olho sobre tela

Arte Contemporânea: Mercado, Feiras e Acontecimentos.

Bruno Assumpção

Entusiasta e colecionador de Arte Contemporânea.
www.olhosobretela.com

Polêmica: Artistas e o Mercado

Artistas são seres livres, que gostam de pensar diferente e precisam de tempo livre para criar. O Mercado (galerias e leilões) gostam de transformar tudo em mercadoria e pressionam por mais produção, por mais rapidez. Seria o Mercado um problema no desenvolvimento artístico? Na minha opinião não. Explico rapidamente o porquê.


Stephen-Wiltshire-Autistic-Artist-4.jpg

Na França e na Holanda recentemente havia um esquema governamental para suportar os artistas. Os países davam subsídios aos artistas. Eles tinham tempo e liberdade de produção. Não precisavam se "vender". Curiosamente esse 2 países tiveram uma história recente fraca em termos de produção artística. Parece que, contra-intuitivamente, o mercado faz os artistas se mexerem.

É uma falácia dizer que o mercado estraga a criatividade artística. Muitos pensam que se o mercado dita as regras para os artistas, que sua criatividade fica tolhida e têm que produzir apenas para atender seus galeristas e colecionadores. Mas, na verdade, se existe um mercado pujante, isso incentiva os artistas que de outro modo teriam que fazer outro trabalho para sobreviver. Podendo se dedicar exclusivamente à produção artística, os artistas tem mais incentivos a serem criativos, mesmo com toda a pressão do mercado.

E Vermeer, Renoir, Picasso, Warhol, todos esses grandes abraçaram o mercado ao contrário de fugirem dele.

Interessante a declaração de Cildo Meireles, um dos melhores artistas brasileiros contemporâneos, sobre o assunto no Jornal Folha de São Paulo:

“Eu como artista plástico já me acostumei a não contar com o Estado. Acho até que o Estado realmente tem outras prioridades. Artes plásticas conseguem sobreviver desde que o Estado não atrapalhe. Cê tá entendendo (sic)? Consegue. Através do mercado. E sempre que o Estado vem querer controlar demais… Eu posso passar anos sem vender um trabalho. Quando vendo, vem a Receita Federal querer saber por que entrou aquela quantia na minha conta. Ora bolas! Não sou funcionário do Ministério da Cultura ou da Fazenda para receber um cheque todo mês. Nos últimos quatro anos, aconteceu umas duas vezes. "

cildo.jpg Instalação de Cildo Meireles no Inhotim

No vídeo acima do filme Modigliani, Modigliani e Picasso encontram Renoir. E é divertidíssimo como Renoir diz quanto custaram sua propriedade, seus carros e uma escultura de Rodin.

Mais sobre o assunto no meu blog: olhosobretela.com


Bruno Assumpção

Entusiasta e colecionador de Arte Contemporânea. www.olhosobretela.com.
Saiba como escrever na obvious.
version 1/s/// //Bruno Assumpção