o olhar amor na arte após o fim da arte e da filosofia

Veja ao seu redor - a saída existe e está em tudo e em todos nós

Contreraman

Antes:
E as coisas que continuam já se foram. E as que se foram continuam para nunca terminarem. Até um fim que nunca vem.

Depois:
Vale o que tem amor.

O amor não existe

O amor mesmo, o amor desinteressado, não existe. O amor mesmo é “apenas” um ideal que mudou o mundo. Que deu um norte de idealismo às pessoas que não viam nada umas nas outras.


Real_Love.jpgNão vou me estender muito na explicação.

Claro, pessoas que dizem que se amam existem. Existem casais, existem filhos, existem netos, existem irmãos, mães e tudo mais. Os casais se enamoram, se juntam ou separam, têm filhos, vivem juntos ou não, até passam décadas juntos e podem até viver felizes ou não. Isso tudo é verdade. Existe amor de mãe, de irmão, de amigo, de amiga, de colega e tudo o mais.

Tudo isso existe.

Mas quando digo amor digo o que importa, que é amor que dá tudo para o outro. Esse não existe.

Existem pessoas que dão tudo para as outras? Existem. Existem pessoas que não notam? Existem, também. Existem pessoas que dão, uma à outra, tudo? Existem. Essas pessoas se amam? Quem sou eu para julgar? Pode ser que sim, pode ser que não. Não importa aqui.

Existem pessoas que dão tudo a outras e que nada recebem em troca? Existem – e eu mesmo sou uma dessas pessoas. Lamentável, claro, mas não cabe aqui misturar as bolas. Existem pessoas que não dão nada às outras e recebem muito ou mesmo tudo? Também. Eu fui uma dessas pessoas também – e também é lamentável. Mas não cabe confundir as coisas, ao menos aqui.

Mas o amor no sentido de dar tudo à outra e não esperar nada em troca existe? Não existe.

Pois descobri que amor é realmente entrega. E entrega é tudo. Acontece que ao dar tudo a gente se anula e não quer nada. E quando não quer nada o outro não gosta. Ao contrário, o outro despreza. E isso serve tanto para aquele que dá quanto para aquele que recebe. Mas e seu o outro quer algo? Pode querer muito, mas tão logo sente que é mais que tudo para a outro a pessoa, se desinteressa. Não faz parte do ser humano ter tudo de outra pessoa que se coloca totalmente ao seu lado.

Não faz parte do ser humano se colocar totalmente à frente do outro. Quando isso acontece, o ser humano tende a abusar. E, no caso mais ideal, se o ser humano se colocar totalmente à disposição do outro, se entregar mesmo, e o outro também, eles não vão mais saber o que fazer. Pode-se pensar em fazer algo para os dois, colocar uma espécie de união acima de tudo. Tudo bem, esse é o fundamento do casamento. Mas é um ideal, também. Não é um fato.

Ou seja, o amor mesmo, o amor desinteressado, não existe. O amor mesmo é “apenas” um ideal que mudou o mundo. Que deu um norte de idealismo às pessoas que não viam nada umas nas outras.


Contreraman

Antes: E as coisas que continuam já se foram. E as que se foram continuam para nunca terminarem. Até um fim que nunca vem. Depois: Vale o que tem amor..
Saiba como escrever na obvious.
version 1/s/recortes// //Contreraman