Pablo R. Bazarello

Publicitário, Crítico e cinéfilo entusiasta. Do tipo que sempre tira algo de bom de um filme. Mesmo que seja o sapato de um coadjuvante que aparece por 2 minutos.

Previsão e Torcida Oscar 2013 - Melhor Atriz Coadjuvante

Conheça melhor as indicadas na categoria de atriz coadjuvante na maior premiação da sétima arte.


supporting-actress-2.jpg Na categoria de Melhor Atriz Coadjuvante de 2013 temos duas veteranas que começaram em séries de TV, uma australiana desconhecida do grande público, e duas jovens que estão na companhia de dois dos maiores super-heróis de todos. São elas:

jacki.png Idade: 65 anos.

A australiana Jacki Weaver começou a carreira na década de 1960 com participações em séries de TV. Foram duas décadas em plena atividade participando basicamente de séries, e alguns poucos filmes. No fim da década de 1980, Weaver deu uma pausa e só participou de uma produção na década de 1990. Mais uma grande pausa para retornar somente no final da última década.

Em “O Lado Bom da Vida”, Jacki Weaver interpreta a mãe gente boa do protagonista Bradley Cooper, que sabe ser dura com o filho quando precisa. Weaver não possui um papel muito chamativo e é apenas correta aqui. A atriz não possui grandes chances.

Indicações anteriores: Jacki Weaver era uma ilustre desconhecida quando foi indicada como a vovó Smurf, apelido de sua personagem no excelente thriller de máfia australiano “Reino Animal”. Para o grande público Weaver ainda é desconhecida mesmo após sua segunda indicação.

Melhores Filmes: Weaver não possui uma grande filmografia, mas sem dúvidas “Reino Animal” é o suficiente para elevar qualquer currículo. Muitos atores que possuem uma ficha extensa não possuem muitos filmes com essa qualidade.

Piores Filmes: Igualmente é difícil apresentar os piores, já que Weaver mesmo após a sua primeira indicação não decolou. Mesmo sem ser um desastre total, a atriz esteve na comédia romântica “Cinco Anos de Noivado”, como a mãe da talentosa Emily Blunt. O filme ainda não chegou ao Brasil.

Próximos Trabalhos: Weaver faz parte do elenco do curiosíssimo “Segredos de Sangue”, primeiro trabalho americano do sul-coreano Chan-wook Park (de “Oldboy”), que tem Nicole Kidman e Mia Wasikowska no elenco como mãe e filha. A atriz também lança o terror “Haunt” esse ano, e está filmando “Parkland” ao lado de Paul Giamatti, Billy Bob Thornton e Zac Efron.

Helen.png Idade: 49 anos.

Helen Hunt começou a carreira ainda menina com participações em séries de TV e filmes feitos para a TV ainda na década de 1970. Na década de 1980 participou de obras mais significativas como “Projeto Secreto – Macacos”. Na década seguinte fez fama com o seriado “Mad About You”, ao lado do comediante Paul Reiser, talvez seu papel mais marcante da carreira, a série durou de 1992 até 1999. Hunt ganhou evidência no cinema enquanto a série ainda estava no ar, mas após seu término, a atriz caiu num leve esquecimento.

Em “As Sessões”, Helen Hunt interpreta uma substituta sexual, contratada para ajudar um deficiente físico a descobrir sua sexualidade, nessa obra baseada em eventos reais. Hunt está muito bem no filme, onde passa metade de suas cenas (ou mais da metade) sem roupas, coisa bem vista pelos votantes da Academia. Mas a atriz não tem muitas chances aqui, apesar de representar esse excelente filme, com sua indicação.

Indicações anteriores: Hunt só foi indicada ao Oscar uma única outra vez, o que resultou em sua vitória como a garçonete de “Melhor É Impossível”, época de seu auge de popularidade.

Melhores Filmes: “Melhor É Impossível” instantaneamente vem à cabeça. A atriz não possui obras muito significativas no currículo. Teve boas participações no ótimo “Náufrago”, de Robert Zemeckis, e no divertido “Do que as Mulheres Gostam”, ao lado de Mel Gibson. Dirigiu o dramático “Quando me Apaixono”, e esteve em “Bobby”, drama recheado de ex-astros de Emilio Estevez.

