ode de sede - por ora, a escrita.

"poeta é quem vê o que não é de dizer e ainda assim, diz."

Andreza Spinelli Ballan

Aspirante a jornalista. Amante de cinema, artes plasticas, literatura e música intensa. Constantemente submersa em algo não nominável.

Paulinho da Viola e o Acústico mais elegante de todos os tempos

Voz sutil, uma camisa de cor clara e um semblante que inspira tranqüilidade a quem observa extasiado suas apresentações: é a combinação mais requisitada para um fim de tarde, quando desejamos nada menos que paz.


arq_1665_40757.jpg

Não é por acaso que muitos julgam Paulinho da Viola como o cantor/compositor mais elegante do samba e da musica brasileira. O sambista – que também compôs chorinhos sorridentes – tem um tato ímpar com a musicalidade e a forma de expressar uma arte cantada. Voz sutil, uma camisa de cor clara e um semblante que inspira tranqüilidade a quem observa extasiado suas apresentações: é a combinação mais requisitada para um fim de tarde, quando desejamos nada menos que paz.

A primeira faixa do disco já se apresenta com uma aparente imponência: Timoneiro, que diz que “Não sou eu quem me navega. Quem me navega é o mar”, seguida de Coração Leviano (que é um tiro no peito de qualquer romântico). Não há admirador que agüente passar por tais composições sem cantarolar pelo menos uma frase. O que Paulinho diz, envolve a alma de quem escuta devido à veracidade com que trata assuntos cotidianos - transforma o banal em poesia como se tal atitude fosse tão automática quanto respirar. Após essas que iniciam a apresentação, aparecem canções como Pecado Capital, Talismã e Nervos de Aço, clássicos que mostram o quão impossível é escolher uma canção favorita.

Lançado em 2007, o Acústico MTV Paulinho da Viola é, sem duvidas, o que há de mais refinado quando o assunto é samba de boa qualidade. As composições de Paulo César Batista de Faria adornam a atmosfera com uma fluência que nos deixa sem chão quando o álbum termina: tudo ocorre de uma forma tão fluente que o som parece ser algo continuo e indissolúvel. Sorrisinhos com o canto da boca, as mãos leve na viola e um coro que preenche o ambiente são um elixir para os amantes do bom samba carioca.


Andreza Spinelli Ballan

Aspirante a jornalista. Amante de cinema, artes plasticas, literatura e música intensa. Constantemente submersa em algo não nominável. .
Saiba como escrever na obvious.
version 2/s/// @destaque, @obvious //Andreza Spinelli Ballan