perplexidade e silêncio

Encontrando poesia e bonitezas da vida por aí.

Ruh Dias

Quando criança, quis ser astronauta. Adolescente, quis ser filósofa, cineasta, fotógrafa. Sempre quis ser escritora. Hoje, só quero ser eu mesma.

Sobre a expressão da melancolia

Uma artigo sobre quando a fotografia dá forma, rosto e tons a um sentimento que você carrega desde criança.


Flickr | Monia Melo

Tempos atrás, em um dia particularmente acinzentado, procurei por alguma imagem que transmitisse a melancolia que eu sentia. Um texto, uma poesia, um filme - qualquer expressão artística serviria. Buscava, apenas, alguém que tivesse conseguido transmitir este sentimento que é, na essência, abstrato e meio etéreo.

Nessa busca meio inquieta, me peguei pensando: mas afinal de contas, o que é a melancolia?

Lá nos primórdios do mundo, a melancolia era considerada uma doença pelos gregos - assim como a tristeza, hoje em dia, virou depressão. Depois, foi estudada e dissecada pelo meu amigo Freud e tantos outros psicólogos, e de doença do corpo passou a ser considerada uma doença da mente. Há quem misture melancolia com indisposição, desânimo, nostalgia ou até mesmo com o filme apocalíptico do Lars Von Trier.

Melancolia é igual alegria: cada um sente a sua pelos motivos mais diversos, nas horas mais inesperadas e as expressa das formas mais diversas. E por mais que eu diga que entendo a sua, nunca vou alcançar totalmente a essência dela, e nem você a minha. E estamos entendidos.

Mas (sempre tem um mas!) encontrei a fotografia de Monia Merlo.

A minha melancolia é exatamente como as fotos de Monia: flutua na água em meio a flores desbotadas, vestido esvoaçante tão fino que quase nem é mais tecido, e está só. Espera em um canto, com flores no colo, alguém que venha lhe socorrer. Parece de um tempo antigo e de terras distantes, onde nada acontece e ninguém chega.

A melancolia é um sentimento mais feminino do que masculino: é delicada, frágil, cor-de-rosa desbotado pela vida. Monia sabe capturar a feminilidade da mulher (e da melancolia) em fotos que são mais poéticas do que muita poesia.

É doce e triste ao mesmo tempo.

Bom, a minha melancolia é assim.

E a sua, como seria?

Para quem quiser saber mais sobre o trabalho de Monia, recomendo, além do Flickr, sua página pessoal.


Ruh Dias

Quando criança, quis ser astronauta. Adolescente, quis ser filósofa, cineasta, fotógrafa. Sempre quis ser escritora. Hoje, só quero ser eu mesma..
Saiba como escrever na obvious.
version 1/s/fotografia// //Ruh Dias