o canto de pandora

Tenho uma mente crónica, que até a mim me espanta, confesso...

Armanda Andrade

Como as ondas do mar, tento alcançar a terra, mas sou capricho das marés e vagueio entre mundos. Tenho uma mente crónica. E gosto de café com pimenta e canela.

Dia D - Os fantasmas da Normandia

No dia D, as Forças Aliadas desembarcaram em força na Normandia, naquele que é, ainda hoje, o ataque anfíbio de maiores dimensões jamais realizado. Se os fantasmas se aquietaram nas fotografias de arquivo, é porque a Europa, hoje, está em paz. Setenta anos depois, o mundo pulou e avançou. Mas os cenários, esses, lá permanecem. Pitorescos agora, porém.


Numa das melhores cenas de guerra jamais filmadas, Spielberg invocou com cru e doloroso realismo a infernal vivência da invasão da Normandia, no dia D, 6 de Junho de 1944, nas primeiras e longas imagens de tremendo realismo do filme "O Resgate do Soldado Ryan". Que o mundo não esqueça, é para isso que servem as efemérides, os arquivos, os museus que, um pouco por todo o mundo, lembram o tempo das Trevas mais profundo do séc. XX. A História é conhecida, pelo que vou apenas apresentar as fotos de ontem versus hoje e desvendar os nomes de código para a Operação e praias, usados na altura.

0-uc68a.1.jpg

A operação recebeu os nomes de código "Operação Overlord" e "Operação Neptuno"; ao mesmo tempo, engendraram-se também operações de engodo montadas com os nomes de código "Operação Glimmer" e "Operação Tributável", que serviram para distrair as forças da Alemanha nazi das áreas reais projectadas para a invasão. Os desembarques desenrolaram-se ao longo de uma área de 80 km na costa da Normandia, em França, dividida em cinco sectores: Utah, Omaha, Gold, Juno e Sword.

1-Weymouth, InglaterraREUTERS -US NATIONAL ARCHIVES.jpg2-Weymouth, InglaterraREUTERS - CHRIS HELGREN.jpg Weymouth, Inglaterra REUTERS-US NATIONAL ARCHIVES / Weymouth, Inglaterra REUTERS-CHRIS HELGREN

3-Greenham Common, InglaterraREUTERS -US NATIONAL ARCHIVES.jpg4-Greenham Common, InglaterraREUTERS -CHRIS HELGREN.jpg Greenham Common, Inglaterra REUTERS-US NATIONAL ARCHIVES / Greenham Common, Inglaterra REUTERS-CHRIS HELGREN

"Omaha", mais conhecida como "Omaha Sangrenta", foi o palco da maior resistência alemã e a praia que deu maior trabalho às forças Aliadas. Omaha fora recheada de obstáculos espalhados por todo o terreno, segundo as ordens do Marechal Erwin Rommel, com o objectivo de dificultarem ao máximo a progressão dos tanques Aliados. Havia também armas anti-navais e metralhadoras MG42, para travarem o fluxo dos soldados que invadiam o perímetro. Pelo terrível preço de mais de duas mil mortes, os Aliados venceram a batalha, invadindo o flanco superior esquerdo da praia através da barreira de arame e destruindo os bunkers ali erigidos. Praia de "Omaha" era uma alcunha de código dado ao Canal da Mancha, visando impedir a intercepção das mensagens entre os EUA e a Inglaterra pelo exército alemão. Era crucial ocultar o real local de desembarque aos nazis! Aqui se apresenta o inferno documentado da época, num contraste flagrante com o clima plácido e pitoresco nos dias de hoje:

5-Omaha Beach, Vierville sur Mer, FrançaREUTERS - ROBERT F. SARGENT -US NATIONAL ARCHIVES.jpg6-Omaha Beach, Vierville sur Mer, FrançaREUTERS - CHRIS HELGREN.jpg Omaha Beach, Vierville sur Mer, França REUTERS-ROBERT F. SARGENT-US NATIONAL ARCHIVES / Omaha Beach, Vierville sur Mer, França REUTERS-CHRIS HELGREN

