polimorfismo cultural

A cultura transposta num polimorfismo de subversão cognitiva... pare, leia e transcenda!

Leandro Godoy

Sou o criador, editor chefe e escritor do site Cinema e Fúria. Gosto dos mais malucos exploitations, aos cultuados filmes de arte até ao mainstream do cinemão pipoca. Meus outros interesses são: odontologia, literatura e música.

Chef: Uma Deliciosa Comédia

O novo filme do cineasta Jon Farevau é uma ode à gastronomia e todas sensações que ela proporciona, como uma degustação de bons sentimentos e leveza de espírito.


chef-2014-poster01.jpg

Chef é um bom exemplo de que uma comédia inteligente e leve pode ser algo bem mais divertido do que piadas apelativas de conotação sexual, algo que é gratuito em quase todas as comédias norte-americanas recentes.

O filme faz uma brilhante dissertação do papel das redes sociais na vida social e profissional das pessoas pelo o mundo afora. O chefe de cozinha Carl Casper interpretado por Jon Farevau não se adéqua a estas novas mídias, quando um renomado crítico gastronômico faz uma crítica destrutiva ao seu trabalho em seu blog, ele se vê obrigado a responder a afronta no Twitter, contudo, o chefe quarentão e antiguado tweeta a mensagem de forma agressiva pensando que ela seria vista apenas pelo o crítico, mas como sabemos, não é bem isso que acontece. Então, nas redes sociais tem início uma briga de egos e isso se transforma em algo viral, revirando de pernas pro ar a vida de Carl Casper, como se um barraco entre um passional chefe de cozinha e um popular crítico gastronômico fosse mais importante do que a guerra no Iraque ou o genocídio na Faixa de Gaza por exemplo, mas esta é a grande perdição destas redes sociais, o poder de transformar algo fútil em um assunto de repercussão global, fazendo de seus protagonistas celebridades instantâneas, odiadas e amadas pelo o mesmo número de pessoas.

chef-06.jpg

Por conseguinte, é aí que a magia do filme se inicia. Carl Casper ganha um trailer restaurante em péssimas condições de um excêntrico falso milionário interpretado por Robert Downey Junior numa primorosa participação especial, e da cozinha ele cai na estrada para fazer de sua especialidade em comidas latinas um lucrativo negócio de trailer, viajando pela costa litorânea da Flórida, transformando o filme num road movie cômico e transcendental. Carl Casper é acompanhado por seu filho Percy interpretado graciosamente pelo o ator mirim Emjay Anthony, e pelo o seu subchefe mexicano Martin em mais uma interpretação descontraída de John Leguizamo.

Chef consegue ser ao mesmo tempo um drama do cotidiano moderno como uma comédia da vida mundana, em que a tecnologia e o trabalho nos afastam daquilo que fazem dos nossos sentimentos algo empírico de serem vitalmente notados, nos dando força para enfrentar quaisquer adversidades e inseguranças. Este filme também é uma ode aos nossos sentidos por conseguir mesclar delicadamente boa música, gastronomia e relacionamentos humanos, ou seja, tudo aquilo que rejuvenesce e nos faz seguir mais um dia feliz e de bem com a vida.


Leandro Godoy

Sou o criador, editor chefe e escritor do site Cinema e Fúria. Gosto dos mais malucos exploitations, aos cultuados filmes de arte até ao mainstream do cinemão pipoca. Meus outros interesses são: odontologia, literatura e música..
Saiba como escrever na obvious.
version 1/s/cinema// @destaque, @hplounge, @obvious, @obvioushp //Leandro Godoy