o eremita laranja

Sublimações, bar e restaurante

San Ramon

... E um Mai Tai, por favor.

Regras de Exclusão

Das metodologias transespaciais


xilogravura-pavao-mae-da-lua.jpg

II

Há três formas de viajar interplanetariamente falando: modo executivo, modo econômico, modo suicida.

No executivo é o teletransporte limpo e imediato. Chega no instante. É o melhor modo com dinheiro ou alguma mutação genética que facilite o deslocamento espacial - fatal para qualquer pessoa que sofra de teletransportogenia. Na teletransportogenia o viajante/enfermo sofre uma entrópica explosão de introaniquilamento molecular primário; você é chupado pra dentro de você mesmo como um liquidificador batendo um microondas. Como descobrir a teletransportogenia? Teletransportando. O modo econômico é a criogenia em método dormitório; você pode cair em um encanto de sono, cair em catatonia, dormir por semanas se tudo der certo ou por séculos. E o mais seguro, o modo suicida.

No modo suicida você precisa vestir uma armadura de estanho (compradas em armeiros comerciais por 4 ou 5 moedas de prata, não aceite nada mais barato ou mais caro), entrar em um projétil de 30 por 20 metros que será enfiado em um canhão nuclear de 80 metros de diâmetro. 10 moedas de prata a passagem, 20 moedas de prata a apólice de seguro. Sentar e apertar o cinto - o sinto não pode ser retirado antes da passagem pela Lua. A sensação do tiro é a de ser pisoteado por um time de polo em uma orgia sexual montada. A comida de bordo é terrível também.

Na altura lunar eu decido ler o I Ching;

Entusiasmo no início, estou bem confiante de minha missão, entre os Senhores do Céu devo agir solene e altivo a começar pela ópera; e cuidar da nutrição, é melhor não encher a cara e pedir sopa de tartaruga, o Cosmos relembra que eu sofro de gastrite em gravidade artificial; antes da conclusão teremos surpresas no fim do artigo, ou início do próximo...

– Um praticante. Olá... Ou, ou, por todos os Malditos Deuses da Ciência, você!

Ao meu lado parado no corredor um androide. Um androide dourado com paletó e chapéu coco. Um conhecido meu de outros tempos, um cara que pode esclarecer todas as coisas e explicar não só a morte do anão como as consequências. Um indivíduo chave, um veterano, um artista, quando algo terrível aconteceu.

Algo terrível.

I: http://lounge.obviousmag.org/o_eremita_laranja/2015/06/um-funeral-para-um-anao.html


San Ramon

... E um Mai Tai, por favor..
Saiba como escrever na obvious.
version 2/s/literatura// //San Ramon