Marco Antonio Cruz

Marco Antonio Cruz não tem acento no nome. Não acredita em elogios e não lida bem com críticas. Tem a natureza trôpega, e quem atira pedras em seu caminho acaba consertando seus pés

O gueto e a fotografia documental de Vergara

Na década de 70, um fotógrafo chileno radicado em Nova York encontrou poesia nos bairros pobres das grandes metrópoles americanas.


vergara9.jpg

Numa época em que a fotografia documental parecia desgastada e os guetos estavam longe tanto da percepção social e como da percepção artística, o trabalho fotográfico de Camilo José Vergara demonstra convicção e identidade.

Retratando as favelas americanas e a população mais pobre, os cenários de suas fotos são os espaços urbanos deteriorados, prédios, ruas e construções em franca decadência. No entanto, uma faceta humanística do seu trabalho emerge quando prestamos atenção nas pessoas que figuram e interagem com estes espaços.

vergara.jpg

vergara10.jpg

vergara2.jpg

Cheios de vida e poesia, os guetos de Nova York (notoriamente Bronx e Harlem), Chicago, Michigan, New Jersey e Detroit ocupam o olhar do fotógrafo e permeiam todo o seu trabalho que é ao mesmo tempo artístico, social e documental.

vergara11.jpg

vergara3.jpg

vergara12.jpg

vergara4.jpg

Publicado em vasta bibliografia e mundialmente celebrado, são as suas fotografias dos anos 70 (por parecerem anacrônicas e também atuais) que permanecem no imaginário do público e continuam a influenciar gerações de fotógrafos.

vergara13.jpg

vergara5.jpg

vergara14.jpg

vergara6.jpg

vergara15.jpg

vergara7.jpg

vergara8.jpg


Marco Antonio Cruz

Marco Antonio Cruz não tem acento no nome. Não acredita em elogios e não lida bem com críticas. Tem a natureza trôpega, e quem atira pedras em seu caminho acaba consertando seus pés.
Saiba como escrever na obvious.
version 1/s/fotografia// @destaque, @hplounge, @hp, @obvious, @obvioushp, @obvious_escolha_editor //Marco Antonio Cruz