polimorfismo cultural

A cultura transposta num polimorfismo de subversão cognitiva... pare, leia e transcenda!

Leandro Godoy

Sou o criador, editor chefe e escritor do site Cinema e Fúria. Gosto dos mais malucos exploitations, aos cultuados filmes de arte até ao mainstream do cinemão pipoca. Meus outros interesses são: odontologia, literatura e música.

Invocação do Mal: A Volta do Terror Espetáculo

Este filme de 2013 é uma obra-prima contemporânea do terror espetáculo com o uso perfeito de todas suas características. Ele conta a história real do caso fantástico de uma família que se muda para uma casa assombrada por espíritos demoníacos, que pediram a ajuda dos mais famosos paranormais e demonologistas teólogos dos EUA, Ed e Lorraine Warren.


The-Conjuring-2013-Movie-Poster1.jpg

O espaço fílmico desta obra consegue realmente nos transmitir uma sensação de pavor que desencadeia processos químicos no nosso cérebro quando estamos com medo, fazendo com que o frio na espinha nos arrepie. O filme é um blockbuster e ele necessita de todos os preceitos deste tipo de cinema para contar uma estória, todavia, ele não se perde nesta armadilha como muitos filmes de terror modernos e os usam de forma brilhante a seu favor. Os efeitos práticos e de CGI estão em perfeita simbiose.

As cenas de aparição dos espíritos demoníacos são aterradoras, o diretor James Wan que é uma das mentes por trás da série de filmes Jogos Mortais (considero o primeiro filme da série dirigido por este mesmo diretor um dos melhores do gênero) trabalha muito bem com os ângulos e enquadramentos de câmera ousados que casam perfeitamente com a atmosfera de horror que se cria durante o filme, juntamente com a trilha sonora macabra e com as atuações competentes de seu elenco talentoso, destaque para a atuação de Lili Taylor que encarna uma das mais bem feitas possessões demoníacas da história do cinema. O filme possui os sustos repentinos que é de praxe neste estilo de filme, mas eles são comedidos e em tempo certo, fazendo com que os sustos que levamos durante o longa sejam algo espontâneo e não forçado.

the-conjuring-review.jpg

Este filme personifica de forma genial os temores simples mas que em algum momento de nossas vidas nos aterrorizam de tal forma que nos fazem perder todo o sentido de razão, como o medo de fantasmas que podem puxar nossos pés durante o sono ou se esgueirar por entre contos escuros, afim de nos amedrontar numa sagacidade lúdica extraordinária e sádica. Será que este filme é clichê no sentido de copiar esteriótipos de outras obras deste estilo ou se todos os filmes de terror desta temática se basearam em fatos reais que provém do imaginário popular.

O filme possui uma ressalva um pouco pífia mas bastante explicativa e importante para o desenrolar do enredo que em filmes de terror com temática de casas mal assombradas quase nunca é esclarecido, porque as pessoas que estão neste lugar infestado de entidades demoníacas não se mudam? Pergunta que frusta quem assiste ao clássico Poltergeist de 1982, por exemplo.

tumblr_mt2uzzLjSA1sa2iako2_r1_500.jpg

O filme possui todos os clichês do gênero de filmes que seguem o mesmo estilo, mas isto não tira nem um pouco a sua credibilidade e magia. O filme não é apológico e nem crítico, ele apenas foca nas fundamentações religiosas de que demônios, bruxas e espírito maléficos realmente existem visando aumentar o clamor popular para a obra, ainda mais quando no seu marketing vem a frase ''baseado em fatos reais'', uma velha formula que pode trazer novamente a tona boas produções de horror. O filme foi feito como entretenimento e não possui nada de hermético e original, mas é uma boa diversão para quem procura filmes assustadores.

Trailer:


Leandro Godoy

Sou o criador, editor chefe e escritor do site Cinema e Fúria. Gosto dos mais malucos exploitations, aos cultuados filmes de arte até ao mainstream do cinemão pipoca. Meus outros interesses são: odontologia, literatura e música..
Saiba como escrever na obvious.
version 1/s/cinema// @destaque, @obvious //Leandro Godoy