o olhar amor na arte após o fim da arte e da filosofia

Veja ao seu redor - a saída existe e está em tudo e em todos nós

Contreraman

Antes:
E as coisas que continuam já se foram. E as que se foram continuam para nunca terminarem. Até um fim que nunca vem.

Depois:
Vale o que tem amor.

Deixa para lá

Houve alguns relacionamentos em que me envolvi em que a outra pessoa me disse que eu não era uma pessoa boa o suficiente, no sentido de só fazer o bem. Ou seja, que eu era meio mau.
Eu achei muito estranho isso, porque não me meto em encrencas a ponto de fazer algo ruim para alguém, nem penso nisso. Não penso em ninguém como objeto de meu prazer egoísta, nem concebo que possa viver fazendo isso.


0003053JitN.jpgMas estes dias aconteceram algumas coisas que me trouxeram à consciência um aspecto, em mim, que realmente pode passar essa impressão.

Imagine que, por algum capricho qualquer, alguém comete algum ato que te prejudica. Por exemplo: um funcionário de um restaurante não te fornecer a senha do wifi ou propositadamente mudá-la para que só você não a acesse naquele momento.

Imagine que isso aconteça porque você tem tatuagem, ou usa cabelo longo, ou fala alto. Mas imagine que aquele ato específico se reveste de uma importância bastante elevada para você, naquele momento.

Você, nesse caso em especial, perderá seu tempo gravando na mente o rosto daquela pessoa? Muito provavelmente não. Você ficará chateado ou mesmo com uma certa raiva. Mas não quererá se vingar, quererá? Claro que não.

Pois bem. Eu levava no pessoal. Achava que aquilo era tão injusto que perdia meu tempo pensando no rosto dessa pessoa, ou levando aquela desfaçatez comigo, aquela mágoa, esperando a hora certa para lhe dar o troco.

O mal, claro, todos sabemos que está em olhares de desconfiança. Que aquele que o comete tem algo de tão profundamente escondido em seu interior que lhe permite cometer atos de vingança enormes, menores, pequenos ou até ínfimos. Mas que ele tem esse olhar.

O olhar do mal é pérfido e sempre espera o momento certo. O olhar do mal é um olhar que não deixa passar, que não perdoa, que acaba com as esperanças de trégua porque dentro dele essa trégua não existe mais.

Foi aí que percebi o que era o mal. E foi então que entendi como minhas amigas estavam certas. Mas foi então que, bastante aliviado, peguei o corredor e segui em frente. Deixa para lá.


Contreraman

Antes: E as coisas que continuam já se foram. E as que se foram continuam para nunca terminarem. Até um fim que nunca vem. Depois: Vale o que tem amor..
Saiba como escrever na obvious.
version 2/s/recortes// //Contreraman
Site Meter