parabolicando

literatura, música, cinema, artes plásticas, comportamento

Milu Leite

milu leite é jornalista e escritora

Quem expõe mais: as redes sociais ou a TV Globo?

Programa chama a atenção para a exposição da vida privada na web, criando armadilha que expõe ao ridículo seus participantes.


Subi nas tamancas. No último domingo, deixei ferver a minha miscigenação, tirei proveito da ira que provavelmente carrego em algum gene com memórias de abusos e torturas contra meus antepassados e, dando asas à parcela da minha ascendência portuguesa, subi nas tamancas a fim de gritar. Gritar contra a exposição disfarçada de auxílio, alerta, ou seja lá o que for que o Fantástico -- programa da rede Globo -- levou ao ar no último domingo. Para quem não viu nem ouviu falar, segue um resumo: montaram uma tenda num shopping e nela colocaram um falso vidente. As pessoas chegavam, diziam como se chamavam, e uma equipe escondida atrás de cortinas e conectada na internet fazia uma varredura sobre as informações disponíveis sobre a pessoa na rede. A equipe então passava detalhes sobre a pessoa ao falso vidente por um fone escondido na orelha dele, enquanto câmeras e microfones ocultos se encarregavam de mostrar a reação dela diante do que o sujeito revelava.web globo.jpg Não é preciso dizer que o nível de espanto foi geral e grande. Que outro vidente se arriscaria a dizer o nome da sua mãe completo? Ou adivinharia o nome exato da mulher que você sonha em namorar? Ou afirmaria que compartilha com você o gosto por doce de abóbora? Pois foi mais ou menos isto que aconteceu no "fantástico" programa deste domingo. Digo mais ou menos, porque não me lembro exatamente do doce e outros pequeníssimos detalhes, e não me lembro disto porque a minha memória está tomada de imagens daquelas pessoas em exposição. Um rapaz, ao que me parece em estado emocional bastante comprometido,fragilizado, chorou. Chorou quando o vidente falou o nome da moça que ele amava. Uma mulher arregalou os olhos ao ouvir detalhes do seu dia a dia. E assim foi com mais ou menos cinco pessoas. No final, depois que toda essa gente se encheu de surpresas e, claro, de expectativas em relação aos prognósticos que o vidente faria, as cortinas se abriram e os pobres coitados, expostos, foram informados de que tudo não passava de uma simulação. A mensagem era a seguinte: sua vida está na web, você não se cuida? Esses sites de relacionamento são uma perigo, você não vê? Descobrimos tudo a seu respeito com algumas clicadas, seu estúpido! Assim, depois de expostas, as pessoas ainda levavam uma bronquinha... da mamãe, da mamãe Globo. Mas que mãe é esta que ganha pontos na audiência em cima da exposição dos filhos? Mãe, sei, sei, mamãezinha. Não me iludo em relação àquelas pessoas. Expuseram-se na TV com total conhecimento, provavelmente assinaram alguma autorização para que as imagens fossem usadas. Triste. Muito triste. Talvez não tenham se dado conta de como se anularam nesta atitude complacente. Talvez tenham até se envaidecido por terem sido escolhidas para participar desse "alerta" promovido pelo programa. Tanto num caso como no outro, não se perguntaram por que, no final das contas, o repórter do Fantástico não afirmou: E olha, agora, com essas imagens que levamos ao ar, você está se expondo outra vez! Só que mais, muito mais!


Milu Leite

milu leite é jornalista e escritora.
Saiba como escrever na obvious.
version 2/s/sociedade// //Milu Leite