ponto cego

Incubador de pensamentos

Gustavo Serrate

Jornalista e cineasta independente de Brasília. Meus interesses transitam pelo cinema, quadrinhos, fotografia e toda forma de cultura independente ou marginalizada

O que é tristeza para você?

"O que é tristeza para você?" Conheça esta série de mini documentários realizada por um coletivo de São Paulo. Esta pergunta é feita à personagens e as respostas são dignas de reflexão.


Thomás Tristonho

O que é tristeza para você? Uma pergunta com uma resposta única para cada pessoa neste planeta. Um coletivo de São Paulo (Coletivo Centro e Vitrine Filmes) realizou um curta-metragem e uma série de projetos sobre este tema que valem a pena uma conferida.

André Saito & Cesar Nery dirigiram o o curta metragem de 11 minutos, filmado em 16mm, “Thomás Tristonho”. “Tudo o que eu toco fica triste”, é a grande problemática da vida deste garoto complexado. Ele cresce com esta idéia e usa um par de luvas para conviver com o mundo que o cerca. Esta é a proposta do curta.

Tão interessante quanto (ou mais) é o projeto que surgiu a partir deste curta-metragem ficcional. “O que é tristeza para você?”, é uma série de pequenas entrevistas em que o entrevistado busca responder à sua maneira esta questão. Cada episódio traz um entrevistado, em geral pessoas singulares, atípicas, com idéias aguçadas.

O episódio da série que capturou minha atenção, foi a entrevista com um artista chamado Hélio Leites. A figura deste personagem é no mínimo chamativa. Usa o cabelo branco espichado para a frente e óculos quebrado de um lado e tampado com remendos na outra lente. As pílulas de sabedoria de Hélio definitivamente não são descartáveis e nos conduzem à reflexão. A produção do documentário definitivamente fez um bom trabalho de pesquisa pois os personagens não deixam a desejar.

helio leites.jpg

Guardo aqui uma citação de Hélio Leites que me comoveu bastante: “Quem tá desempregado, é porque está procurando serviço no lugar errado. Quando a gente vai procurar o que fazer dentro da gente, acontece uma coisa incrível. A gente sempre acaba fazendo o que a gente gosta. E fazer o que a gente não gosta é o pior desemprego do mundo. Se pegar este aparelho aqui, que pisca, que ri e que chora, e botar ele pra fazer uma coisa que ele não gosta, é um desserviço para o espírito”, disse.

Conheça a série “O que é tristeza para você?” e o curta metragem “Thomás Tristonho” na página do projeto.


Gustavo Serrate

Jornalista e cineasta independente de Brasília. Meus interesses transitam pelo cinema, quadrinhos, fotografia e toda forma de cultura independente ou marginalizada.
Saiba como escrever na obvious.
version 1/s/Artigo// @destaque, @obvious //Gustavo Serrate