ponto e vírgula

Opinião sem reticências...

Constance von Krüger

Fale comigo pelo: [email protected]

TOP-5 VILÃS DA TELEVISÃO BRASILEIRA

A empatia pelos vilões, se acontece, é mais arrebatadora da que acontece pelos mocinhos. Conheça as cinco piores dos últimos anos da televisão brasileira.


O Brasil, antes conhecido por ser o país do futebol, é hoje o país de muitas outras coisas, tendo se tornado referência cultural em diversos aspectos, mundo afora. Dentre elas, é o país das novelas. Passadas em vários países, elas são referência em qualidade e, sobretudo, em arrebatamento dos espectadores. Esse elemento, somado ao típico humor brasileiro, resultou em um curioso fenômeno, digno de estudos sociológicos: a empatia pelos vilões, se acontece, é mais arrebatadora da que acontece pelos mocinhos.

nazare.jpg

Que ‘Avenida Brasil’, novela da Rede Globo, exibida atualmente no horário das 21h, é um sucesso estrondoso, ninguém questiona. A saga de vingança da protagonista Nina, que se iniciou com traumas infantis, revelou ao Brasil uma nova – e inesquecível – vilã: Carmen Lúcia, ou Carminha, como é mais conhecida. A loira quarentona, inescrupulosa, fingida e divertidíssima, está com os dias contados, pois é próximo o fim da trama. Mas, com a interpretação magistral de Adriana Esteves, e o texto impecável de João Emanuel Carneiro, Carminha já se consolidou como um dos grandes nomes da vilania feminina brasileira. A repercussão das peripécias da antagonista é majoritariamente positiva, tanto nas redes sociais, como em discussões acaloradas nos mais variados ambientes. O rol das grandes vilãs do horário nobre dos últimos tempos ganhou nova representante. Que outras poderiam elencar um ranking? Vamos lá.

05. Carminha – Avenida Brasil

Não menos genial, a loira perua e dissimulada de autoria de J.E.Carneiro e interpretação de Adriana Esteves figura no quinto lugar, não pela menor qualidade, mas sim por não ter ainda um desfecho conhecido pelo público. Abaixo, cena em que Carminha destila todo seu ódio, tentando afogar Nina/Rita, sua enteada e inimiga, em uma banheira, após ser humilhada por ela:

04. Laura Prudente da Costa – Celebridade

Vivida por Cláudia Abreu e escrita por Gilberto Braga, a “cachorra”, como ficou conhecida, foi a antagonista de Maria Clara, papel de Malu Mader, em Celebridade, novela exibida entre 2003 e 2004. A loira, da mais baixa estirpe, conseguiu lograr alguns êxitos em prejudicar a inimiga antes de ser assassinada com seu parceiro, o “michê” Marcos (Márcio Garcia), pelo também vilão Renato Mendes (Fábio Assunção). Eis a cena mais famosa da novela, quando a mocinha dá uma surra na vilã, enquanto elenca os malfeitos desta:

03. Bia Falcão – Belíssima

Em Belíssima, novela escrita por Sílvio de Abreu e exibida entre 2005 e 2006, a grande vilã em cena foi Bia Falcão, vivida pela grande atriz Fernanda Montenegro. Após tentar controlar a vida de sua neta, Júlia (Glória Pires), e se envolver em diversas armações e crimes, Bia forja sua própria morte e tem um final na novela digno de uma mulher muito poderosa – em Paris, ao lado de belo jovem, Mateus, vivido por Cauã Reymond, ao som de “As aparências enganam”, na voz de Elis Regina. Abaixo, cena em que Fernanda Montenegro empresta à personagem, maldade, dissimulação, e sua principal marca: a soberba e o horror à pobreza, em um texto surreal:

02. Flora – A Favorita

Patrícia Pillar, entre 2008 e 2009, viveu a louca e sanguinária Flora, papel que lhe rendeu admiração nacional, durante a novela A Favorita, de autoria de João Emanuel Carneiro. A trama, em seu início, não revelava quem era a vilã e quem era a mocinha. E nós, telespectadores, tentávamos nos convencer se quem era verdadeira em seu discurso era Flora ou Donatela (Cláudia Raia). Criadas como irmãs, em um passado distante, uma delas havia matado o marido de Donatela (e amante de Flora), e a dúvida, na primeira parte da novela, seria quem havia sido a autora do crime. Flora ficou presa por anos, e, ao sair da prisão, reivindicou o que alegava ser seu de direito. Nesse momento, são reveladas as linhas que unem as duas protagonistas, como a filha de uma delas, Lara (Mariana Ximenes), o passado artístico das duas, e a relação com o controverso personagem Silveirinha (Ary Fontoura). Abaixo, cena em que Flora desfila sua loucura e faz com que Gonçalo (Mauro Mendonça) tenha um ataque cardíaco e morra, ao fingir que assassinou sua esposa, Irene (Glória Menezes) e sua neta, Lara:

01. Nazaré Tedesco – Senhora do Destino

Quando jovem, Nazaré (Renata Sorrah) roubou a filha de Maria do Carmo (Susana Vieira), em Senhora do Destino, novela de 2004 e 2005, escrita por Aguinaldo Silva. A maldosa vilã, apesar de seus crimes, sempre devotou amor à filha que criou como sua, de quem tirou o nome de Lindalva e deu o nome de Isabel (Carolina Dieckmann). Nazaré protagonizou cenas épicas e divertidíssimas de crueldade e escárnio, sempre se referindo a Maria do Carmo como “anta nordestina”. A mulher matou a amiga Djenane (Elizângela) quando sua serventia acabou, e também assassinou o marido José Carlos (Tarcísio Meira), quando ele descobriu que a filha de Nazaré era a criança seqüestrada de Maria do Carmo. Abaixo, uma das cenas mais épicas de toda a teledramaturgia brasileira, quando Renata Sorrah samba na cama da inimiga, e coloca de vez Nazaré Tedesco como a maior psicopata que já rondou nossas televisões:

[Cenas retiradas do Youtube, de obras pertencentes à Rede Globo de Televisão]


version 2/s/// @destaque, @obvious //Constance von Krüger