partículas do acaso

Ideias para dar e vender

Farley Ramos

Protótipo de escritor,poeta do anonimato,tão visceral quanto uma pena no deserto, tão poético quanto a relatividade...

Noel Gallagher e a arte de ser do caralho! (ou um tratado sobre o amor puro)

Um texto sobre um cara, um texto sobre uma música, um texto sobre um sentimento...Algumas pessoas ultrapassam os limites, algumas pessoas modificam paradigmas, algumas pessoas fazem tudo isso sem dar a mínima, essas pessoas dominam a arte de ser simplesmente do Caralho!


noel_gallagher.jpg

Esse texto é sobre Noel Gallagher, mas antes de ser sobre um dos irmãos que fizeram carreira com a banda Oasis esse texto é sobre a impossibilidade de se motivar de um jeito racional o que faz certas pessoas serem simplesmente do caralho.

Não há duvida de que há no mundo uma imensa massa de pessoas que passam pela vida despercebidas.Não há duvida de que a probabilidade de que sejamos essas pessoas é absurdamente grande.Se isso me assusta? Talvez, um pouco, se isso te assusta? provavelmente, mas encaremos a realidade...Ser do caralho é pra poucos.

Em tempos onde o conceito de amor das pessoas surge de letras de sertanejo universitário(seja lá o que isso for)que rock é confundido com calças coloridas e atitude é pichar muros é preciso valorizar os especiais,os diferentes, os que simplesmente nos mostram que tudo isso é uma baboseira sem fim e que dá sim pra ser diferente, ser profundo, autêntico e ainda por cima ser pop( se você nunca se pegou cantarolando Wonderwall ou recitando "So, Sally can wait" pode sair desse texto, não é pra você).

Em tempos que o amor de balada é exaltado e parece o único referencial lógico que seguimos sobre esse sentimento os corações que ainda insistem em pulsar ensanguentados revivendo a cada compasso os sofrimentos do jovem Werther gritam por socorro como quem tenta negociar com a dor.Não é preciso ser Piegas pra ser romântico e o mesmo coração que sangra e pulsa na alegoria perfeita de quem ama,mas mesmo assim está condenado a viver ainda bate dentro de um corpo que como diria Eduardo Galeano é uma festa.Pouquíssimas pessoas conseguem regar a festa do corpo com o sangue do coração na dose certa e ainda instigar nossa sedenta inteligencia com a beleza em sua mais pura essência.Esses são os iluminados.

O cara que me ensinou a não olhar para trás com rancor e com isso me fez ver que o passado nada mais é do que uma velha fotografia sem legenda num álbum, que me fez uma vez acreditar que cigarros e álcool eram uma dieta nutritiva para a semana inteira me chega com uma música que me dilacerou tão fortemente quanto a clareza de pensamento de uma vítima atônita de um assalto que acabou de ter uma arma apontada para a cabeça.

If I Had A Gun.mp3

Noel-Gallagher-Mattia-Zoppellaro-Resized.jpg A música em questão é If i had a gun e logo no título vem nos estapear com uma reflexão:"E...Se eu tivesse poder? Se eu pudesse subjugar os outros à minha vontade?Não é isso que os seres humanos almejam? Poder?, não é esse o nosso santo graal?"Mas Gallagher nos diz:" Todo desejo de poder é na verdade um desejo do desejo.Deseja-se o poder para obter algo desejado,o poder por si só é inútil, é fútil, ao contrário do amor que é simples e se justifica por si só.Com todo o poder de uma arma ele atiraria no sol para o amor queimar essa cidade pra você.Nessas nossas metrópoles frias e cinzas Criolo ja bradava: Não existe amor em SP e Gallagher traz a solução.

Adiante ele prossegue nos incitando a compreender o profundo."Excuse me, if I spoke too soon,my eyes have always followed you around the room,Cause you're the only God that I've ever need". Ora, numa sociedade cada vez mais digital onde os contatos humanos reais são cada vez menos frequentes e a força do relógio nos oprime, estamos sempre atrasados demais ou adiantados demais,a hora certa é sempre distante, tudo é muito fluido, se dissolve ao tocar,como saber a hora certa de se falar o que se quer dizer? O coração vive numa cronologia à parte.Pena que a vida não respeite seu calendário.E nessa sociedade onde tudo é tão fluido e passa tão rápido a fé é o ato de rebelião mais poderoso. Acreditar numa verdade sólida é interromper o fluxo do rio, os deuses modernos, tão passageiros quanto o tempo se tornam obsoletos a cada dia.O consumo, o dinheiro,a popularidade,deuses que o homem criou para nos matar e que tem seu sentido condicionado ao modo de viver desse tempo de agora não fazem tanto sentido pra quem ainda pensa com o coração.Portanto, nada coloca mais o amor no mais alto patamar do panteão politeísta moderno que a fé de que dentre todos, o único que se necessita de verdade é ele.

E se o amor é a solução filosófica ideal pros problemas fundamentais da filosofia cabe a nós valorizar os seus bastiões. Como meros humanos comuns,podemos ler poemas,tratados,livros e estudos,mas lembremos sempre.Noel Gallagher nos disse tudo isso fumando seu cigarro, com sua jaqueta de couro, sua guitarra,sua atitude blasé e fazendo música boa...Isso...Meus caros, é ser do caralho!


Farley Ramos

Protótipo de escritor,poeta do anonimato,tão visceral quanto uma pena no deserto, tão poético quanto a relatividade....
Saiba como escrever na obvious.
version 2/s/musica// @obvious, @obvioushp //Farley Ramos