parágrafo

Literatura e artes

Alexandre Coslei

Alexandre Coslei é jornalista, professor e escritor premiado. Autor do consagrado livro "Os paralelepípedos da Vila Mimosa", selecionado para participar do Prêmio Portugal Telecom em 2010. Como jornalista, está presente em diversas publicações polêmicas na imprensa.

MAUÁ - O EMPRESÁRIO DO IMPÉRIO - AUTOR: JORGE CALDEIRA

Em seu livro "Mauá - O empresário do Império", o biógrafo Jorge Caldeira nos descreve um entusiasta do progresso, um empresário que viveu para investir no desenvolvimento do país. Mas o retrocesso no Brasil é uma lei marcial que condena os que a desafiam.


maua.jpg

Ao terminar a leitura de Mauá - o empresário do império - permanece a forte impressão que as nossas elites conservadoras ainda são um entrave poderoso contra a evolução do Brasil. A mentalidade rentista, a aversão ao investimento produtivo, a exploração do trabalho a partir de uma derivada de uma visão escravagista e o vício de lucrar pela inércia. O que mudou? Nada. É o avanço sempre seguido do retrocesso imposto pela classe dominante. Isso desde o Brasil Império.

Com apenas 9 anos, Irineu Evangelista foi deixado aos cuidados de um tio pela mãe (que preferiu se dedicar a um novo casamento). Do Rio Grande do Sul, Irineu foi trazido de navio para o Rio de Janeiro e ao desembarcar no agitado porto da Praça XV, o tio o empregou no armazém de um português. Irineu passaria a trabalhar como caixeiro. Depois disso, o gênio traçou seu destino. Irineu dominou a contabilidade, o fluxo empresarial da época, aprendeu a língua inglesa e assimilou a dinâmica do capitalismo britânico com seu mentor Richard Carruthers.

Barão, Visconde, Mauá foi o primeiro e mais legítimo empresário do Brasil. Movia-se pela vontade de realizar, de trazer o progresso. Abolicionista, não aceitava a prática da escravidão. Era um empreendedor meticuloso e honesto. Banqueiro, foi um especulador, nunca negou que visava o lucro, mas era também um visionário competente. Mauá foi um capitalista que viveu num Brasil imperial composto de práticas mercantilistas e conduzido por uma classe de parasitas que tinha aversão a mudanças sociais e econômicas. Nada muito diferente do que vemos hoje em dia.

Mauá trouxe a ideia de trabalho e desenvolvimento para uma nobreza rural que preferia o conforto morno das tetas do segundo império. Como empresário, lutou por toda a sua existência para preservar o que construiu, mas fracassou e faliu. Não havia como sobreviver num período em que a ousadia do progresso e do desenvolvimento eram temidos por quem ditava as regras em nosso universo provinciano.

Caldeira nos leva ao passado com naturalidade, as descrições magníficas sobre a região portuária no século 19 são vivas e reais. A narrativa é fluida e preza pela simplicidade dos dados. O livro é entremeado por cartas e documentos que explicam o pensamento e a trajetória de Mauá. Uma boa leitura para se conhecer um momento nevrálgico da história do Brasil.

* Registre-se a dedicação louvável do autor para empreender e concluir o projeto.

dp.jpg


Alexandre Coslei

Alexandre Coslei é jornalista, professor e escritor premiado. Autor do consagrado livro "Os paralelepípedos da Vila Mimosa", selecionado para participar do Prêmio Portugal Telecom em 2010. Como jornalista, está presente em diversas publicações polêmicas na imprensa. .
Saiba como escrever na obvious.
version 4/s/literatura// @obvious, @obvioushp //Alexandre Coslei
Site Meter