parágrafo

Literatura e artes

Alexandre Coslei

Alexandre Coslei é jornalista, professor e escritor premiado. Autor dos livros "Os Paralelepípedos da Vila Mimosa”, que participou do Prêmio Portugal Telecom 2010, além de um volume crítico intitulado "Os indigentes literários", uma reunião de artigos sobre literatura contemporânea que autor classifica como subversivos. Também figura em diversas antologias de contos e poesias. Complementando seu acervo, possui inúmeros artigos publicados em importantes veículos virtuais como o Jornal O Dia, Observatório de Imprensa, Folha do Meio Norte e em diversos Blogs relevantes. Alguns desses artigos foram recordistas de visualizações nos sites onde foram divulgados ou republicados. Como jornalista, está presente em diversas publicações polêmicas na imprensa.

O ator e o poeta

A morte da identidade nacional.


af.jpg

Vivemos um tempo de perdas sequenciais que nos empurram a quedas emocionais incessantes. Estamos numa montanha-russa, experimentando a tragédia ininterrupta e inesperada de uma roleta-russa. Nos últimos dias, duas perdas ecoaram fundo na identidade nacional, Flávio Migliaccio e Aldir Blanc.

fm.jpg

Nunca havia assistido ao Flávio no teatro, até que surgiu a oportunidade de conferir sua última peça “Confissões de um senhor de idade”, que ficou também como sua despedida. Ao vê-lo no palco, me emocionei. Aquele ator na minha frente trazia com ele todas as imagens felizes da minha infância, da minha inocência, dos meus primeiros sonhos, da alegria irreprimível de uma criança. O Xerife da Camicleta, o Tio Maneco das aventuras. O intérprete que nos seus tantos personagens fazia a mágica de sempre nos remeter aos nossos remotos e melhores sentimentos. Quantos artistas possuem esse dom? Entre os poucos, Flávio Migliaccio possuía. Ao ler a última frase da carta que ele deixou, me comovi muito: “Cuidem das crianças de hoje”. As crianças foram a sua última preocupação, mesmo diante do desencanto com o mundo e com a humanidade. É muito difícil falar sobre aqueles que estão muito à frente de nós na grandeza do afeto e da sensibilidade.

aldir2.jpeg

Vi Aldir Blanc duas vezes, a última foi num bar na região que chamam de Baixo Tijuca, no Rio de Janeiro. Ele estava no meio de uma roda de samba, cantava compenetrado e transpirava a felicidade dos homens simples que encontraram o destino na descoberta da vocação. Antes disso, através de um colega, recebi de Aldir um dos seus livros de crônicas, vinha autografado e à parte um bilhete me incentivava a continuar escrevendo. Gigantes são generosos. Fiquei chocado quando vi a mobilização que precisou ser promovida para que o poeta fosse transferido para uma UTI. Aldir transformou o nosso individualismo na consagração do coletivo, nos tornou universais com suas letras e com sua marca carioca. Aldir não foi só um artista, ele é parte fundamental da nossa identidade, da nossa história. Custei a compreender como um gênio daquela dimensão poderia estar entubado numa sala do hospital Miguel Couto a espera do resultado de uma mobilização popular para que ele fosse transferido a uma UTI que representava a salvação de sua vida.

ab.jpg

Quando desiludimos um ator imenso que nos personifica e abandonamos um poeta genial que nos canta, resta a descoberta de que não somos uma nação. Flávio e Aldir ultrapassam o conceito de artistas, são patrimônios humanos, surgem como orquídeas raras que deveriam ser cultivadas com zelo e absoluta atenção. Falhamos. Empobrecemos e continuamos a empobrecer todos os dias, como se fosse possível nos afogarmos ainda mais nesta miséria intelectual que se tornou o Brasil.

Obrigado, Flávio. Obrigado, Aldir. Eu sou o que sou por vocês e graças a vocês.


Alexandre Coslei

Alexandre Coslei é jornalista, professor e escritor premiado. Autor dos livros "Os Paralelepípedos da Vila Mimosa”, que participou do Prêmio Portugal Telecom 2010, além de um volume crítico intitulado "Os indigentes literários", uma reunião de artigos sobre literatura contemporânea que autor classifica como subversivos. Também figura em diversas antologias de contos e poesias. Complementando seu acervo, possui inúmeros artigos publicados em importantes veículos virtuais como o Jornal O Dia, Observatório de Imprensa, Folha do Meio Norte e em diversos Blogs relevantes. Alguns desses artigos foram recordistas de visualizações nos sites onde foram divulgados ou republicados. Como jornalista, está presente em diversas publicações polêmicas na imprensa. .
Saiba como escrever na obvious.
version 1/s/recortes// //Alexandre Coslei