polimorfismo cultural

A cultura transposta num polimorfismo de subversão cognitiva... pare, leia e transcenda!

Leandro Godoy

Sou o criador, editor chefe e escritor do site Cinema e Fúria. Gosto dos mais malucos exploitations, aos cultuados filmes de arte até ao mainstream do cinemão pipoca. Meus outros interesses são: odontologia, literatura e música.

Os 10 Melhores Filmes Baseados em Quadrinhos

Os filmes baseados em quadrinhos é o mais novo fenômeno da cultura pop, não é de hoje que estas adaptações cinematográficas são realizadas e à tempos a nona arte vem despertando a imaginação de cineastas e roteiristas, estas adaptações hoje em dia se transformaram em grandes investimentos que na maioria das vezes são astronômicos. Esta pequena lista, é o que para mim, representa o melhor que já foi feito neste formato no cinema.


Adaptar estórias em quadrinhos para o cinema não é uma tarefa fácil, apesar de que a forma de se contar estórias na sétima arte não é tão diferente da arte sequencial dos quadrinhos. Nas HQ´s a criatividade e a imaginação é o que impera, neste tipo de arte não existe censuras e nem limites. Os tabus e as fraquezas da sociedade são retratados de forma singular e metafórica, se tornando em poderosas formas de críticas sociais e políticas. Durante muitos anos os quadrinhos eram considerados uma arte maldita pela a conservadora sociedade, era um território amplo que não haviam cercas e várias leis tiveram de ser implementadas para barrar a produção em massa de quadrinhos e a criatividade dos roteiristas e desenhistas, nos EUA por exemplo, por muito tempo os quadrinhos passaram por uma rígida peneira pelas organizações de censura do governo. A nona arte também era difamada pela a grande mídia, que a culpava de causar todas as formas e tipos de degenerações sociais, desde roubos à assassinatos seriais, e elas também veiculavam que os quadrinhos causavam vários tipos de problemas e distúrbios psicológicos.

Hoje em dia a nona arte tem mais liberdade e este tipo de censura não existe mais, pelo menos nos países onde não há a mão inquisidora da ditadura onde o povo não tem diretos perante o governo, na China por exemplo, os quadrinhos ainda são mal vistos pelo a política e milhares deles ainda são proibidos de serem comercializados.

O grande problema dos filmes baseados em quadrinhos é que na maioria das vezes os estúdios preferem não entrar na polêmica que eles geram, tocando em assuntos considerados tabus, que podem fazer com que muitas pessoas que nunca leram os quadrinhos não vá ao cinema, temendo assim que o filme vá mal nas bilheterias. Mas, há quem respeite a aura da nona arte e transportam os quadrinhos para o cinema de forma digna respeitando o personagem e o seu mundo. Lembrando que a lista está disposta em ordem aleatória e não hierárquica. Segue-se a lista:

10 - O Corvo (Direção: Alex Proyas, 1994)

The-Crow-1994-movie-pictures.jpg

Este filme é a adaptação dos quadrinhos para adultos criado por James O'Barr. O filme nos leva para o meio de uma cidade assolada pelo crime, miséria e falta de esperança. O clima dos quadrinhos é bem transposto para o filme e o personagem Eric Draven que volta dos mortos para vingar a sua morte e de sua esposa está impecável na atuação de Brandon Lee. Infelizmente Brandon Lee morreu durante as filmagens em um acidente envolvendo uma arma de fogo durante a gravação de uma cena, o diretor Alex Proyas terminou o filme utilizando o dublê de Brandon Lee. Depois que a polícia terminou de investigar a filmagem que mostra o acidente, o rolo de filme em que a trágica cena estava, foi queimado por Alex Proyas.

