palavreando

Conceitos empíricos, ideias perdidas, palavras ao vento

Priscila Anversa

Sou um resquício de virtuosismo em meio ao caos e a exaustão: olhos brilhantes e cabeça pensante, reciclando o repertório e impulsionando o espírito de aspirante a aventureira no território das palavras. Quero tudo. E quero muito.

Alex Prager: cinema e fotografia retrô

Fotografia, moda e cinema é o que inspira e caracteriza as composições de Alex Prager, reportando aos filmes clássicos numa espécie de releitura retrô bastante refinada


Alexandra Prager (1979) assinala suas obras com este apelido ambíguo: Alex. É autodidata e fã da estética dos anos 50, 60 e 70, utilizando em suas composições a própria coleção de indumentária clássica, além de muita cor, contraste, maquiagem e perucas, tudo para imprimir em suas imagens um ar de glamour e sofisticação.

9.Susie-and-friends 2008.jpg Susie and friends, 2008

A maior parte de sua produção é ambientada em Los Angeles, cidade natal. Lá, encontra cenários perfeitos para seus “storytellings”, instigando o espectador nas composições recheadas de dramas pessoais e situações surreais, frequentemente familiares. Essa familiaridade com as personagens é resultado do repertório de imagens que já fazem parte de nossa bagagem: Prager se inspira em clássicos do cinema. Quando uma cena lhe agrada, ela pausa e a fotografa, para manter a referência.

6.Desiree 2008.jpg Desiree, 2008

15.Rachel-and-friends 2010.jpg Rachel and friends, 2010

Alex iniciou seu trabalho como artista em 2008, com a série fotográfica “The Big Valley”, seguida por “Week-End”, de 2010, ano em que também produziu os filmes “Despair” e “Sunday”.

5.Eve 2008.jpg Eve, 2008

1.Crowd-num-1-(Stan-Douglas) 2010.jpg Crowd number 1 (Stan Douglas), 2010

7.Cindy 2008.jpg Cindy, 2008

Despair film still 3 2010.jpg Despair film still 3, 2010

Despair film still 4 2010.jpg Despair film still 4, 2010

Em 2012 fotografou a série “Compulsion”, inspirada em Metropolis, de Fritz Lang, e em Um cão Andaluz, de Luis Buñuel e Salvador Dalí. Essa série investiga a complexidade da sociedade invadida por espectadores compulsivos e curiosos.

3 56 a.m, Milwood Ave and eye 1 flood diptych 2012.jpg Milwood Ave and eye 1 flood diptych, 2012

Também em 2012, a artista filmou “Touch of evil”, realizado para o The New York Times Magazine, uma série de 13 vídeos sobre os ícones mais perversos do cinema, onde os atores Brad Pitt, Gary Oldman, George Clooney, Glenn Close, Viola Davis, Kirsten Dunst, Ryan Gosling, entre outros, interpretam alguns dos vilões mais famosos da sétima arte.

Mia Wasikowska como Bob, da série Twin Peaks, de David Lynch.jpg Mia Wasikowska como Bob, da série Twin Peaks, de David Lynch

La-Petite-Mort_FilmStill 3 2012.jpg La Petite Mort, film still 3, 2012

Mesmo sendo as mulheres o foco de sua produção, a presença do suspense e do drama nos vídeos recentemente produzidos, reforçam a concepção intrínseca do trabalho da artista: requinte e elegância. Nas fotografias, a ousadia, a delicadeza, o teor melodramático e a atmosfera vintage não deixam dúvida, o universo feminino é sempre bonito e fugaz.

Gostou? Acesse o site www.alexprager.com e confira maiores informações sobre a artista.


Priscila Anversa

Sou um resquício de virtuosismo em meio ao caos e a exaustão: olhos brilhantes e cabeça pensante, reciclando o repertório e impulsionando o espírito de aspirante a aventureira no território das palavras. Quero tudo. E quero muito. .
Saiba como escrever na obvious.
version 4/s/// @destaque, @obvious //Priscila Anversa