Piores Filmes: “A Corrente de Bom” é uma obra extremamente açucarada cuja premissa até era interessante, apesar de muito ingênua. Esteve no filme do mestre Woody Allen, “O Escorpião de Jade”, considerado um de seus trabalhos inferiores. Muitos reclamam da orgia de efeitos conhecido como “Twister”, mas eu digo que é uma divertida aventura despretensiosa e escapista recheada de adrenalina. E no recente “Soul Surfer” exibiu a ótima forma física como a matriarca de uma família de surfistas, nessa boa Sessão da Tarde.

Próximos Trabalhos: Talvez após sua segunda indicação Hunt volte aos radares de boas produções de prestígio. Por enquanto a atriz lançará “Decoding Anne Parker” ao lado das atrizes Maggie Grace, Rashida Jones, Alice Eve, Samantha Morton e Marley Shelton.

Amy.png Idade: 38 anos.

Amy Adams começou a carreira já tarde em 1999. Na década seguinte no entanto, foi quando conseguiu trabalhos de mais destaque. Protagonizou o filme lançado direto para vídeo “Segunda Intenções 2”, e participou de séries de TV como “Buffy – A Caça Vampiros” e “Smallville”. Seu primeiro papel numa grande produção foi em “Prenda-me se for Capaz”, filme de Steven Spielberg, no qual vivia uma enfermeira que caia nos golpes do personagem vivido por Leonardo DiCaprio. De lá pra cá, uma indicação ao Oscar pelo filme “Retratos de Família” (2005), e mais um punhado de participações em filmes sem grande relevância, até viver uma princesa da Disney de carne e osso em “Encantada”, sua verdadeira revelação e empurrão para chegar aonde se encontra hoje.

Em “O Mestre”, Adams continua colaborando com ótimos diretores, no filme de Paul Thomas Anderson, no papel da esposa de Philip Seymour Hoffman (sua segunda colaboração com o ator), o líder de uma seita religiosa. Apesar de nunca ter ganhando um Oscar, Adams não possui grandes chances aqui, já que sua personagem é realmente secundária num filme que fala sobre a amizade de dois homens.

Indicações anteriores: A jovem Amy Adams, que aparenta ser mais nova do que realmente é, já coleciona com essa, quatro indicações ao Oscar, o que faz dela uma das atrizes mais prestigiadas de sua geração. A primeira veio logo em 2005, quando Adams não tinha muita fama, pelo filme “Retratos de Família”. Depois já com algum reconhecimento foi indicada por “Dúvida” e recentemente por “O Vencedor”.

Melhores Filmes: A talentosa Adams coleciona bons filmes. Podemos escolher entre os ótimos filmes citados, em que ela foi indicada, “O Vencedor” e “Dúvida”, além dos divertidos “Encantada” e “A Vida Num Só Dia”. Quando estava começando a decolar, Adams também entregou o eficiente “Jogos do Poder”, com Tom Hanks, e recentemente esteve no ótimo infantil “Os Muppets”.

Piores Filmes: Todo ator tem seus esqueletos no armário, e Adams possui alguns filmes inexpressivos em seu início de carreira. Após a fama é que a coisa engrossa, e Adams aceitou participar da comédia-romântica sofrível passada na Irlanda, “Casa Comigo?”. Recentemente aceitou a oportunidade de trabalhar com o ícone Clint Eastwood, o que é admirável, mas o projeto bem que poderia ter sido melhor do que o morno “Curvas da Vida”.

Próximos Trabalhos: Adams já finalizou a participação no blockbuster “O Homem de Aço”, novo filme do super-herói Superman, no qual viverá a repórter Lois Lane (ruiva pela primeira vez), que será lançado em julho. Também agendado para esse ano, “Lullaby” é um drama que fala sobre eutanásia, no qual participa ao lado de Garrett Hedlund, Terrence Howard e Jennifer Hudson. E por fim, “Her”, é o novo e esperadíssimo novo trabalho do subversivo Spike Jonze, sobre o relacionamento de um escritor com uma máquina, do qual fazem parte do elenco Olivia Wilde, Rooney Mara, Joaquin Phoenix e Samantha Morton.

PREVISÃO:

Anne.png Idade: 30 anos.

