Felipe Gaúcho

acha que o lar do passarinho é o ar, em vez do ninho; sente-se nascido a cada momento para a eterna novidade do mundo; e não vê problema em emprestar citações alheias.

Fotógrafo surrealista adotado ilustra os sonhos e medos de crianças órfãs

Dono de uma visão lúdica e inspiradora, o americano revira suas próprias memórias, e as mistura às esperanças das crianças com quem lida. O resultado são realidades paralelas traduzidas em imagens que parecem saídas de contos de fadas.


Woodcox 1.jpg

Rob Woodcox é um texano que foi adotado quando bebê. Inspirado nas próprias memórias, e atento às necessidades de pequenos órfãos ou abandonados que buscam um novo lar, decidiu ilustrar as histórias das crianças que conheceu enquanto voluntariava num abrigo.

Woodcox não é um fotógrafo qualquer. Nitidamente fascinado pelo universo lírico da infância, é capaz de criar cenários surreais que materializam os desafios, os medos, os sonhos e os triunfos daqueles que fotografa.

Woodcox 2.jpg

“Essas crianças passam por uma fase complicada até conseguirem confiar em suas novas famílias”, o fotógrafo comenta, em uma entrevista dada ao Daily Mail sobre sua série Stories Worth Telling. “Durante a criação dessas imagens, eu quis incluir emoções vindas das experiências mais sombrias, mas também das esperanças mais verdadeiras desses pequenos. Quero que enxerguem a vida como uma jornada da qual todos têm a chance de saírem vitoriosos”.

Woodcox 3.jpg

A ideia da jornada permeia todo o trabalho do americano: ainda que posadas, suas fotos carregam narrativas misteriosas que se revelam pouco a pouco, a cada novo detalhe descoberto pelo olhar de quem as aprecia. A composição de uma cena chega a demorar um dia inteiro, até que os modelos assumam suas posições e o clique seja feito. E isso é só o começo: a pós produção é trabalhosa, e confere às imagens o aspecto onírico que lhes é tão característico.

Woodcox 4.jpg

Rob fotografa todo lugar que julga como potencial locação para uma sessão futura. Quando alguma ideia se aplica ao local em questão, volta a visitá-lo, desta vez com fones nos ouvidos e a cabeça inundada de música. Passeia por bosques, construções abandonadas ou desertos, e, nas caminhadas despretensiosas, nascem as ideias de iluminação, figurino e arte, que se combinam nas cenas a serem montadas e clicadas mais tarde.

O texano conta que teve uma infância cheia de carinho, e que a série Stories Worth Telling é produto de sua ânsia em tentar retribuir esse bem, concedendo às crianças sem lar o direito de sonhar com um futuro melhor - que se concretizou, no seu caso. Quando pequeno, Woodcox quis ser piloto de avião, planejador de cidades, e até jardineiro da Disney. Nenhuma das ambições lúdicas se realizou literalmente. Mas não dá pra dizer que as intenções contidas nelas não viram a luz do dia. Com suas criações surrealistas, o fotógrafo voa alto, constrói realidades a seu bel-prazer, e cultiva um jardim encantador que diverte tanto crianças quanto adultos.


Felipe Gaúcho

acha que o lar do passarinho é o ar, em vez do ninho; sente-se nascido a cada momento para a eterna novidade do mundo; e não vê problema em emprestar citações alheias..
Saiba como escrever na obvious.
version 1/s/fotografia// @destaque, @hplounge, @obvious, @obvioushp //Felipe Gaúcho