parabolicando

literatura, música, cinema, artes plásticas, comportamento

Milu Leite

milu leite é jornalista e escritora

A espera

Enquanto espero, escrevo. E a espera é sempre um ato de resistência.


A espera pode ser muita. Pode ser que a espera seja tecida com lábios entreabertos e lençóis brancos. Nada se espera da espera, e ela pode tanto. Pode esvaziar ou encher num mesmo dia. A espera depende dos dias. Alguém duvida? A espera é repetitiva. Acorda-se com ela, come-se com ela, dorme-se esperando que a espera desapareça num sonho. A espera dá de comer à saudade, mas a saudade não sabe esperar. A saudade é urgente. Espera e saudade lutam sem trégua às três da madrugada, enquanto um corpo se sobressalta em lonjuras. A espera é violenta. Às vezes, ela também é feia. A espera inspira a tormenta. E chove. A espera chove por dentro, cria goteiras que ninguém, ninguém sabe conter. IMGP3940.JPG A espera é resistência. A espera é resistência. A espera é resistência.


Milu Leite

milu leite é jornalista e escritora.
Saiba como escrever na obvious.
version 3/s/caraminholas// //Milu Leite