pra não dizer que não falei das flores.

Eu convido você para um mundo onde não existe tal coisa como o tempo.

Isabel Nobre

Nem sei mais.

Claire Milbrat: livrando-se do olhar masculino em Groin Gazing

Uma série de fotos de pessoas (ou partes delas) que estimulam desejos sexuais sem mostrar o rosto e o corpo do ser fotografado, sem esteriótipos, e não direcionado ao público heterossexual masculino? Sim, isso existe.


tennisplayer-small.jpg

Eventualmente, ensaios sensuais com modelos masculinos são feitos de maneira a comercializar o modelo, deixando nu, vendável, com um corpo muito específico, sempre as mesmas características em todos os meninos (relativamente musculosos, altos) e direcionado ao público gay masculino. Quando se trata de atração sexual e sua representação, os homens ainda são considerados predominantemente visual; mulheres, emocional.

stoner2-small.jpg

Demora cerca de cinco minutos na internet para ver que esta convenção não está mais tão estabelecida assim. Uma pesquisa nos Estados Unidos têm discutido a vontade das mulheres - e desejo de - sexo e amor, separando-os, e ela sugere que as mulheres são tão, se não mais propensas a se concentrar em partes pudendas por mais longos períodos do que nos rostos das pessoas ao ver o material sexualmente explícito. Em certo sentido, fotos Milbrath são uma manifestação disso. A dissociação entre sexualidade e reprodução chegou junto com o mundo individualista-capitalista mas não igualmente para todos os gêneros, alguns são mais comercializados e bombardeados com imperativos para serem um “bom produto” do que outros, como é o caso do gênero feminino. Entretanto, ao contrário do que algumas feministas tendem a pensar, enquanto detidas em sua categoria fechada de “mulher”, homens também sofrem opressão, tanto fisicamente, questão de esteriótipos de beleza, quanto para seguirem o modelo “macho” que os é imposto. São opressões diferentes, e não há como compará-las em termos de “uma é pior que a outra”.

basketballplayer1-small.jpg

Ainda, algumas feministas afirmam que objetivação é o domínio exclusivo da masculinidade, e uma inversão direta do olhar masculino é não possível nem desejável. Obviamente a objetivação não é exclusiva da masculinidade, pois há mulheres que classificam homens com base em vários aspectos, incluindo sua aparência ou condição financeira. Não julgo por isso, cada um tem a liberdade para escolher seus parceiros baseado no que bem entender, apenas a inocência ou hipocrisia de alguns vem a ferir outros indivíduos, como algumas feministas que gritam a homens “vamos cortar seu pênis” (sim, isso existe).

boyfriend2-small.jpg

Em qualquer caso, as imagens de Milbrath exigem mais do espectador do que simplesmente canalizar um esteriótipo comercial clichê. Porque não é explícito o que o espectador deve sentir ao olhar para essas fotos. Ao olhar para estas virilhas - e as pistas de contexto sobre os seus proprietários - pode-se construir uma fantasia em torno desses personagens, se assim for o desejo do espectador da foto.

boynextdoor1-small.jpg

E não são apenas a empresas que não compreendem o desejo feminino (feminino aqui não se restringe a mulheres, e sim a quem com ele se identificar), é tudo uma grande convenção social. Provavelmente desde os primeiros pênis que chegam por Inbox de um ou uma pobre desavisada, deveriamos sugerir que as pessoas fossem mais cuidadosas quando se trata de dickpics. Pessoas, enviam o que elas acham que seu ou sua parceira querem ver com base em seus próprios apetites, e não entendem que o que eles querem ver não é necessariamente, o que o outro realmente quer ver. Sim, mulheres podem ter fantasias sexuais tanto quanto homens (isso deveria ser óbvio, mas tudo bem, vamos repetir até que seja), e não, essas fantasias não são obrigatóriamente iguais as masculinas, e nem há um padrão para fantasias femininas, cada pessoa tem seus próprios desejos e faz uso deles como bem entende, até para não usa-los. Como Groin Gazing prova, apenas uma sugestão já é suficiente.

businessman-small.jpg

constructionworker-small.jpg

cop1-small.jpg

frenchguy2-small.jpg

Todos os direitos de imagem reservados a Claire Milbrath. Para mais informações sobre a artista, clique aqui ou aqui para seus desenhos e tirinhas.


Isabel Nobre

Nem sei mais..
Saiba como escrever na obvious.
version 1/s/fotografia// @destaque, @hplounge, @obvious, @obvioushp //Isabel Nobre