por trás do espelho

reflexões involuntárias

Eli Boscatto

Formada em Ciências Políticas e Sociais, curiosa, inquieta, adora se emocionar. Pretensa poeta.

Bashô e os haicais - pequenas doses de emoção

Não há como transformar em palavras a estética do visível e do oculto sem que seja através da poesia. A delicada poesia em forma de haicai coloca em poucas palavras toda a força e a beleza das imagens, aquelas que o olhar alcança e as que estão além do olhar.


Portrait-of-Basho-Watanabe-Kazan-detail-medium-postbit-248.jpg

Bashô nasceu Matsuo Kinsaku por volta de 1644 na província de Iga e faleceu em Osaka em 1694. Foi o poeta mais famoso do período Edo no Japão.

Haicai é uma forma de poesia de origem japonesa e Bashô é reconhecido como um mestre da sucinta e clara forma haicai de escrever poesia.

Nos círculos da moda literária de Nihonbashi a poesia de Bashō foi rapidamente reconhecida por seu estilo simples e natural. Em 1674 ele foi introduzido no círculo íntimo da profissão haikai, recebendo ensinamentos secretos de Kitamura Kigin.

No inverno de 1680, tomou a surpreendente decisão de mudar-se para o outro lado do rio até Fukagawa, longe dos olhos do público e para uma vida mais reclusa. Seus discípulos construíram uma cabana rústica para ele e plantaram uma bananeira (bashō?) no quintal, dando a Bashō um novo haigō e sua primeira casa permanente.

Apesar de seu sucesso, Bashō cresceu insatisfeito e solitário. Começou a praticar meditação zen, mas não parece ter acalmado sua mente. No inverno de 1682 sua cabana incendiou-se e pouco depois, no início de 1683, sua mãe morreu. Em seguida, ele viajou para Yamura para ficar com um amigo. No inverno de 1683 seus discípulos lhe deram uma segunda cabana em Edo, mas seu temperamento não melhorou. Em 1684 seu discípulo Takarai Kikaku publicou uma compilação dele e de outros poetas. Mais tarde naquele ano, deixou Edo para a primeira de quatro grandes peregrinações. Não se sabe se Bashô se tornou um monge ou não, mas no final de sua vida tornou-se um poeta andarilho. É dessa época (1685) seu haikai mais célebre, "No antigo lago", e também o seu livro mais famoso, "Sendas de Oku".

portrait-of-matsuo-basho.jpg Em sua última viagem, Bashō adoece em Osaka, antes de chegar ao local destinado, (Kiushu), e morre no dia 28 de novembro de 1694. Seu último haikai fala de sua jornada poética: "Doente em viagem sonho em secos campos Ir-me enveredar"

shiretoko, Japao.jpg Um velho lago parado... cerrado... calado... de águas turvas e tranquilas, realizava, no deslumbramento da noite clara, seu sonho antigo de ser espelho... Seu fundo lodoso e sombrio refletia, cheio de orgulho, um cortejo relumbrante de estrelas, quando um sapo, asqueroso e profano, saltou sobre ele, arrancando de suas águas um arrepio de pavor e um gemido estrangulador de agonia...

Matsuo-Basho1.jpg Primavera: Neblina matinal sobre Uma montanha sem nome

13600_0001x29g.jpg Acorda acorda Serás a minha companheira borboleta que dormes

28_corvos_reconhecem (1).jpg Chuva de flores de ameixoeira Um corvo procura em vão o seu ninho

578305_366015650122973_1958011994_n.jpg Calo-se o sino O que chega a mim agora é o eco das flores

820585777_84f5598eb1.jpg Vem cá passarinho E vamos brincar nós dois Que não temos ninho.

shouen05-1024.jpg De que árvore florida chega? Não sei. Mas é seu perfume...

don2.jpg Admirável aquele Cuja vida é um contínuo relâmpago

Notas: Bashō - árvore semelhante à bananeira, foi registrado com o nome de Kinkasu. Foi daí que o poeta adotou o seu "haigo" (pseudônimo poético). “Sendas de Oku” - Publicado em 1702, o livro baseia-se em uma viagem realizada por Bashō durante a primavera e o outono de 1689, de Edo à região de Oku. A viagem durou 156 dias, percorridos a pé. Fonte: http://www.sumauma.net/haikumasters/basho/basho-bio.html


Eli Boscatto

Formada em Ciências Políticas e Sociais, curiosa, inquieta, adora se emocionar. Pretensa poeta..
Saiba como escrever na obvious.
version 2/s/recortes// @destaque, @obvious //Eli Boscatto