perplexidade e silêncio

Encontrando poesia e bonitezas da vida por aí.

Ruh Dias

Quando criança, quis ser astronauta. Adolescente, quis ser filósofa, cineasta, fotógrafa. Sempre quis ser escritora. Hoje, só quero ser eu mesma.

Cinco trilhas sonoras inesquecíveis

Músicas instrumentais épicas e temáticas para transformar dias normais em cinematográficos.


Diggie Vit

Tem dias que acordo achando que minha vida é muito sem graça e querendo um pouco mais de emoção, ou de aventura, ou de drama (no bom sentido da palavra). Ou, ainda, acordo querendo uma válvula de escape para fugir um pouco da minha realidade. Em dias assim, recorro às trilhas sonoras de filmes e seriados, e fico ali imersa em músicas épicas, instrumentais e que me tocam de alguma forma.

Se eu tivesse que ouvir as mesmas músicas, pelo resto da vida, certamente escolheria estas, com suas auras mágicas e solenes:

5. Hans Zimmer - Dream Is Collapsing (A Origem) Claro que esta lista teria alguma música do Hans Zimmer. Ele já criou as trilhas para Batman, Piratas do Caribe, O Grande Truque e tantos outros filmes, mas a música que mais me marcou dele foi a feita para o filme A Origem. Sem ela, o filme não teria a mesma carga dramática e os momentos-chave da trama não seriam tão marcantes. Com certeza, neste caso, a música fez parte do enredo de um jeito insubstituível.

4. Murray Gold - Doomsday (Doctor Who) Esta é uma trilha saída do seriado Doctor Who. Para quem acompanha o seriado e é um "Whovian", como eu, sabe que Doomsday é um dos episódios mais marcantes e dramáticos da série, daqueles que dão um nó no coração e nos fazem chorar sem medo de ser acusado de geek ou de fã obsessivo. Mas, mesmo para quem nunca assistiu um episódio da série e nem sabe do que estou falando, com certeza esta música será bem aceita.

3. La Valse D'Amélie - Yann Tiersen (Amélie Poulain) Se tem uma música que me faz ter vontade de tocar piano, com certeza é esta, a trilha principal de Amélie Poulain. Aliás, recomendo ouvir a trilha sonora inteira, do início ao fim, principalmente se você gosta de piano. Normalmente, as músicas tocadas neste instrumento são tristes, sisudas, austeras. No entanto, no caso do filme Amélie, a trilha acompanha a atmosfera do filme: melancólica, porém, feliz.

2. Death Is The Road To Awe - Clint Mansell (A Fonte da Vida) Esta música foi a que me introduziu ao mundo das trilhas sonoras. Lembro de tê-la no meu celular e escutá-la repetidas e repetidas vezes, antes de dormir, até pegar no sono. Já criei coreografias e histórias para ela dentro da minha cabeça, e já chorei muito também ouvindo-a. Clint Mansell, aliás, também jamais poderia ficar de fora desta lista: ele assina a trilha lindíssima de Requiem Para Um Sonho - que, aliás, quase entrou nesta pequena seleção, e só ficou de fora mesmo porque tenho mais vínculo afetivo com Death is The Road To Awe, mas também vale a menção, escute aqui. Além disso, a trilha de Cisne Negro também é dele. Ps.: A parceria Arofnosky e Mansell não é absolutamente perfeita?!

1. Arrival Of The Birds - The Cinematic Orchestra O primeiro lugar da minha lista é uma trilha vinda de uma origem um pouco mais, digamos, exótica: vem de um documentário sobre flamingos. Sim, isso mesmo, flamingos. Este documentário, entitulado "The Crimson Wing: Mystery of the Flamingos", foi feito em 2008 mas a trilha feita pelo The Cinematic Orchestra só chegou em 2012. Aliás, recomendo ouvir todas as músicas deles, pois eles são uma banda de nu jazz sensacional - já fizeram covers excelentes de Radiohead, inclusive.

Claro que esta seleção reflete os meus gostos e particularidades. E a sua seleção, como seria?


Ruh Dias

Quando criança, quis ser astronauta. Adolescente, quis ser filósofa, cineasta, fotógrafa. Sempre quis ser escritora. Hoje, só quero ser eu mesma..
Saiba como escrever na obvious.
version 1/s/musica// @destaque, @hplounge, @hp, @obvious, @obvioushp, @obvious_escolha_editor //Ruh Dias