualmente reside em Curitiba e cursa Artes Visuais na UFPR, é ilustrador em tempo integral, mas antes de encontrar o caminho das pedras para a arte, ele pretendia ser algo bem distante da area "Na época eu cursava direito e pensava em ser advogado, mas me via rabiscando em praticamente todas as aulas. Com o tempo entendi que não queria advogar. Nesse meio tempo conheci o trabalho do Rafael Grampá, um dos melhores quadrinistas desse mundo. Olhei a arte dele e entendi que era aquele tipo de coisa que eu queria criar. A partir daí foram quatro anos de muita mudança, tanto no traço quanto na vida. Foi um salto de fé. Sem garantias, sem dinheiro e sem apoio. Mas tudo isso nutriu o trabalho e me ensinou muito".

ccce269277bfb5f806907c44b18605d4.jpg "O Evangelho Astronauta"

Numa breve olhada nas obras colocadas na página é visível a evolução do trabalho, que segundo o autor, também se inspira em Jean Giraud, Will Eisner, Dalí, Laerte, Ziraldo, Katsuhiro Otomo e Hayao Myayazaki.

O que mais me chamou a atenção no trabalho de Ezekiel - além da complexidade do traço - foram os temas abordados em cada ilustração. Em "As Moiras" temos o que lembra o mito das três irmãs que determinavam o destino tanto dos humanos, quanto dos Deuses, sendo de extrema importância na mitologia Grega.

Instigada por todas as outras referências que encontrei, questionei qual era o impacto da mitologia no trabalho "Bem, sim, com certeza existe muita mitologia no meu trabalho. Não é algo premeditado, mas são temas que trabalham com arquétipos. A Mitologia é isso. E sendo algo tão essencial, é natural que aflore na criação quando não se busca um resultado especifico. Quando começo uma ilustração raramente tenho um tema, ele aparece cedo ou tarde e toma conta de tudo, mas de inicio é só um fluxo de idéias correndo sem parar".

c87bdb4e2a53207aad28a1cb762c5296.jpg "As Moiras"

Conhecendo e tendo no eu círculo de amigos vários ilustradores, algo que geralmente se aflora na minha curiosidade, é como outros artistas veem a area no Brasil, onde geralmente o profissional - ou qualquer um que trabalhe com arte - pode ser facilmente ver seu esforço tachado como hobby e sofre sérios problemas para impor valor ao trabalho.

Quando demonstrei minua curiosidade por sua opinião, ele me respondeu "Eu desisti de tentar ter clientes. Sou um péssimo profissional se eu precisar me adequar a vontade de outra pessoa. O que acabo criando surge sem mediação, sem intromissão de qualquer outra pessoa. Então não estou no mercado. Mas acredito que não existe outro pais com pessoas tão dedicadas, caprichosas e criativas quanto aqui quando o assunto é arte. Nós somos um povo que tem seus preconceitos e mazelas culturais, certos cabrestos e a eterna mania de olhar maravilhado para oque vem de fora e não olhar pro cara ao lado com um trabalho maravilhoso. Eu todos os dias vejo artistas mostrando o seu trabalho em constante evolução e crescimento. Nesse panorama eu acredito. Agora eu posso ir em um grupo do Facebook e apresentar dezenas de artistas que sendo muito seletivo escolheria. É muita gente ,com muito trabalho original e cheio de personalidade. Eu acredito nessa galera, quem não bota muita fé, são as agências, estúdios e outros veículos que poderiam comportar e dar trabalho para muita gente e não fazem. Acredito que tem muita gente prática e pouca gente criativa nesses lugares. Estão lá pra fazer o básico e cobrar isso a peso de ouro. É muito amigo abrindo porta para amigo e fechando a mesma porta na cara de alguém com um trabalho realmente interessante. Fico feliz em estar inserido em uma cena que não precisa mais se preocupar em se adequar aos moldes, a internet abre as portas, favorece o diferente e inquieto. É uma vitrine, uma galeria, um museu, um muro onde todos podem grafitar. Enfim, deixar sua marca de alguma forma. Meu trabalho é a minha marca, sem interesse ou intuito de agradar esta ou aquela parcela. Eu faço e fico feliz quando isso atrai alguém. Tudo o que eu quero é continuar criando e mostrando isso aos outros. Só isso".

1509189_717304894976652_840244884_n.jpg Ezekiel ilustrando "A Criação"

O que nos leva realmente a questionar a visão do brasileiro sobre sua própria gente. Um ponto ressaltado por Ezekiel deve ser levado a sério e questionado por todos - porque afinal, é algo sobre nosso mercado de trabalho atual - a descrença do próprio brasileiro por aquilo que seu "irmão do lado" cria. Enquanto fulano no exterior é aplaudido, comprado e super valorizado, nós não nos interessamos ou abrimos as portas para talentos tão incríveis quanto e definitivamente mais acessíveis.

d6473ad8fc0471106d10ff7df10b7acb.jpg "O Evangelho Astronauta"

Todas as ilustrações são bem complexas a meu ver, já que minha pessoa que atualmente não consegue desenhar uma casa numa folha de papel, fiquei bem curiosa sobre o tempo e a técnica que é necessária para composições tão detalhistas "Todo mundo nasce e sabe desenhar. Sabe pegar qualquer coisa que risque e representar algo. Mas por algum motivo as pessoas param de desenhar em algum momento e só alguns continuam. É estranho, se você pensar, o ato de representar a realidade em forma de desenho, é uma das manifestações de linguagem mais primitivas e poderosas que temos e depois de milhares de anos quando alguém aparece criando algo muito elaborado as pessoas chamam de talento ou dom, quando na verdade o cara apenas continuou desenhando. Ilustrar é algo tão trabalhoso, tão repetitivo e demorado que apenas amando o ato é possível realizar algo. De fato existe muito detalhe, muita linha e traço e as ilustrações as vezes levam dias para serem finalizadas. É muito trabalho, mas todo trabalho de arte exige esse tipo de entrega".

da2206876a26768f00095a115d6a78f1.jpg "O Evangelho Astronauta"

Este texto é fruto de uma pequena entrevista concedida por Ezekiel e as imagens foram retiradas com consentimento do seu portfólio do Behance e em sua página no Facebook - que esta autora aconselha uma "curtida" para acompanhar os futuros trabalhos deste jovem ilustrador que promete sucesso.


Paola Rodrigues

Concorda com Salinger, todos batem palmas pelas razões erradas.
Saiba como escrever na obvious.

deixe o seu comentário

Os comentários a este artigo são da exclusiva responsabilidade dos seus autores e não veiculam a opinião do autor do artigo sobre as matérias em questão.

comments powered by Disqus
version 1/s/artes e ideias// @destaque, @hplounge, @hp, @obvious, @obvioushp, @obvious_escolha_editor //Paola Rodrigues