7-Omaha Beach, Colleville sur Mer, FrançaREUTERS - WEINTRAUB - US NATIONAL ARCHIVES.jpg8-Omaha Beach, Colleville sur Mer, FrançaREUTERS - CHRIS HELGREN.jpg Omaha Beach, Colleville sur Mer, França REUTERS - WEINTRAUB-US NATIONAL ARCHIVES / Omaha Beach, Colleville sur Mer, FrançaREUTERS - CHRIS HELGREN

11-Omaha Beach, Vierville sur Mer, FrançaREUTERS - CPT HERMAN WALL - US NATIONAL ARCHIVES.jpg12-Omaha Beach, Vierville sur Mer, FrançaREUTERS - CHRIS HELGREN-1.jpg Omaha Beach, Vierville sur Mer, França REUTERS - CPT HERMAN WALL-US NATIONAL ARCHIVES / Omaha Beach, Vierville sur Mer, FrançaREUTERS - CHRIS HELGREN

19-Omaha Beach, Saint Laurent sur Mer, FrançaREUTERS - US NATIONAL ARCHIVES.jpg20-Omaha Beach, Saint Laurent sur Mer, FrançaREUTERS - CHRIS HELGREN.jpg Omaha Beach, Saint Laurent sur Mer, França REUTERS - US NATIONAL ARCHIVES / Omaha Beach, Saint Laurent sur Mer, França REUTERS - CHRIS HELGREN

21-Omaha Beach, Colleville sur Mer, FrançaREUTERS - US NATIONAL ARCHIVES.jpg22-Omaha Beach, Colleville sur Mer, FrançaREUTERS - CHRIS HELGREN.jpg Omaha Beach, Colleville sur Mer, França REUTERS - US NATIONAL ARCHIVES / Omaha Beach, Colleville sur Mer, França REUTERS - CHRIS HELGREN

25-Omaha Beach, Trevieres, FrançaREUTERS - US NATIONAL ARCHIVES.jpg26-Omaha Beach, Trevieres, FrançaREUTERS - CHRIS HELGREN.jpg Omaha Beach, Trevieres, França REUTERS-US NATIONAL ARCHIVES / Omaha Beach, Trevieres, França REUTERS-CHRIS HELGREN

27-Omaha Beach, Trevieres, FrançaREUTERS - US NATIONAL ARCHIVES.jpg28-Omaha Beach, Trevieres, FrançaREUTERS - CHRIS HELGREN.jpg Omaha Beach, Trevieres, França REUTERS-US NATIONAL ARCHIVES / Omaha Beach, Trevieres, França REUTERS-CHRIS HELGREN

Utah era o nome de código para a praia mais distante das cinco áreas de desembarque na Normandia. Localizada na costa oriental da base da península de Cotentin, tinha sido adicionada durante o plano estratégico às áreas inicialmente previstas para a invasão. A área de desembarque de Utah era aproximadamente de 5 km e situava-se a noroeste do estuário de Carentan. Em comparação com as fortificações alemãs na Praia de Omaha, as defesas em Utah, compostas apenas de posições fixas de infantaria, eram escassas. Continuamos com Utah, no antes e depois:

9-Utah Beach, La Madeleine, FrançaREUTERS - US NATIONAL ARCHIVES - ARMY SIGNAL CORPS COLLECTION.jpg10-Utah Beach, La Madeleine, FrançaREUTERS - CHRIS HELGREN.jpg Utah Beach, La Madeleine, França REUTERS-US NATIONAL ARCHIVES - ARMY SIGNAL CORPS COLLECTION / Utah Beach, La Madeleine, França REUTERS-CHRIS HELGREN

29-Carentan, FrançaREUTERS - US NATIONAL ARCHIVES.jpg30-Carentan, FrançaREUTERS - CHRIS HELGREN.jpg

Juno era o nome de código para a segunda praia à esquerda das cinco áreas de desembarque na Normandia. Tinha uma extensão de aproximadamente 10 km e estava perto de Courseulles-sur-Mer, Bernières e Saint-Aubin; as dunas da praia tinham sido fortificadas pelos alemães, e houve muitas baixas. Todavia, o mais perigoso, logo à partida, para os invasores da praia de Juno, foram mesmo os recifes, que forçaram a que o desembarque fosse marcado para mais tarde, na manhã do dia D.

