Maíra F. Guimarães

Toma banho de chapéu, não espera o papai noel, porém discute Carlos Gardel, entre outros, além de ser uma metamorfose ambulante.
Então vá, faça o que tu queres!

As Trilhas Sonoras de Quentin Tarantino

Assistir a um filme do Quentin Tarantino é uma viagem alucinante!


408992_450276755053136_1424220186_n.jpg

Assistir a um filme do Quentin Tarantino é uma experiência audiovisual extremamente rica; além de roteiros inteligentes e repletos de humor negro, temas atuais ou releituras históricas bem interessantes, ainda envolve uma viagem por simbologias, cores, fotografia marcante e principalmente por uma trilha sonora que muitas vezes assume o papel de personagem principal. Reunir a filmografia do diretor juntamente com sua trilha sonora é uma tarefa bastante divertida e ao mesmo tempo complexa pois realmente tem muita coisa boa. Selecionei algumas canções e momentos marcantes para mim dentro do trabalho de um dos meus ídolos do cinema.

Cães de Aluguel é o primeiro filme de fato do diretor onde o mesmo escreve o roteiro, dirige e ainda faz uma ponta, coisa que é bem comum. Este filme traz uma das melhores cenas de abertura da filmografia de Tarantino, simples e marcante, ao som de Little Green Bag de George Baker Selection o elenco caminha descontraidamente pela rua enquanto é apresentado ao público.

Pulp Fiction é o primeiro grande sucesso de Quentin Tarantino, o filme que o levou a ganhar o Oscar de melhor roteiro original e a Palma de Ouro no Festival de Cannes, virou um clássico. Ícone dos anos 90 este tem uma das melhores séries de diálogos, cenas marcantes e trilha sonora impecável. A cena de abertura é muito boa e conta com os inesquecíveis riffs de "Misirlou” de Dick Dale & His Del-Tones, os quais posteriormente foram reutilizados pela banda pop The Black Eyed Peas no hit “Pump It”. Ainda assim fico com a cena memorável do twist feita por John Travolta e Uma Thurman (que logicamente dança descalça devido ao fetiche do diretor por pés femininos) ao som de “You Never Can Tell” do rei Chuck Berry.

Kill Bill, contanto os dois volumes, é um dos filmes com maior miscelânea de referências dentro da filmografia de Quentin, que vai desde filmes de artes marciais orientais a western spaghetti italiano, dessa forma sua trilha sonora também é muito diversificada. “Bang Bang”, cantada lindamente por Nancy Sinatra, e usada na pré-créditos e abertura do primeiro volume, com certeza é a música que melhor representa este quebra cabeça cinematrográfico.

A Prova de Morte, é considerado um filme menor do diretor, mas nem por isso seja mais fraco. Este é fruto de um projeto chamado Grindhouse no qual ele e o também diretor Robert Rodriguez homenageiam filmes de terror da década de 70. A trilha sonora e a fotografia remetem aos filmes de horror lado B, dando um charme todo especial ao longa. A cena da dança sensual em que a bela Vanessa Ferlito (com direito a muitos closes nos pés) dança para o Kurt Russel ao som de” Down in Mexico” do The Coasters é um dos pontos altos do filme.

Bastardos Inglórios é o grande último filme de Tarantino, e o trouxe de volta as premiações, incluindo oito indicações ao Oscar. Pela sua atuação como Hans Landa, Christoph Waltz ganhou o Prêmio de Melhor Ator no Festival de Cannes, bem como o BAFTA, o Globo de Ouro e o Oscar de Melhor Ator Coadjuvante. O roteiro e o elenco são os destques da película, porém é impossível não citar a cena da poderosa Mélanie Laurent (Shosanna Dreyfus) ao som de “Cat People” de David Bowie.

Esta é uma pequena homenagem a um dos grandes ícones pops da nossa cultura, que além de ser um ótimo diretor ainda nos brinda com trilhas sonoras únicas e com cenas e referências que povoam a mente de muitas gerações.


Maíra F. Guimarães

Toma banho de chapéu, não espera o papai noel, porém discute Carlos Gardel, entre outros, além de ser uma metamorfose ambulante. Então vá, faça o que tu queres! .
Saiba como escrever na obvious.
version 8/s/cinema// @destaque, @hplounge, @hp, @obvious, @obvioushp, @obvious_escolha_editor //Maíra F. Guimarães
Site Meter