não vale o sopro

Não há nota de rodapé que note.

obvious magazine

There are those that look at things the way they are, and ask why? I dream of things that never were, and ask why not?

A penúltima marcha


5035049048_55c050dcfe_z.jpgsei que, se entrar no carro, puxar o cinto, olhar o retrovisor e não sentir a perna alheia; se o carro apagar em susto, o banco sorrir vazio e a marcha reclamar a troca; sei que não haverá discordância entre opiniões contrárias - contraditoriamente complexas, completas entre si; não haverá dor compartilhada ou felicidade exagerada (se é o que ainda há); não haverá o que deve haver para inspirar alguém a sonhar, a escrever, a pintar; não haverá cores com as quais as crianças sorriem bobas por não conhecer a nossa vida boba que é; não haverá vontade de substituir a negativa pela afirmativa - sabendo que a quantidade de sílabas é exatamente a mesma. exatamente a mesma! a mesma porcaria de número silábico e tanta diferença...

tanta diferença! tanta indiferença! tanta vontade de não ter vontades que cantar calado é sutilmente, comodamente, mais fácil, mais simples, mais claro.

e diferença nenhuma faz entre isso e nada: é tanta letra e tão pouca palavra!


Lucas Reis Gonçalves

Lucas Reis Gonçalves é poeta e articulador cultural. Novo-hamburguense morador da capital gaúcha, foi finalista do Prêmio AGEs de Literatura com o seu primeiro livro, Se soubesse o que dizer, diria em prosa (Paco Editorial, 2011), e, através dele, criou, juntamente com o músico Dado Vargas, um novo projeto de declamação poética: Eletropoeteria. Lucas nasceu em 1990 e atualmente escreve para sites de literatura (públicos e independentes)..
Saiba como escrever na obvious.
version 1/s/literatura// //Lucas Reis Gonçalves