Anne Hathaway, a mais jovem de sua categoria, começou a carreira em 2001 com o filme da Disney, “O Diário da Princesa”. Protagonizou sua continuação em 2004, e ficou no terreno infanto-juvenil no mesmo ano com “Uma Garota Encantada”. Mesmo tendo participado logo após de obras fortes como “Garotas sem Rumo” e “O Segredo de Brokeback Mountain”, filmes em que exibia suas formas nuas, seu grande destaque só veio mesmo com “O Diabo Veste Prada”, filme para toda a família, baseado num livro. Atualmente Hathaway tem o prestígio para participar de obras sérias de qualidade artística, e também é uma estrela protagonista de superproduções como “O Cavaleiro das Trevas Ressurge”.

Em “Os Miseráveis” Hathaway aparece apenas por uns 20 minutos em cena, mas é o suficiente para a atriz ser a favorita na disputa. O motivo: Hathaway canta (o que sempre demonstra a versatilidade de um ator) e sofre uma metamorfose (coisa que sempre enche os olhos dos votantes). Raspa a cabeça e emagrece para viver a sofrida Fantine, no clássico de Victor Hugo. A atriz vem ganhando todos os prêmios que servem como aquecimento para o Oscar, portanto se não vencer também o prêmio da Academia, será como tirar o doce da boca de uma criança.

Indicações anteriores: Anne Hathaway só foi indicada uma única outra vez. Em 2009, pelo drama intimista de Jonathan Demme (“O Silêncio dos Inocentes” e “Filadéfila”), “O Casamento de Rachel”, no qual vivia a problemática irmã da noiva, ex-viciada em drogas.

Melhores Filmes: Hathaway esteve em produções sérias como os citados “O Segredo de Brokeback Mountain” e “Garotas sem Rumo”, assim como “O Casamento de Rachel”, sem esquecermos de sua Mulher-Gato em “O Cavaleiro das Trevas Ressurge”. Também mostra que sabe se divertir em filmes como “O Diabo Veste Prada”, “Amor e Outras Drogas”, “Agente 86” e na animação “Rio”.

Piores Filmes: Hathaway recentemente esteve no enfadonho e açucarado “Um Dia”, um dos romances mais pretensiosos dos últimos anos. “Alice no País das Maravilhas”, de Tim Burton, pode ter sido um dos maiores sucessos de 2010, mas foi também um dos filmes mais ordinários do diretor, tanto que a Rainha Branca de Hathaway não foi nem notada no filme. “Idas e Vindas do Amor” foi igualmente um desperdício de um elenco classe A.

Próximos Trabalhos: Depois de tantos projetos, como o sucesso do último filme do “Batman” de Christopher Nolan, sua indicação ao Oscar por “Os Miseráveis”, e até as participações no desenho “Os Simpsons”, Hathaway, que se casou recentemente, deverá tirar férias, e só tem engatilhado ainda em fase de pré-produção a continuação “Rio 2”, programada para o ano que vem.

TORCIDA:

Sally2.png Idade: 66 anos.

A mais velha em sua categoria, a veterana Sally Field começou a carreira ainda na década de 1960, e como citou sua concorrente na categoria Anne Hathaway quando venceu o Globo de Ouro, protagonizou como a icônica “Noviça Voadora”, na homônima série de TV. No cinema fez par com Burt Reynolds em “Agarra-me se Puderes” e mais uma série de filmes, e ganhou prestígio ao viver “Norma Rae”. Apagada desde a década de 1990, Field tem recebido novas chances de voltar aos holofotes, quando em 2012 viveu a Tia May na superprodução “O Espetacular Homem-Aranha” e agora em “Lincoln”.

Em “Lincoln” Sally Field vive a primeira dama Mary Todd Lincoln, esposa do presidente americano mais adorado de todos os tempos. Para o filme a atriz engordou alguns quilos a fim de se adequar melhor a aparência da histórica figura, ou seja, Field também sofreu uma louvável metamorfose para seu papel. E não apenas isso, numa das melhores cenas do filme, fica de igual para igual com o grande favorito Daniel Day-Lewis, num momento realmente tenso e dramático. Sally Field merece levar porque apesar de já ter dois Oscar decorando a sua casa, seria catapultada de novo ao estrelato, já que é uma grande atriz esquecida.

