nude but not naked

Reflexões sobre arte, imagem e hiper-realidade na contemporaneidade (e outras cositas más) ...

Viviane Rodrigues

Fotógrafa, docente, jornalista, apaixonada por arte. Passa a vida como "voyeur": olho no ecrã. Tem sempre disposição para prosa e poesia.

EDIÇÃO FOTOGRÁFICA ARTÍSTICA NO SÉCULO XIX TEM NOME: OSCAR GUSTAVE REJLANDER

Mais que um sueco bom de fotografia, um criador de ilusões.


Provavelmente sueco, nascido em 1813, pintor, pouco se sabe também como chegou a Inglaterra, país em que se estabeleceu. Na verdade, quase nada se conhece sobre a vida de Oscar Gustave Rejlander. No entanto, a obra do fotógrafo é única, já que Rejlander combinava uma série de diferentes negativos para criar uma imagem final, ou seja, foi conhecido como um grande artista, editor de imagens.

O trabalho mais conhecido do fotógrafo foi “The Two Ways of Life”, uma fotomontagem. A mise-en-scène foi criada em 1857 e mostra um sábio, que conduz dois jovens a idade adulta. Um atende ao chamado dos vícios: jogos de azar e prostituição. O outro - com menos entusiasmo – busca a vida cheia de virtude; na religião, na família, no trabalho.

800px-Oscar-gustave-rejlander_two_ways_of_life_(HR,_sepia).jpg

Além de ser uma obra fotográfica de grande porte para a época, possui quase 80 centímetros por 40, é reconhecida também como a primeira exibição pública de um nu fotográfico. Embora o museu estivesse cheio de quadros e estátuas onde a nudez estava presente, a fotografia ainda era percebida muito fortemente, como parente mais próxima da Realidade e causou grande polêmica. Pictorialista na essência, Oscar - que talvez, na contemporaneidade, adoraria trabalhar com o Photoshop, com o Maya, quem sabe aventurar-se com o Premiere no audiovisual - produziu outras inúmeras belas obras fotográficas não- jornalísticas.

anightonthestreetsoflondon.jpg

sweetslumber.jpg

recliningfemalenude.jpg

firstilostmypen.jpg Oscar tinha cara de ser "gente boa".

(Resultado das pesquisas na busca por material para a dissertação "LA PETITE MORT: TRÊS SÔFREGOS MOMENTOS NO CINEMA". O trabalho de forma generalizada contempla estudos sobre corpo, sexo, erotismo, pornografia, fotografia, censura e o orgasmo no cinema. Fine art nude photography pode ser vista em: www.fotografiaorganica.com.br


Viviane Rodrigues

Fotógrafa, docente, jornalista, apaixonada por arte. Passa a vida como "voyeur": olho no ecrã. Tem sempre disposição para prosa e poesia..
Saiba como escrever na obvious.
version 2/s/fotografia// @obvious, @obvioushp //Viviane Rodrigues