o olhar amor na arte após o fim da arte e da filosofia

Veja ao seu redor - a saída existe e está em tudo e em todos nós

Contreraman

Antes:
E as coisas que continuam já se foram. E as que se foram continuam para nunca terminarem. Até um fim que nunca vem.

Depois:
Vale o que tem amor.

Os louvores todos são uma espécie de saber

Porque para quem tem fé sempre há algo logo ali, nos chamando, clamando para nos salvar.


17-historia-do-louvor-e-adoração.jpgQuem não tem experiência profunda no saber religioso que conta, que é aquele que importa em nossa vida, tende a achar estranho toda aquela vontade de glorificar a Deus ou de prestar tributos a ele, de forma muito compassiva.

Mas, para quem vive a religião dentro de si, essas demonstrações possuem um valor todo particular que nos fazem acreditar mais, e mais ainda, que nos fazem sentir o saber da religião dentro de nós. Porque a religião a gente vive, e essa vivência é que traduz o tanto de fé que temos.

Porque, para aquele que não crè, e vê os cantos e as multidões, esses cantos são apenas cantos e multidões. Já para aquele que crê esses cantos são espíritos que voam, e que tentam trazer para si o Espírito Santo.

É interessante, para uma pessoa recém-convertida como eu, reparar em todos esses detalhes. No começo, a gente sente que repetir os cantos é uma espécie de peso, algo que precisamos fazer - e que não queremos fazer passando carão.

Mas, com o tempo, o nosso espírito parece assumir uma vontade toda própria, e começamos, a depender de nossa fé, a nos soltar e a ter uma profunda e real dedicação nessa tarefa. Até estranhamos quando acaba, porque parecemos, a depender de nossa fé, querer até mais.

Porque, no culto (missa), quando já não ouvimos a palavra do padre com relutância, quando nos deixamos levar por aquelas palavras, sempre tão boas, que visam nos aproximar de Deus, a gente fica tão grato por tudo que nos acontece que sentimos vontade real de cantar. A gente começa a decorar as canções e mal conseguimos passar o dia sem ouvi-las. Ou sem procurar outras.

Quando enfrentamos dificuldades, por outro lado, algo em nós parece nos trazer calma, nos trazer para nós mesmos, e nos dizer baixinho que sempre há uma forma de superá-las. E sempre há. Porque para quem tem fé sempre há algo logo ali, nos chamando, clamando para nos salvar.

O louvor, para quem acredita, é uma espécie de saber. Um saber profundo, que a gente não pode porém compartilhar, e que permanece o tempo todo em nós. Que nos torna diferentes e que nos ensina que a fé consegue tudo, e que as dificuldades estão aí também para nos provar.


Contreraman

Antes: E as coisas que continuam já se foram. E as que se foram continuam para nunca terminarem. Até um fim que nunca vem. Depois: Vale o que tem amor..
Saiba como escrever na obvious.
version 1/s/recortes// //Contreraman