o olhar amor na arte após o fim da arte e da filosofia

Veja ao seu redor - a saída existe e está em tudo e em todos nós

Contreraman

Antes:
E as coisas que continuam já se foram. E as que se foram continuam para nunca terminarem. Até um fim que nunca vem.

Depois:
Vale o que tem amor.

Pois somos a Estrela da Morte (entre Eles e Darth Vader)

Renascendo em meio a Blade Runner e Star Wars


Alderaan_mountains.pngEnvolvido de forma absolutamente inviável com uma garota (parece #casoindefinido do Cristiano Araújo), mas sem condições de sair da bagaça, fui aconselhado por uma amiga a entrar no Tinder (#grandeputaria). Fui lá, e ela até pediu fotos, as escolheu e fez a minha cara na estupidez (#putariaimensa).

Lá entrando, e desesperado para sair da beirada do precipício em que me encontrava (#quemmandou), fui aceitando todas as razoáveis. Limitei o alcance geográfico a algumas dezenas de quilômetros, o que depois foi-se estreitando, porque não tava a fim de ir muito longe (#cansadodemais). Um aprendizado da época é que algumas pessoas, nem tão atraentes, poderiam ser legais (#vaiqueda).

Alguns perfis interessantes foram entrando em contato, e comecei a trocar ideias. Ideias? Como assim? Nada. Minutos e minutos perdidos para simplesmente saber como a pessoa tá. As primeiras perguntas, onde você mora, e aí, como anda, sei lá (#grandemerda). Uma hora, um contato. Garota como cara de vagaba (#eravagaba). Constrangido, até perguntei quanto era (#eeladisse). Caralho, tudo isso? Lá se foi, nas ondas do Tinder. Lembrei-me das andanças dos 90, entre as vagabas da região da Santa Cruz (#naputaria).

Ando ouvindo Vangelis (#mereceumapontinhanoceu). Tento perceber onde estamos nós. O que define nosso estado. Se realmente o final da Rachel (a personagem robô que não sabia que era), com o Ford jovenzinho poderia fazer algum sentido, naquele contexto. Um romantismo entre gente que não era gente. O carro andando naquela estrada vicinal. Um ao lado do outro, não juntos. Uma esperança inexistente (#valeriaapena)?

Uma amiga me encontra enquanto converso sobre um debate que não teve (por falta de tempo, na oficina de crítica). E percebo seu olhar ainda triste (#seratristezamesmo). Mas ela admirava-se de me encontrar (#pensavaemmim). Achei bonito, isso, mas ao mesmo tempo triste (#desencontros). Pensar em quem não se pensa, realmente, é hoje algo recorrente (#faltammotivos). Lembrei-me de quando a vi e a convidei a entrar no grupo (#estavamortapordentro). Parecemos autômatos em busca de nada.

Os terráqueos preparam-se para traçar Marte, e dividi-lo como à África, que jamais irá se recuperar dos estupros culturais e individuais (#putariaocidental) (#rawlschegoutarde). Será triste constatar que os indivíduos não mais existem (#viraramestatisticas), mas que se unem, ao menos enquanto espécie, para fazer de Arnie uma espécie de prenúncio (#vingadordofuturoreal)?

O dia começa, e parece o Sol de Alderaan (#starwarsrevivido). Chewbacca mesmo ainda não temos com coleira ao nosso lado. Nossos carros já voam, como bem imaginavam os malucos do começo dos 1900. Mas nossa deturpação interna supera limites (#naoexistimosmais). Será lindo isso? Haverá algo lindo, hoje? Mas P descansa, com certeza, e logo enfrentará mais um dia de provação (#devetersuperado). Torço por ela, e é nela que penso (#esperancanaomorre).

Ouça e entenda: https://www.youtube.com/watch?v=N-cF6PRCcVY


Contreraman

Antes: E as coisas que continuam já se foram. E as que se foram continuam para nunca terminarem. Até um fim que nunca vem. Depois: Vale o que tem amor..
Saiba como escrever na obvious.
version 2/s/cinema// //Contreraman