partículas do acaso

Ideias para dar e vender

Farley Ramos

Protótipo de escritor,poeta do anonimato,tão visceral quanto uma pena no deserto, tão poético quanto a relatividade...

All you need is love (ou como os Beatles salvaram minha vida)

Não há nada que você possa fazer que não possa ser feito, nada que você possa cantar que não possa ser cantado...Se você se sente cansado, entediado, se você se sente sem vontade de viver...Dois conselhos: Primeiro leia esse texto, em seguida ouça quantas vezes for possível os Beatles. Eles salvam vidas.


The-Beatles-the-beatles-10561045-1600-1200.jpg

Sabe aqueles momentos em que nada parece fazer muito sentido e entre abrir o portão e pisar na rua a vontade de viver já parece esgotada? Esse momento conhecido popularmente como "Bad" é muito comum nos dias de hoje e como a pessoa comum que eu sou eu também estava batendo de cara com ele.

São dias complicados esses: O mundo anda de cabeça pra baixo, parece que estamos tão desesperados para sermos notados que nos perdemos no caminho. Cara, já perdi as contas de quantas vezes me peguei em debates nas redes sociais sobre o momento político e os últimos acontecimentos. Ansioso demais para ter razão, para ser reconhecido, pra sentir que eu era alguém...E o único jeito de ser alguém nas redes sociais é emitindo sua opinião sobre qualquer coisa e fazer de tudo para ter razão, aí mora o problema...

No desespero insuportável para fazer de tudo,absolutamente tudo para ter razão passamos por cima do mundo como um rolo compressor e as marcas que deixamos nesse processo se transformam num vazio insuportável.

Meu caro leitor, atire a primeira pedra quem não se sente vazio e pressionado a fazer qualquer coisa que seja para ser notado, para ter a sua existência rastreada por qualquer olhar alheio, para não ser apenas mais um grão de areia no imenso deserto de viver...Essa experiência doentia de vida pós moderna é na verdade a anti vida. É a negação da vida enquanto uma experiência prazerosa e a abnegação do contato humano e do carinho em face da razão, da verdade...Parece que cada vez mais buscamos tanto o caminho certo que esquecemos de caminhar, criamos teorias sobre a existência e somos apenas isso...Teorias ambulantes desejando serem provadas e aprovadas...A prática é muito melhor, já dizia Renato Russo " sexo verbal não faz meu estilo".

Eis que num dia qualquer: acorda, escova os dentes, toma banho, come alguma coisa, escova os dentes de novo, procura uma cueca, procura uma camisa, bota cueca, troca de camisa, procura calça, tá calor, coloca bermuda, é muito informal, volta calça, tá muito quente, vem bermuda, chinelo ou tênis, caminha até o ponto de ônibus, pega ônibus...Nesse processo mecânico à la Chaplin em tempos modernos acontece algo mágico...A catarse...

No inferno cinza da cidade algo clama no fundo dos meus ouvidos " love, love, love! Love, love, love!" com uma harmonia tão contagiante que o sorriso(matéria prima dos dias felizes) antes tão precário aparece de uma maneira tão natural quanto o desabrochar de uma flor de tangerina.De repente, não mais que de repente, aqueles rapazes de liverpool parecem comovidos com a nossa vida banal e com a sabedoria de quem já transcendeu a mera existência despencam verdades em minha cara:"Não há nada que você possa fazer que não possa ser feito,ninguém que você possa salvar que não possa ser salvo,mas você ainda tem tempo para aprender a ser você".

Meus caros leitores,peço encarecidamente que se olhem no espelho antes de ler essa parte...Agora por favor, olhem-se de novo...O que vocês veem? Quando éramos garotos éramos cheios de sonhos, esperanças, anseios e a vida parecia ilimitada. Quando crescemos nos ensinam a nos contentar com algumas vitórias, mas não se pode ganhar sempre, nos ensinam a competir, nos ensinam a assistir o jornal e tomar uma sopa como diversão.Nos ensinam a tentar ter sempre razão, a a nos esforçar de vez em quando pra fazer algo que a gente não quer fazer de um jeito mais inovador para baterem no nosso peito e nos felicitarem...Nos ensinam a esquecer quem nós somos aos poucos, até sermos uma mera miragem de nós mesmos.

Os garotos de liverpool bateram na minha cara hoje e me fizeram sorrir de alegria ao ver que todos os acontecimentos da vida trazem em si um componente especial:O outro. Não se vive pra si só. Quando morremos o que resta são as lembranças e marcas que deixamos no outro, são as histórias compartilhadas, as fotos guardadas...A breve porção do espaço-tempo que nos sobre não é nossa...É do outro.Tive a sorte de descobrir tudo isso ao som timbrado e feliz da rapaziada de Liverpool.

Os Beatles salvaram minha vida, hoje eu tive um fim de dia melhor do que o esperado e na verdade foi muito simples como eles mesmos disseram...Eu só precisei de um sopro de esperança ilimitada na convivência humana, só precisei reconhecer que minha vida é o outro, só precisei de amor, e isso é tudo que você também precisa!


Farley Ramos

Protótipo de escritor,poeta do anonimato,tão visceral quanto uma pena no deserto, tão poético quanto a relatividade....
Saiba como escrever na obvious.
version 1/s/musica// @obvious //Farley Ramos