o atirador de palavras

Nem sempre o axioma define tudo, é mais que um contexto é o amar de forma pura.

Gustavo Piffer

Um substantivo. Não dois. Amar o mundo. É correto caracterizar essa vida corriqueira? Sim, e também é correto vivê-la.

O que se quer?

"...Como três boas pequenas irmãs, Anna nos empurrou lento e suavemente. Todas as minhas dores tinham desaparecido. As pessoas que eu mais gosto em todo o mundo estavam comigo. Eu podia ouvir sua conversa em torno de mim. Eu podia sentir a presença de seus corpos, o calor de suas mãos. Eu queria segurar o rápido momento e pensei: “Aconteça o que acontecer, esta é a felicidade”. Não posso desejar algo melhor. Agora, por alguns minutos, posso experimentar a perfeição. E eu me sinto profundamente grata a minha vida, que me deu tanto."


Sobre o efeito de um gole de água, eu me disputo com o desejo de pressa e a sensação de leve mal-estar e esfriamento análogo das minhas funções de equilíbrio humano, não voltado às necessidades humanas, mas ao que acarreta uma desordem do intelecto em órbita a profundo sentimento, ainda abalado eu confesso estar em choque sistemático, agradeço a Ingmar Bergman por proporcionar com maestria esse vislumbre em Gritos e Sussuros , a respeito do humano familiar.

Ana e Agnes.jpg Anna Acolhendo Agnes em seu momento de agonia.

Sempre busquei falar da alma como uma áurea divina, algo que fosse nós de maneira superior, um pedaço interno da gente sem distinção, maldade ou desejo. E de maneira sucinta simples e clara, Ingmar definiu a alma nesse contexto de Gritos e Sussuros como uma “úmida membrana em diversos tons de vermelho”. E é ao longo da história que vemos as três irmãs passar por um processo crítico a suas almas e sentimentos. Somos embaulados neste instigante vermelho que como o próprio disse, remete-se a alma.

Mas que Alma é essa? Temos falado de alma e de sentimentos, a dor é o debate como um elo entre três pessoas filhos da mesma mãe e que por questões não reveladas acentuam suas funções como traumatizadas talvez na infância e que agora adultas não conseguem esquecer o passado e se martirizam sobre o orgulho. São casadas e de modo atordoado simulam uma felicidade perante a frieza de seus maridos, homens devotos do prazer e do dinheiro.

gritos-e-sussurros.jpg As irmãs: Maria e Karin.

Existe um detalhe que firma a ideia de suprir a ausência de sentimentos em meio ao frio que se passa ao longo da história, Anna é a governanta, a peça de um jogo de vidas que se opõem ao sentimento das irmãs que aparentam ser obrigadas a assistir os últimos momentos dolorosos de Agnes.

Seria imprudência do destino em submeter à perda da filha de Anna e a deixar Agnes à irmã que dota de amor e sucumbe à dor a doença sem cura? Seria justo? Não, entra em questão a utilidade de cada um à vida. Agnes foi submissa ao amor Ágape de Anna, por se esvanecer ao sentimentalismo forçado das irmãs cheias de turbulências viciosas e segredos íntimos. Insatisfação, esse é o gênero que afoga cada uma, a desordem é uma lesão levada a sério para elas, sentem falta de algo que as completem, e por vezes é o sentimento que mais se manifesta na sociedade. Por vezes elas se posicionam como insatisfeitas e se interrogam intimamente. Nos momentos de lembranças em que elas se destacam é conclusivo para nós reles espectadores.

Gritos e Sussurros.png A instigante sala vermelha.

Anna reflete a caricatura mãe, Agnes o símbolo do sofrimento injusto, Maria é a inocência perdida que se ergue numa mulher adulta com anseio de carinho, e Karin, o segredo por trás da frieza da irmã mais velha que supostamente esconde os sentimentos dos outros para manter-se firme em suas decisões.

Sob os barulhos dos tiques dos relógios espalhados por todo o quarto temos a sensação das horas a todo o momento é como se os relógios presenciassem o fim de Agnes. Pobre Agnes era por impulso que se submetia a sentir e ouvir as horas transcorrerem sua enfermidade. Tudo era registrado em seu diário que mais tarde se torna a única lembrança verdadeira para aquela que se manifestou com total simplicidade um sentimento que as irmãs esconderam diante de suas revoltas, o amor.

tumblr_m75pcrbd7V1qff0vao1_500.jpg O diretor Ingmar Bergman e a atriz Ingrid Thulin.

Ingmar Bergman com a sutil simplicidade transfere-nos a um passeio caótico e importante, que é conhecer nós mesmos em nosso íntimo, perdendo a decência da família, do companheirismo e individualidade. O que se quer, é a descoberta.


Gustavo Piffer

Um substantivo. Não dois. Amar o mundo. É correto caracterizar essa vida corriqueira? Sim, e também é correto vivê-la..
Saiba como escrever na obvious.
version 2/s/// @destaque, @obvious //Gustavo Piffer