Imagens de ontem e de hoje:

13-Juno Beach, Bernieres Sur Mer, FrançaREUTERS - KEN BELL - NATIONAL ARCHIVES OF CANADA.jpg14-Juno Beach, Bernieres Sur Mer, FrançaREUTERS - CHRIS HELGREN.jpg Juno Beach, Bernieres Sur Mer, França REUTERS-KEN BELL-NATIONAL ARCHIVES OF CANADA / Juno Beach, Bernieres Sur Mer, França REUTERS - CHRIS HELGREN

Gold era o nome de código para a praia central das cinco áreas de desembarque designadas para a Batalha da Normandia. A praia tinha mais de 8 km de largura. Sobre ela estavam situadas as cidades costeiras de la Rivière e Le Hamel. Na extremidade ocidental da praia localizava-se a vila de Arromanches e, ligeiramente mais distante, a oeste, a cidade de Longues-sur-Mer.

23-Gold Beach, Ver-sur-Mer, FrançaREUTERS - NATIONAL ARCHIVES OF CANADA.jpg24-Gold Beach, Ver-sur-Mer, FrançaREUTERS - CHRIS HELGREN.jpg Gold Beach, Ver-sur-Mer, França REUTERS-NATIONAL ARCHIVES OF CANADA / Gold Beach, Ver-sur-Mer, França REUTERS - CHRIS HELGREN

Sword era o nome de código para a praia mais à esquerda das cinco áreas de desembarque na Batalha da Normandia. Com 8 km de extensão, que iam de Lion-sur-Mer à cidade de Ouistreham, a área tinha muitas casas de férias e estabelecimentos turísticos situados atrás de uma escarpa. Localizava-se também a aproximadamente 14 km a norte da cidade de Caen, uma cidade estratégica crucial tanto para os Aliados como para os Alemães. Em baixo, uma imagem do dia D em contraponto a uma actual, tirada no contexto das homenagens a essa data histórica.

a-Infantry_waiting_to_move_off_'Queen_White'_Beach Sword.jpgb-British veteran James Rawe at the D-Day commemorations held today on Sword beach.jpg Infantry_waiting_to_move_off in Beach Sword / British veteran James Rawe at the D-Day commemorations held in 6 June 2014 on Sword beach

Pointe du Hoc é uma escarpa situada entre as praias de Omaha e Utah, uma missão atribuída aos rangers do exército dos Estados Unidos no Dia D, que escalaram os seus penhascos para silenciarem as peças de artilharia ali colocadas e defendidas pela infantaria alemã.

15-Pointe du Hoc, FrançaREUTERS - US NATIONAL ARCHIVES.jpg16-Pointe du Hoc, FrançaREUTERS - CHRIS HELGREN.jpg Pointe du Hoc, França REUTERS-US NATIONAL ARCHIVES / Pointe du Hoc, França REUTERS-CHRIS HELGREN

17-Nonant-le-Pin, FrançaREUTERS - US NATIONAL ARCHIVES.jpg18-Nonant-le-Pin, FrançaREUTERS - CHRIS HELGREN.jpg Nonant-le-Pin, França REUTERS-US NATIONAL ARCHIVES / Nonant-le-Pin, França REUTERS - CHRIS HELGREN

31-Caen, FrançaREUTERS - NATIONAL ARCHIVES OF CANADA.jpg32-Caen, FrançaREUTERS - CHRIS HELGREN.jpg Caen, França REUTERS-NATIONAL ARCHIVES OF CANADA / Caen, FrançaREUTERS - CHRIS HELGREN

Termino com uma citação de Victor Hugo: "A guerra é uma púrpura debaixo da qual se oculta o homicídio."

Será que, agora, a Europa está mesmo em PAZ?


Armanda Andrade

Como as ondas do mar, tento alcançar a terra, mas sou capricho das marés e vagueio entre mundos. Tenho uma mente crónica. E gosto de café com pimenta e canela..
Saiba como escrever na obvious.

deixe o seu comentário

Os comentários a este artigo são da exclusiva responsabilidade dos seus autores e não veiculam a opinião do autor do artigo sobre as matérias em questão.

comments powered by Disqus
version 1/s/fotografia// @destaque, @hplounge, @hp, @obvious, @obvioushp, @obvious_escolha_editor //Armanda Andrade