Indicações anteriores: Considerada uma das melhores atrizes de sua geração em seu auge, essa é a terceira indicação da veterana Field. Sua outras duas indicações resultaram em vitórias, em 1980 como a jovem sindicalista “Norma Rae”, e em 1984 como uma viúva dona de fazenda em “Um Lugar no Coração”.

Melhores Filmes: Além dos já citados indicados ao Oscar, Sally Field trabalhou com Paul Newman no ótimo “Ausência de Malícia”, fez sucesso com a comédia “O Romance de Murphy”, estava no elenco recheado de “Flores de Aço”, no drama “Nunca sem Minha Filha”, em outro grande elenco em “Segredos de uma Novela”, e no sucesso “Uma Babá Quase Perfeita”.

Piores Filmes: Durante a década de 1970, Field era a sidekick de Burt Reynolds em diversas comédias de perseguição nas estradas, em filmes como “Agarra-me Se Puderes”, “Se Não me Mato, Morro!”, “Hooper” e “Desta Vez te Agarro”. A atriz também participou da sequência “Dramático Reencontro no Poseidon”, de 1979. Recentemente esteve em “O Espetacular Homem-Aranha”, reboot morno de uma franquia de grande sucesso, esperamos que o próximo seja melhor.

Próximos Trabalhos: Em vista no futuro de Sally Field somente a volta como a tia May, na continuação de “O Espetacular Homem-Aranha”, que agora conta com um elenco maior e melhor, que faz uso de gente como Jamie Foxx, Paul Giamatti, e Shailene Woodley, além da volta dos atores originais também.

ESNOBADAS:

1028-nicole-kidman_aw1.jpg Nicole Kidman foi lembrada por sua performance ácida e polêmica em “The Paperboy”, novo filme do diretor de “Preciosa”, Lee Daniels, igualmente esnobado no Oscar. A ausência de Kidman, substituída por Jacki Weaver de última hora, é uma das mais sentidas aqui.

Kerry Washington estava ótima como a disputada Broomhilda em “Django Livre”. A talentosa atriz nunca foi indicada ao Oscar em sua carreira, mas seu desempenho no filme de Tarantino não foi o suficiente para chamar a atenção dos votantes da Academia.

A veterana Isabelle Huppert, de quem o diretor Quentin Tarantino é fã assumido, interpretou a filha do casal principal em “Amor”, mas sua participação também passou em branco no Oscar.

A jovem e talentosa atriz sueca Alicia Vikander esteve em não apenas um, mas dois filmes do Oscar 2013, “Anna Karenina” e “O Amante da Rainha”, mas não foi lembrada em nenhum dos dois por seus desempenhos.

F0D453BDC52CB278C8E55EA7FA2F0.jpg A atriz Kelly Reilly (de “Sherlock Holmes”) tem um ótimo desempenho e uma chance para deslanchar carreiras em “O Voo”. Atua ao lado de Denzel Washington, num papel incômodo e forte. Reilly pode se transformar numa atriz famosa, mas ainda não foi dessa vez que se consagrou com uma indicação no Oscar.

O mesmo aconteceu com a veterana inglesa Maggie Smith, que foi lembrada por seu desempenho em “O Quarteto”, de Dustin Hoffman, no Globo de Ouro e gerou falatórios por seu papel em “O Exótico Hotel Marigold”, mas no Oscar passou desapercebida.

E para finalizar, “Moonrise Kingdom”, rendeu apenas uma indicação de roteiro, apesar de ter em seu elenco a sempre eficiente Frances McDormand, e a revelação da ótima e fotogênica Kara Hayward. Acho que a cota de crianças indicadas foi atingida com a indicação para atriz principal de Quvenzhané Wallis por “Indomável Sonhadora”. 600full-kara-hayward.jpg


Pablo R. Bazarello

Publicitário, Crítico e cinéfilo entusiasta. Do tipo que sempre tira algo de bom de um filme. Mesmo que seja o sapato de um coadjuvante que aparece por 2 minutos..
Saiba como escrever na obvious.

deixe o seu comentário

Os comentários a este artigo são da exclusiva responsabilidade dos seus autores e não veiculam a opinião do autor do artigo sobre as matérias em questão.

comments powered by Disqus
version 1/s/// @destaque, @obvious //Pablo R. Bazarello