parabolicando

literatura, música, cinema, artes plásticas, comportamento

Milu Leite

milu leite é jornalista e escritora

As muitas sonoridades de Badi Assad

A cantora, compositora e instrumentista Badi Assad tem magnetismo suficiente para colar sobre si um planeta inteiro.


badi.jpg

Você alguma vez já brincou de definir uma pessoa com uma só palavra? Pois a brincadeira rende uma palavra no caso da cantora, compositora e instrumentista brasileira Badi Assad: SOLTURA. Uma das atrações do Jurerê Jazz Festival, que ocorre anualmente em Florianópolis, ilha mais que paradisíaca do estado de Santa Catarina, Badi já tinha me roubado a atenção certa vez quando eu passeava pelo youtube. Passeio virtual, sabe como é, a gente começa com uma receita de camarão e acaba na grande barreira de corais da Austrália. Já não me lembro mais do que eu buscava no dia em que me deparei com Badi no youtube, mas agradeço até hoje o desvio, porque seja lá o que tenha sido, ele resultou na melhor descoberta do ano. Badi Assad é simplesmente magnífica. No palco, é como um ímã. Botamos os olhos nela e não conseguimos mais tirá-los de lá, a não ser que ela mande. E ela pode mandar, porque transborda modéstia. Uma simplicidade que se alia a um humor gentil e inteligente nas histórias que ela conta como se falasse na sala de casa e vai alinhavando com as músicas que ela canta, mas canta de um jeito como nunca ninguém cantou. Voz potente, doce quando ela quer, um silvo ou uma zoeira selvagem, tudo conforme ela deseja, muito dona de seus muitos timbres. E solta. Solta, completamente solta. Badi pode errar, esquecer a letra da música, e rir. E começar outra vez, modestamente, confirmando seu domínio sobre tudo e, claro, sobre nós. É uma libertação assisti-la. Com vocês, Badi Assad:


Milu Leite

milu leite é jornalista e escritora.
Saiba como escrever na obvious.
version 3/s/// @destaque, @obvious //Milu Leite