palavras desconcertantes

É preciso saber ler as entrelinhas.

Rita Ribeiro

Professora por profissão; blogueira por diversão; escritora, bem... como diria Leminski, escrevo e pronto, escrevo porque preciso, escrevo apenas, precisa ter por quê?

Novas atitudes para um novo ano

Como as mudanças são inerentes à vida, mesmo que as pessoas digam que nada muda, este é o momento em que podemos, não só festejar o ano que chega, mas celebrar nossa vida que pulsa e pede que o melhor nos aconteça.


Captura de tela 2012-04-28 às 11.04.23Opato.png

Nunca fiz lista de resoluções para o ano novo, mas é sempre bom nos lembrarmos de algumas atitudes das quais nos esquecemos e nem são tão difíceis, mas que abrem caminhos para pequenas e grandes transformações.

Para que a vida seja mais leve é preciso leveza nas ações, ser gentil, aceitar gentilezas. Dizer mais "Obrigado!", "Bom dia!", "Com licença!", "Desculpe-me!". Gentilezas fazem muito bem, além de ser atitude contagiante. Ainda bem!

E a amizade? Como é bom sentar-se à mesa de um barzinho e celebrar a amizade junto daqueles que são pessoas importantes da nossa vida. Falar bobagens, rir, não levar a vida tão a sério em alguns momentos.

Dar uma trégua para a rotina. Beijar, abraçar e sorrir. Sair à noite para dançar, voltar tarde, dormir muito, descansar. Fazer novos amigos, cultivar amizades antigas. Namorar. Ouvir música, cantar.

E ler. Ler algo interessante que nos faça ver a vida diferente. Criar, estimular novas habilidades como escrever, pintar, desenhar, tocar um instrumento. Não é preciso ser artista, apenas expressar o que temos dentro de nós.

O_magico_Milhazes.jpg

Gostar de quem se é; não ser escravo de dietas e, de vez em quando, comer doce, salgadinho, bolo, chocolate, sorvete e torta, sem medo; e é tão bom, por que, não?

Não sentir culpa, não guardar rancor, não se deixar maltratar nem se intimidar, respeito também é necessário.

Jogar lixo no lixo, deixar nosso ambiente organizado, doar o que não se usa mais. Deixar gavetas em ordem. Encher a casa de flores, de cores, de amores e tirar tristezas e dores. Perfumar o ambiente, alegrar o lugar onde vivemos - o nosso ninho.

Cultivar a curiosidade sempre. Ela nos impulsiona a novos conhecimentos e a novas experiências; inquieta as pessoas a se interessar mais pelo mundo e por si mesmas.

BeatrizMilhazes_CabeMulher.jpg

E tirar um tempo para admirar mais o céu, o sol, a chuva; para caminhar por entre as árvores e sentir o perfume que a natureza tem; o ar mais puro que se pode sorver, mesmo que seja numa praça no meio da cidade grande. Sentir-se parte desse todo.

Esquecer momentos difíceis, pessoas que se foram, tristezas que ficaram. Esquecer e perdoar, porque a vida se torna mais leve, o coração mais tranquilo, a vida mais alegre.

Imaginar coisas boas e belas. Acreditar na vida, no amor, acreditar nos sonhos! Cultivar amor, cultivar alegria, mas também doar.

AVENID~1.JPG

Amar a família, os amigos, os vizinhos. Amar a vida, amar viver, mesmo que em alguns momentos pareça muito, muito difícil, pois tudo passa, tudo se remodela, o homem é um ser resiliente, tem a capacidade de superação.

E por fim, sermos gratos por tudo que temos e somos, por tudo que construímos, por tudo de belo e bom com que somos presenteados pela vida. Gratidão é imprescindível.

A todos, desejo intensos momentos de felicidade, muitas conquistas e também algumas dificuldades, para valorizarmos, ainda mais, os momentos de alegria!

Imagens: reprodução de telas da artista plástica Beatriz Milhazes


Rita Ribeiro

Professora por profissão; blogueira por diversão; escritora, bem... como diria Leminski, escrevo e pronto, escrevo porque preciso, escrevo apenas, precisa ter por quê?.
Saiba como escrever na obvious.
version 2/s/recortes// @destaque, @obvious //Rita Ribeiro