o olhar amor na arte após o fim da arte e da filosofia

Veja ao seu redor - a saída existe e está em tudo e em todos nós

Contreraman

Antes:
E as coisas que continuam já se foram. E as que se foram continuam para nunca terminarem. Até um fim que nunca vem.

Depois:
Vale o que tem amor.

Não vale a pena amar quem não se dispõe, mesmo que por brincadeira, a ouvir os teus silêncios

Sempre que estou no saguão, acho que você irá aparecer. E quando isso acontece eu praticamente não te ouço - pelo menos nisso que você fala. Eu te ouço lá dentro. Em teus silêncios.


64697_10201803345824179_2075720157_n.jpg

Uma vez, você me viu aparecer lá da sacada. E você ficou em silêncio. Enquanto eu também assim permanecia, retirando minha carteira, meu celular, alguns chocolates que eu de vez em quando te compro, praticamente tudo que me conecta com o mundo. Para entrar no teu.

Porque eu sei que quando você me ouve, e quando me observa, e quando me vê levantar zangado, ou irritado, ou quando sente minha voz atentamente, você também me vê lá dentro. Em meu silêncio.

No começo, quando nos conhecemos, você queria me ouvir. Como lá na tenda, quando eu comia, e você me observava. Mas o que você já naquela época via e ouvia era meu silêncio. Na verdade, você tem um jeito particular, bem particular. Você vê o silêncio de um jeito bem teu que não me cabe aqui comentar - mas que eu te disse.

Mas no começo eu ouvia pouco os teus silêncios. Eu via mais como você era, como se mexia, como se comportava, ou seja, aquilo que as pessoas normalmente consideram que existe. Só depois, até bastante tempo depois, é que notei como você não estava lá. Mas quando praticamente inexistia.

Hoje, você às vezes fica dias sem me ver, e assim sendo eu tendo a sofrer um pouco - ou até bastante. Mas o mais importante mesmo é que até mesmo nesse horrível silêncio você está presente em mim. Sob a forma de um amor puro, potente e ao mesmo tempo acanhado que se irmana com ele, o meu silêncio.


Contreraman

Antes: E as coisas que continuam já se foram. E as que se foram continuam para nunca terminarem. Até um fim que nunca vem. Depois: Vale o que tem amor..
Saiba como escrever na obvious.
version 3/s/recortes// @obvious //Contreraman
Site Meter