os álbuns nossos de cada dia

Tudo que ouço, me identifico, consumo e admiro; transformado de música para palavra

Murillo Jorge

Jornalista e apaixonado por música desde sempre. Flerta com cinema e cultura em geral. Ouve muito mais música do que é recomendado.

Álbum da Semana - Appetite for Destruction (Guns N' Roses)

Appetite for Destruction mostrou que não são esteriótipos que fazem uma banda de rock. É necessário atitude e um som realmente bom para chegar onde Guns N' Roses chegou.


gnrappetitefordestruction4.jpg

O mundo da música sempre foi concorrido e é por isso que o primeiro álbum de uma banda é de grande importância. É mais do que um cartão de visita: é a chance de assegurar uma vaga entre os grupos de destaque em um cenário repleto de bandas que surgem todo dia.

Antigamente, era ainda mais complicado de se dar esse primeiro passo e gravar o primeiro álbum ou EP. Além disso, havia uma dificuldade muito maior de se alcançar o topo das paradas por não haver redes sociais, comunidades musicais espalhadas por fóruns e meios tão fáceis de divulgação.

E cá entre nós, os gêneros musicais também eram muito mais seletivos com quem os representavam. Não era qualquer um que fazia sucesso e carregava a bandeira de um estilo. Ainda mais do rock.

Dentro de todo esse “caos hierárquico musical” surgia uma banda cheia de atitude, energia e sem pudores. Um vocal marcante, um guitarrista muito talentoso e muitos sucessos que caíram no gosto, não só dos fãs do hard rock, mas de todos que viram em Guns N’ Roses um grupo pra lá de promissor.

Guns_N_Roses.jpg

Essa foi a fórmula do Appetite for Destruction, lançado em 1987. Mas não ficou só por aí. Os garotos de Los Angeles foram ainda mais longe.

O grupo liderado por Axl Rose, que já era uma figura polêmica por si só, deu seus primeiros passos batendo firme na sociedade da época e trazendo um novo ar ao gênero do rock. Era um grupo formado por bad boys, todos seus membros tinham seu charme. Mas dois eram destaque.

Axl era detentor de uma voz pra lá de potente e firme nos agudos. Além disso, deixava todas as mulheres loucas com sua presença de palco, seu jeito enérgico e sua cara de menino bonzinho.

Tirando a cara de menino bonzinho, os outros dois fatores também chamavam atenção dos homens. Afinal de contas, Axl cantava muito, tinha atitude e era muito popular com as mulheres. Como todo bom frontman do rock tem de ser.

Guns-N-Roses-11.jpg

Havia no Guns também uma outra figura que chamava atenção. Não só fisicamente, por causa de sua cartola e seu cabelo bagunçado, mas pela qualidade como guitarrista. Slash colaborava muito para dar consistência ao som do grupo. E, guardava as devidas proporções, desviava um pouco a atenção só de Axl. Essas duas figuras, somadas a um som politicamente incorreto muito bem aceito pela sociedade e um primeiro álbum recheado de sucessos tornou o Guns N’ Roses um dos grandes representantes do hard rock.

slash.jpg

Appetite for Destruction tem letras agressivas, riffs alucinantes, flertava com o blues e não demorou nada para cair no gosto da crítica e dos fãs.

Realmente não é necessário falar sobre as faixas. Contar com "Welcome to The Jungle", "It’s so Easy", "Nightrain", "Mr. Brownstone", "Paradise City", "My Michelle", "Sweet Child o’ Mine", "Rocket Queen" e outras, em um só álbum é mais do que o bastante para se chegar ao topo das paradas, ser considerado um dos melhores álbuns dos anos 80, um dos álbuns mais vendidos do mundo, colecionar álbuns de platina e ter como marca o álbum debutante mais vendido da história.

Não é exagero.

Tudo isso aconteceu em uma época em que a música tinha grandes representantes em plena atividade, não só no rock.

O álbum é um marco musical e transpira rock’n’roll. As letras são agressivas, as melodias são pesadas e sujas, mas tudo foi muito bem encaixado. Não há desordem.

Apesar de um pouco longo, não há motivos para se reclamar. Guns partiu do principio de que as maiores faixas deveriam ter os melhores solos e as melhores melodias. Fórmula que também deu certo nos outros trabalhos.

Não é possível também deixa de falar no que o grupo se tornou hoje. Se é que merece de fato carregar o nome Guns N’ Roses. Mas isso é tema para outro post...

Appetite for Destruction é mais do que um belo início. É o começo de um grupo que marcou seu nome na história e que nunca fugiu de sua essência com sua formação original. É um álbum imprescindível para os que são fãs de música e presença constante nas listas de melhores álbuns.

Faz parte dos primeiros passos de um grupo de rock. E mostra que se estes forem feitos de modo correto têm tudo para serem lembrados para sempre.


Murillo Jorge

Jornalista e apaixonado por música desde sempre. Flerta com cinema e cultura em geral. Ouve muito mais música do que é recomendado..
Saiba como escrever na obvious.
version 2/s/Música// @destaque, @obvious //Murillo Jorge