9 - The Avengers - Os Vingadores (Direção: Joss Whedon, 2012)

the_avengers_2012-2560x1600.jpg

Este filme é uma ode à toda cultura cinematográfica que envolva o universo criado por Stan Lee, aqui não vemos outros personagens icônicos e cultuados da Marvel como O Homem Aranha e os X- Men, mas temos Thor, Hulk, Homem de Ferro e Capitão América. Os filmes baseados nestes personagens remetem o universo mais infanto juvenil da Marvel e o lado mais obscuro e adulto é deixado de lado e apenas a diversão e o lucro nas bilheterias são os pontos fortes dos filmes, e no caso deste filme, eles acertaram em cheio, a diversão é garantida! A escolha para a direção e roteiro não poderia ficar a cargo de alguém mais competente para esta tarefa, Joss Whedon, que já havia revitalizado o universo dos X-Men nos quadrinhos com os Surpreendentes X-Men, e dirigido e roteirizado a incrível e curta minissérie de ficção científica Fireflly.

8- V de Vingança (Direção: James McTeigue, 2005)

733937_452697314810054_1143698288_n.jpg

Este filme é a adaptação da graphic novel escrita pelo o mago da nona arte Alan Moore, onde um revolucionário sedento por vingança quer derrubar uma ditadura numa Inglaterra distópica. O filme conseguiu transpor a atmosfera de crítica política e social do universo da graphic novel, juntamente com seus textos e frases de efeito, de uma forma mais dinâmica, agregando milhares de ativistas e revolucionários de sofá pelo mundo, influenciando até revoluções mais sérias e consistentes como a que faz o grupo de cyber-ativistas do Anonymous e do WikiLeaks.

7- Akira (Direção: Katsuhiro Ôtomo, 1988)

0000232692.jpg

Esta obra-prima da animação é uma adaptação para o cinema do manga homônimo de Katsuhiro Ôtomo, ele foi roteirizado por Izô Hashimoto e dirigido pelo próprio Katsuhiro Ôtomo. Akira é uma ode à cultura cyberpunk que remetem futuros distópicos, esta animação japonesa é revolucionária pela sua ousadia, originalidade, estilo e magnitude. Akira foi a primeira animação japonesa a ser exibida no Brasil, com o nome de Mainstream.

6- Anti-Herói Americano (Direção: Shari Springer Berman, Robert Pulcini, 2003)

163517_452694491477003_1516686881_n.jpg

Este filme é uma adaptação para o cinema dos quadrinhos alternativos American Splendor escritos e desenhados pelo genial Harvey Pekar, um artista muito importante da contra cultura norte-americana. O filme que é narrado pelo próprio Harvey Pekar, assim como nos quadrinhos, é um diário do autor que conta como é seu cotidiano. A visão de mundo de Harvey Pekar, brilhantemente interpretado por Paul Giamatti, é singular e extremamente pessimista, algo que é bastante cômico se não fosse tão trágico. O filme mostra sua relação com o ícone do underground dos quadrinhos Robert Crumb, seus conturbados e excêntricos relacionamentos românticos e as brigas de egos entre ele e David Letterman ao vivo no programa Late Show conduzido por Letterman.

5- Sin City (Direção: Robert Rodrigues, Frank Miller, 2005)

tumblr_mmcx0m8L4x1s8bq80o1_1280.png

Este filme literalmente transpôs os quadrinhos do Sin City para o cinema, não só suas estórias e seus personagens mais também sua estética narrativa visual, conseguindo manter o estilo underground e a magia distópica das HQ´s. Este filme revolucionário é a adaptação em live action das geniais e premiadas HQ´s criadas por Frank Miller que co-dirigiu e produziu o filme, elas são: Sin City - A Grande Matança, Sin City - A Cidade do Pecado e Sin City - O Assassino Amarelo. Quentin Tarantino foi convidado pelo o amigo Robert Rodrigues para dirigir um segmento do filme, ele dirigiu a cena em que o personagem de Clive Owen (Dwight) em um momento de loucura e medo conversa com o corpo sem vida e semi-decapitado do personagem vivido por Benicio Del Toro (Jackie Boy) em uma tensa jornada dentro de um carro. Uma continuação está prevista para o ano de 2013!

