parabolicando

literatura, música, cinema, artes plásticas, comportamento

Milu Leite

milu leite é jornalista e escritora

Os maus agouros da meteorologia

Se depender de certas pessoas, o Brasil será varrido por vendavais de intolerância.


vento.jpg

Tem gente que aquece, tem gente que gela, tem gente que chove, tem gente que nubla, tem gente que anoitece, tem gente que floresce. Ela venta. A moça que se desloca todos os dias indo do térreo do prédio futurista na Marginal Pinheiros para o seu carro trazido da sombria garagem pelo manobrista, essa moça venta.

Notei isto quando ela passou por mim hoje cedo, eu num passo apressado para não perder o ônibus, ela indiferente à ventania que causava. Balançaram as árvores, os fios das televisões a cabo, até mesmo vi saias insufladas como balões sob o efeito da sua passagem. Por que venta essa moça, eu não sei. Mas tenho algumas suspeitas. Ela ri amarelo, de guardar algum desgosto talvez, e talvez seja este um dos motores do seu andar. Ela não diz bom dia, não enxerga ninguém. Vi um rapaz acenar com dificuldade para ela (pois, sim, ela ventava tão forte!)... Coitado. Ela nem tchuns pra ele.

Imagino que ela goste um bom panelaço, que encare com determinação o esforço de levar a panelinha Le Creuset até a janela do seu apartamento de alto padrão (ou será de padrão internacional?) e usar a sua ventania mais potente para espalhar xingamentos contra a presidente Dilma, como se assim soltasse de dentro do peito tudo o que sempre teve vontade de dizer para negros, pobres e o resto dessa gente feia. Gente feia, sim, que ela soterra sob camadas de pó e fuligem quando venta de dentro de seu carro através deles. Sempre através, transpondo essas carnes do caminho com a determinação de um ciclone.

Tem ventado demais em São Paulo. No Rio e em Belo Horizonte também. Tive notícias de ventos fortes em Porto Alegre, Floripa e Curitiba. A coisa vai mal no Brasil. A culpa é do efeito (que) estufa ego, soberba e menosprezo.


Milu Leite

milu leite é jornalista e escritora.
Saiba como escrever na obvious.
version 1/s/sociedade// @destaque, @obvious //Milu Leite