por trás do espelho

reflexões involuntárias

Eli Boscatto

Formada em Ciências Políticas e Sociais, curiosa, inquieta, adora se emocionar. Pretensa poeta.

O Surrealismo de Tetsuda Ishida


tetsuya_ishida_16.jpg Na cultura oriental ao contrário da ocidental, se prioriza o coletivo, o que não deixa de ser admirável. Porém até que ponto o indivíduo pode ser relegado a apenas mais uma peça da engrenagem, um robô sem identidade programado e previsível? O indivíduo precisa também encontrar seu lugar no mundo, sentir-se único.

Tetsuda Ishida é um nome de talento. O ilustrador e pintor japonês ficou conhecido por explorar a temática cotidiana oriental de maneira dark e incluir ele mesmo como protagonista das histórias que criava. O impacto das reflexões de Tetsuda é inquestionável.

O curioso e peculiar trabalho do artista plástico envolve incomodos bastante pessoais sobre o modo de vida oriental, mostrando com frequência o individuo como parte da indústria e impossível de se dissociar, ou corpos como prisões e extensões de máquinas. O trabalho de Tetsuda nada mais é do que reflexo de sua vida adulta em Tokyo, onde morreu em 2005 com 31 anos, atropelado por um trem, em uma provável tentativa de suicídio. tetsuya_ishida_25.jpg tetsuya_ishida_1.jpg tetsuya_ishida_3.jpg

tetsuya_ishida_4.jpg

tetsuya_ishida_13.jpg

tetsuya_ishida_7.jpg

tetsuya_ishida_22.jpg

tetsuya_ishida_8.jpg

Fonte: revista Trip


Eli Boscatto

Formada em Ciências Políticas e Sociais, curiosa, inquieta, adora se emocionar. Pretensa poeta..
Saiba como escrever na obvious.
version 2/s/artes e ideias// @obvious, @obvioushp, eros //Eli Boscatto