observatorio

Quem disse que o ócio não pode ser produtivo?

Vagner Oli

Em uma relação séria com a engenharia, às vezes da uma fugidinha com a amante Cinema. Admirador da beleza e inteligencia feminina, poesia, das ideias progressistas, da vida simples e das pessoas com estilo próprio.

Opções Não ÓBVIAS

"Saia do ócio
Não caia no obvio
Não quero ter um sócio
Eu quero um antídoto
pra viver melhor "

O RAPPA


ONO.jpg

Quantas vezes já vimos artigos falando sobre essas opções não óbvias, coisas como: 10 destinos pouco óbvios que você deve conhecer 5 carreiras não óbvias que você pode seguir, presentes nada óbvios e por ai segue... Diferentemente do "pode ser" bordão utilizado por uma marca famosa de refrigerantes (segunda mais famosa, depois do Dolly, claro) às opções não obvias não é aquilo que sobrou, algo do tipo só tem isso, vai isso mesmo, mas sim algo que a mente ainda não atentou ou nem percebeu. Estamos presos ao óbvio, mesmo com todas às conquistas e nos sentirmos mais livres para escolhermos, ainda nos prendemos ao óbvio, seja na “simples” escolha de um curso (ultimamente vivemos a febre das Engenharias, fora os tradicionais Medicina e Direito), carreiras, até com quem se relacionar ou o candidato que votar (geralmente os mais bem posicionados nas pesquisas) e na escolha de um refrigerante, claro. Uma eterna zona de conforto que incomoda. Claro que não devemos ser do contra só por ser, mas fazemos diversas coisas que não queremos, muitas vezes nem porque somos obrigados a fazê-las ou não termos escolha, mas sim por comodidade, pois ter uma vida cômoda nos traz sim algum tipo de satisfação, só que uma satisfação pobre que logo se vai. Parte do nosso estresse está na nossa falta de auto-realização, estamos doentes por não buscarmos algo que realmente queremos apenas por parecer algo distante, difícil de realizar ou loucura pelo julgamento alheio, principalmente se vier daqueles alheios próximos.

Claro que há sim aqueles sem a mínima chance possível de tentar, aqueles esquecidos no mundo que lutam pela sua sobrevivência, mas esse texto não é para eles e nem para discutir sobre a meritocracia, e sim para aqueles que passam dificuldades na vida, mas tem mesmo que mínimas condições de mudar a própria realidade ou até ajudar o próximo e não o fazem, aqueles que chegaram a um patamar e se acomodaram, tem medo de arriscar, preferem serem infelizes 11 meses do ano e poderem curtir Paris por um mês - aquela viagem parcelada pra 10x do que ser aquela pessoa que ganha menos, mas sente-se satisfeita o ano todo.

O óbvio nunca promove mudanças porque ele é óbvio é algo esperado, automático. Surpreender-se faz bem a saúde, evite sempre o "pode ser" e o óbvio use-o, mas quando for por convicção e não por comodidade, mas o não óbvio, o inesperado é o sal, é o que dá gosto à vida.

Vídeo voltado para a carreira profissional Jout Jout: https://www.youtube.com/watch?v=534mvkFgX7k

Vídeo da música da citação da banda O Rappa: https://www.youtube.com/watch?v=Att3QnUECFU


Vagner Oli

Em uma relação séria com a engenharia, às vezes da uma fugidinha com a amante Cinema. Admirador da beleza e inteligencia feminina, poesia, das ideias progressistas, da vida simples e das pessoas com estilo próprio..
Saiba como escrever na obvious.
version 1/s/sociedade// //Vagner Oli