4- Persépolis (Direção: Marjane Satrapi, Vincent Paronnaud, 2007)

524577_452719208141198_818169371_n.jpg

Esta animação francesa é a adaptação da graphic novel que é um romance gráfico autobiográfico homônimo de Marjane Satrapi. O filme conta a história real de Marjane Satrapi que roteirizou e dirigiu o filme com a ajuda de Vincent Paronnaud, da sua conturbada adolescência em plena revolução iraniana até quando ela é expatriada aos 22 anos. Persépolis é um filme político que personifica de forma genial o que é viver numa nação cujos seus líderes déspotas visam o controle dos direitos e a opressão da liberdade dos cidadãos comuns através de rígidas leis e regras. Um filme comovente e poderoso!

3- Batman - O Cavaleiro das Trevas (Direção: Christopher Nolan, 2008)

The Joker Heath Ledger.jpg

Apesar do filme não focar na complexidade e magnitude do personagem criado por Bob Kane que dá nome ao título, ele consegue transpor de forma competente os vilões do Batman nos quadrinhos, como o Coringa, que é o psicopata mais adorado da cultura pop. Nolan foca apenas nas qualidades heroicas de Batman e no trauma de Bruce Wayne pelo assassinato dos pais, o personagem é transposto como um milionário mimado e não como um psicótico que anda na linha tênue da loucura e da sanidade assim como nos quadrinhos que Nolan inspirou para conceber este filme, que foram as graphic novels Batman - O cavaleiro das Trevas de Frank Miller e Batman - O Longo Dias das Bruxas de Jeph Loeb. Apesar destes defeitos grotescos para com o personagem Batman, este filme é espetacular e o personagem Coringa brilhantemente interpretado por Heath Ledger, rouba a cena e já está imortalizado na história da sétima arte.

2- Old Boy (Direção: Chan-wook Park, 2003)

oldboy2.jpg

Este filme é baseado no mangá homônimo criado e escrito por Nobuaki Minegishi e Garon Tsuchiya, ele remete a segunda parte da trilogia da vingança concebida pelo diretor sul coreano Chan-wook Park. Este filme é genial, a natureza humana é transposta de uma forma brutal instigada pelo o sentimento de vingança tomado por uma insanidade lúdica. Este é o mais original e instigante filme concebido neste começo de século, ele possui características de todos os gêneros cinematográficos, façanha esta reservada somente aos westerns mais geniais. Este filme é uma obra-prima!

1- Superman - O Filme (Direção: Richard Donner, 1974)

superman-1978-wallpapers_17470_1152x864.png

Apesar do filme apresentar efeitos especiais primitivos em comparação aos efeitos em CGI modernos, o seu efeito mágico e surpreendente está na sua personalidade e estilo que é atemporal. Sua estória remete às origens do Superman, que é um dos personagens mais cultuados da nona arte. Richard Donner transpôs o personagem criado pela dupla Joe Shuster e Jerry Siegel na década de 1930 como ele é nos quadrinhos, ou seja, uma dramática metáfora da humanidade... a dissertação de Bill (David Carradine) sobre o Superman no filme Kill Bill volume II de Quentin Tarantino, pode explicar melhor do que eu jamais poderia o significado desta metáfora. O filme deu para o mundo algo que o impressionou, pela primeira vez a humanidade viu um homem voar como um pássaro ou como um avião e na velocidade de uma bala!

Visite e conheça a página do Cinema e Fúria no facebook e o blog para ficar por dentro de mais opções de filmes dos mais variados temas. Obrigado.


Leandro Godoy

Sou o criador, editor chefe e escritor do site Cinema e Fúria. Gosto dos mais malucos exploitations, aos cultuados filmes de arte até ao mainstream do cinemão pipoca. Meus outros interesses são: odontologia, literatura e música..
Saiba como escrever na obvious.

deixe o seu comentário

Os comentários a este artigo são da exclusiva responsabilidade dos seus autores e não veiculam a opinião do autor do artigo sobre as matérias em questão.

comments powered by Disqus
version 8/s/cinema// @destaque, @obvious //Leandro Godoy
Site Meter