o olhar amor na arte após o fim da arte e da filosofia

Veja ao seu redor - a saída existe e está em tudo e em todos nós

Contreraman

Antes:
E as coisas que continuam já se foram. E as que se foram continuam para nunca terminarem. Até um fim que nunca vem.

Depois:
Vale o que tem amor.

Amizade?

Amizade é algo sobre o que a gente precisa pensar diuturnamente.


aid269719-728px-Identify-a-False-Friend-Step-10.jpgA gente só percebe e descobre o valor de uma amizade quando acontece uma crise. E mais: a depender do tipo de situação que é criada e dos valores envolvidos nessa crise. Uma lição a mais, quando ocorre essa crise (e a amizade permanece ou não), é que às vezes nós tendemos a nos culpar quanto ao valor que damos (ou não damos) àquela amizade, quando o que muitas vezes acontece é que a outra pessoa não deu o valor que a amizade merecia.

Há mais de um ano, um funcionário teve seu emprego ameaçado por uma decisão antiética de um superior e eu, sabendo do que acontecia, rompi uma barreira ética e o avisei do que acontecia. Achei que havia ganhado, sem querer, um amigo. Mas não era verdade. É verdade que ele me ajudou com pequenos favores, e que nós nos conhecemos melhor, a partir de então. Mas ele também mostrou que não era tão de confiança assim quanto a questões pessoais, e além disso tomou certas liberdades que eu não lhe dei. Seja como for, criamos um pequeno acordo comercial entre nós, e há poucos dias ele mostrou que queria me enganar (ou havia entendido mal, quem sabe). Não sei.

Sei apenas que quando eu soube da discordância eu não esquentei. Disse-lhe que iríamos resolver depois. Hoje, ele apareceu com um dinheiro que não havia sido combinado (muito menor) e eu lhe disse que não era esse o acordo. Foi então que ele cedeu com má vontade, jogou nossa amizade no chão (acabou com ela) e ainda por cima não explicou o que acontecia (ele talvez tivesse entendido mal). Voltou com o dinheiro acertado, se esquentou e ficamos por isso mesmo.

O que eu estranhei foi ele ter jogado a amizade para o alto, e depois ter ainda cobrado por um resultado que era uma incógnita (eu havia lhe dito justamente isso). E pior: foi ele ter misturado repetidas vezes as coisas. Posso desculpar a situação dizendo que ele se esquentou, ou que não sabe lidar com esse tipo de situação. Mas o fato é que eu havia salvo o emprego dele duas vezes. E que eu não havia confundido as coisas. Mas seja como for, isso me deixou pensativo.

Desde que a gente (eu e outras pessoas) salvamos o emprego dele pela primeira vez, esse meu ex-amigo envolveu-se com religião (com a Universal) e passou a tomar atitudes que, em parte, poderiam ter sido questionadas por todos, mas que, por confianças, foram deixadas sem questionamento. Ele chegou até a me dar "aula" de pregação de pastor da Universal, algo que eu dispensei e dispenso.

Entendo que exista muita coisa na Bíblia que mereça ser ensinada, e até suponho que pastor faça curso nesse sentido, mas eu, que sou formado em Filosofia e Ciência Política, além de Jornalismo, com pós, sinceramente dispenso. Ocorreu que ele mudou, e que suas posturas mudaram também, mas a gente meio que se fez de bobo esse tempo, várias pessoas que salvaram a pele dele e que talvez continuem suas amigas (não sei).

Eu também já vislumbrei rompimento de amizades em rompantes. Cheguei a colocar dedo no rosto e tudo mais (algo inusitado, para mim, e de que hoje me envergonho). Mas nunca imaginei confundir as coisas a esse ponto, e estranhei que ele tivesse o dinheiro praticamente em mãos desde que começamos a discutir. Pois, se ele ainda imaginasse que eu iria concordar, ele pelo menos iria se dispor a conversar - e por isso não teria o dinheiro pronto. Mas não; ele tinha o dinheiro e a resposta prontinhos. Ou seja, já imaginava o que iria acontecer. Não posso supor que ele teria o dinheiro correto pronto só por precaução. Não consigo supor isso. Em suma, ele já esperava colocar a amizade em questão.

Eu sou um cara duro quanto a amizades. Me tornei assim de uns tempos para cá. Sei que amizade é algo que se sustenta com problemas, e que tem muita amizade que é pronunciada que não é realmente algo que se preze, ou que preze o nome. Mas eu nunca imaginei que ele fosse colocar a amizade em jogo por causa disso. Isso, claro, como sou da Filosofia, me fez pensar. E entendi, usando outros recursos que acumulei (outros conhecimentos a respeito dele, que não comento aqui), que ele nunca foi meu amigo, realmente. E que, pior, fez uso da suposta amizade para conseguir espaço que de outra forma ficaria difícil para ele. E mais, a religião não o estragou, necessariamente. Ela revelou, nele, o que ele sempre foi. Uma pessoa ambiciosa, autoritária, que se impõe por meios subreptícios, mas que, por algum motivo, se faz de singela e tradicional, apenas.

Claro, talvez nossa amizade tivesse sempre em questão. Mas eu me conheço. Quando sou duro, guardo comigo, e não coloco isso para fora. Não me disponho a extravasar minha opinião mais sincera para as pessoas, e minha desconfiança nesse sentido já superou muitos limites. Não desconfiava dele. E não estava pensando em colocar tudo por terra. Ele estava. Bom, paciência. Daí que saí, conversei algo com outra pessoa (com o pensamento de fundo no meu ex-amigo), voltei, e reparei que aquilo havia mexido comigo, sim, mas mais, havia perturbado minha ideia de amizade. Aquilo não havia sido amizade. Talvez nunca tivesse sido. Pois lembro de quando ele cobrou as coisas, no meio da discussão. E aquele tipo de postura não era de amigo, não podia ter sido. Isso me fez questionar a pessoa.

Seja como for. Amizade é algo sobre o que a gente precisa pensar diuturnamente. E tentar entender se é aquilo que parece, se é aquilo que esperamos, se é aquilo que realmente aparenta à nossa forma de ver as relações. E no caso dele, parece que eu me equivoquei, realmente. Várias vezes, de várias formas, por vários motivos (alguns dos quais são culpa inteiramente minha, tenho que convir). Aprendizado.

A gente aprende até o último suspiro. E Deus nos aceita, a partir de então, somente se quiser. Que assim seja.


Contreraman

Antes: E as coisas que continuam já se foram. E as que se foram continuam para nunca terminarem. Até um fim que nunca vem. Depois: Vale o que tem amor..
Saiba como escrever na obvious.
version 3/s/recortes// @obvious //Contreraman
Site Meter